Blog

Tasting for all blog

  • Fonseca: casa de vinho do Porto inaugura caves e centro de visitas

    A casa, conhecida pelos seus premiados vinhos do Porto Vintage, convida a descobrir a sua história de mais de 200 anos, numa experiência livre e autónoma que termina com uma prova do seu ex-líbris, Bin no. 27.

    É uma das mais famosas e premiadas marcas de vinho do Porto, mas até agora o privilégio de conhecer e provar os seus vinhos era restrito à sua propriedade no Douro, a Quinta do Panascal. A Fonseca abre, em Vila Nova de Gaia, um centro de visitas, loja e sala de provas com uma experiência educativa e independente que permite uma visita livre e descontraída, ao ritmo de cada visitante.

    São mais de 200 anos de história, condensados num circuito, em que é possível descobrir mais sobre o processo de produção, viajar até ao Douro e à Quinta do Panascal onde nascem os seus vinhos e ainda acompanhar o envelhecimento dos seus reputados vinhos, em tonéis e balseiros. A visita termina na sala de provas, onde é tempo de relaxar e desfrutar de um cálice de Bin no. 27, um dos vinhos de assinatura da casa. Aqui, os vinhos do Porto podem ser acompanhados por uma tábua de queijos ou chocolates, em dueto perfeito.

    A sala de provas funcionará como wine bar, onde os apreciadores de vinho do Porto terão a oportunidade de provar, a copo, uma coleção de mais de uma dezena de Porto Vintages – que já valeram à marca a pontuação máxima de 100 pontos por quatro vezes na reputada revista Wine Spectator, bem como o seu reconhecido Vinho do Porto orgânico, o Fonseca Terra Prima. Além da prova a copo, há quatro experiências de degustação disponíveis: “Introdução à Fonseca” (34,00€), “Experiência Vintages e Chocolate” (30,00€), “Experiência Vintages da Fonseca” (40,00€), “Os Porto Vintage Clássicos da Fonseca” (80,00€).

    Uma oportunidade rara, que poderá ser completada com pairings de queijos, enchidos, amêndoas, chocolates e azeitonas. Destaque, a título de exemplo, para a prova de dois Vintages (2016 e 2017) acompanhada por quatro diferentes tipos de chocolates, desafiando a encontrar a melhor combinação. As provas são devidamente apresentadas e comentadas pela equipa da casa, que explica as características distintivas de cada vinho e as curiosidades do universo Fonseca.

    Localizada no centro histórico de V. N. Gaia (Rua do Choupelo, nº 84, a poucos minutos a pé da outra casa do mesmo grupo, a Taylor’s) o centro de visitas Fonseca oferece uma experiência à imagem da marca: contemporânea, descontraída e entusiasta. Haverá ainda espaço para um cocktail especial por mês, que reflita a diversidade e diversão associadas à casa Fonseca.

    Os mais pequenos também são convidados a descobrir mais sobre a história do vinho do Porto e até desafiados com algumas atividades didáticas, com um bilhete reduzido no valor de 4,50€, sendo que a visita termina com uma prova de sumo de uva e bolachas para que possam acompanhar os adultos num brinde em família. A visita para dois adultos e duas crianças, dos 8 aos 17 anos, tem o custo de 25,00€.

    A experiência individual tem o custo de 9,00€ por pessoa, incluindo um cálice de Bin no. 27.  Se desejar explorar a versatilidade dos vinhos do Porto Fonseca, pode completar a sua Experiência Fonseca com um cocktail à base de vinho do Porto Fonseca por 10,00€. Pode ser pré-reservada através do e-mail visit@fonseca.pt e do telefone 932 104 197.

    Morada:

    Rua do Choupelo, 84, 4400-088, Vila Nova de Gaia

    Contactos:

    Telf.: 932 104 197

    E-mail: visit@fonseca.pt

    Horário:

    12h – 19h: Centro de visitas

    12h – 20h: Sala de Provas e Loja

    Website : Fonseca

  • Quintas de Melgaço estreia programa de vindimas

    A Quintas de Melgaço criou duas novas experiências de enoturismo que convidam os visitantes a participarem na tradicional vindima do Alto Minho. No final, há vinhos e iguarias locais para provar à mesa ou num descontraído piquenique entre as vinhas.

    O arranque da época das vindimas é um momento especial para os mais de 500 pequenos agricultores que integram o projeto da Quintas de Melgaço. Após um período de grandes desafios para a região, homens e mulheres da terra regressam à vinha para celebrar a nova colheita, que este ano tem um sabor especial a esperança. Toda a comunidade pode agora participar, através dos dois novos programas criados pela Quintas de Melgaço, disponíveis durante todo o mês de Setembro. 

    O ponto de encontro é à porta da adega, local onde os participantes recebem o seu “kit vindimas”, composto por uma t-shirt, luvas e uma tesoura. Depois de uma breve explicação sobre as regras de higiene e segurança a manter durante toda a experiência, os grupos dirigem-se para as vinhas, onde os esperam os vindimadores mais experimentes da casa. O silêncio do campo é interrompido pelas conversas e cantares dos trabalhadores, que impõem o ritmo à apanha da uva.

    Depois de colhidas, as uvas são levadas para a adega. O restante percurso é observado com a ajuda de um guia da Quintas de Melgaço, que explica passo a passo todos os procedimentos na produção do vinho. No final, os visitantes podem escolher a recompensa: uma prova na emblemática sala de estágios da adega ou um piquenique ao ar livre.

    Na Experiência Vindima & Prova, os visitantes têm acesso a uma prova dos vinhos Alvarinho QM, QM Rosé e Espumante QM Reserva, todos feitos a partir da casta Alvarinho, ex-libris da região. A prova é orientada por um especialista e acompanhada por iguarias do concelho, como queijos, compotas, broa e enchidos. Neste local, além da vista desafogada sobre a adega e a paisagem, os visitantes podem testemunhar, na primeira pessoa, o repouso dos espumantes clássicos da casa. 

    Quem optar pela Experiência Vindima & Piquenique, após os trabalhos, pode disfrutar do merecido descanso em plena vinha. Basta pegar no cesto de piquenique, composto por uma garrafa de QM Alvarinho, uma garrafa de QM Rosé, dois queijos da típica loja “Prados de Melgaço”, tostas, compotas e mel.

    As visitas requerem inscrição prévia através do +351 251 410 020 ou enoturismo@quintasdemelgaco.pt. O uso de máscara é obrigatório assim como o cumprimento de todas as normas recomendadas pela Direção Geral da Saúde.

    Experiência Vindima & Prova

    25€ / pessoa

    Mínimo 2 pessoas

    Experiência Vindima & Piquenique

    30€ / pessoa

    Mínimo 2 pessoas

    Website : Quintas de Melgaço

  • Centro de visitas da Churchill’s recebe ‘Traveler’s Choice 2020’ do TripAdvisor

    O Centro de Visitas da Churchill’s, em Vila Nova de Gaia, recebeu a distinção ‘Traveler’s Choice 2020’, colocando-o entre as 10% principais atrações turísticas em todo o mundo, registadas no TripAdvisor.

    O ‘Traveler’s Choice 2020’ é atribuído pela mais importante plataforma de turismo do mundo aos estabelecimentos que receberam dos visitantes avaliações muito positivas, de forma consistente, ao longo de todo o ano.

    “É com muito orgulho que recebemos este ano mais uma distinção do TripAdvisor para o nosso Centro de Visitas em Gaia. Na Churchill’s procuramos que o Centro dê aos visitantes uma oportunidade de experienciar ao mesmo tempo a vivacidade e a tranquilidade de uma cave de vinho do Porto em funcionamento”, afirma Zoe Graham, diretora de vendas e marketing da Churchill’s, adiantando: “Queremos que quem nos visita sinta a energia do espaço e das nossas pessoas, apaixonadas pela produção de vinho do Porto. E o ‘Travelers’ Choice 2020’ é o reconhecimento disso mesmo, do trabalho fantástico que a nossa equipa tem desenvolvido ao longo dos anos e que queremos continuar a desenvolver, inovando nos espaços e na oferta e aproximando-nos sempre da comunidade.”

    Exemplo dessa aproximação à comunidade foi a abertura este ano do jardim da Churchill’s e do 1982 BAR (data do primeiro vinho do Porto vintage Churchill’s declarado), cuja oferta de piqueniques e cocktails tem sido um sucesso.  “Tem sido incrível poder ver a comunidade de apreciadores dos nossos vinhos, e daqueles que os estão a descobrir, a desfrutar de um espaço que normalmente seria maioritariamente turístico.”, congratula-se Zoe Graham.

    No final de uma rua estreita, quem sobe do Cais de Gaia, encaixado entre antigos armazéns de vinho do Porto, o Centro de Visitas da Churchill’s é uma adega em funcionamento e um espaço de enoturismo, que serve como pano de fundo para o melhor que a Churchill’s tem para oferecer – os seus vinhos. O espaço, que tem o selo Clean & Safe, oferece provas dos vinhos do Porto e Douro da Churchill’s, visitas à adega e às caves onde o vinho envelhece, para além de uma área exclusiva para eventos privados e um jardim com uma vista única sobre o rio e a cidade do Porto. É o local ideal para todos aqueles que desejem aprofundar os seus conhecimentos sobre a Região Demarcada do Douro, sobre os vinhos do Porto e Douro da Churchill’s, e conhecer a história da empresa.

    O jardim da Churchill’s é uma extensão do Centro de Visitas. Um espaço magnífico com uma vista esplêndida sobre o Porto e o rio Douro, um oásis verde encaixado no meio das caves de vinho do Porto em Gaia, proporcionando um local único para família e amigos, poderem desfrutar do ar livre, sentar-se na relva, ou fotografar momentos inesquecíveis enquanto bebem um cocktail um copo de vinho da Churchill’s e apreciam os produtos artesanais que fazem parte da oferta de comida.

    Centro de Visitas:  Aberto de segunda a sábado, das 10h às 18h, situa-se na Rua da Fonte Nova, 5, em Vila Nova de Gaia

    Jardim e 1982 BAR:  Aberto de sexta a domingo, entre as 12h e as 19h. O serviço do último piquenique é às 17h30.

    Website : Churchill’s

  • Casa Museu José Maria da Fonseca no TOP 10% das melhores atrações do mundo do TripAdvisor com a distinção Travelers’ Choice 2020

    A Casa Museu José Maria da Fonseca acaba de receber a distinção Travelers’ Choice 2020 do TripAdvisor, que a coloca no TOP 10% das melhores atrações do mundo por esta plataforma. Anualmente, “o maior website de viagens do mundo”, atribui esta distinção com base nos comentários e pontuações dos visitantes a alojamentos, atrações e restaurantes que obtêm constantemente excelentes avaliações de viajantes e estão classificados nos primeiros 10% das propriedades no Tripadvisor.

    Com mais de 40.000 visitantes anuais, a Casa Museu continua a ser a primeira atração escolhida em Azeitão pelos utilizadores desta plataforma.

    Para Sofia Soares Franco, responsável pelo Enoturismo da empresa, esta distinção é o reconhecimento do trabalho desenvolvido ao longo dos anos: “Estamos em constante melhoria da oferta de Enoturismo da Casa Museu José Maria da Fonseca para que os nossos visitantes tenham uma experiência memorável. É com muito entusiasmo e gratidão que recebemos este ano a distinção Travelers’ Choice 2020 do TripAdvisor. Agradeço aos visitantes que nos dão tão boas avaliações e também à nossa equipa fantástica. Vamos continuar a trabalhar cada vez mais e melhor para continuarmos a merecer a confiança de quem nos visita”.

    Leia as avaliações aqui.

    HORÁRIOS

    Visitas

    Verão(Abril a Outubro)

    Manhã: 10h00 – 12h00

    Tarde: 14h30 – 17h30

    Inverno (Novembro a Março)

    Manhã: 10h00 – 12h00

    Tarde: 14h30 – 16h30

    Loja

    Verão (Abril a Outubro)

    Inverno (Novembro a Março)

    10h00 – 17h30

    CONTACTOS

    R. José Augusto Coelho, nº11/13
    Vila Nogueira de Azeitão

    Tlf: +351 212 198 940
    E-mail: enoturismo@jmfonseca.pt

    Website : Casa Museu José Maria da Fonseca

  • Vinalda distribui Marquês de Marialva, marca líder da Bairrada

    A partir de Setembro, a Vinalda vai distribuir em exclusivo no mercado nacional a marca  Marquês de Marialva, produzida pela Adega de Cantanhede, o maior produtor da Bairrada.

    A Adega de Cantanhede, fundada em 1954, como forma de reconhecer e homenagear o importante papel na história de Portugal de D. António Luís de Meneses – 1º Marquês de Marialva – decidiu que os seus melhores vinhos e espumantes DOC Bairrada deveriam ter uma marca com o seu nome. Marca que a Vinalda vai agora distribuir no mercado nacional. 

    Osvaldo Amado é o enólogo chefe da Adega de Cantanhede, que comemorou 65 anos em 2019 e além de ser o maior produtor da Bairrada é o que mais vende vinhos DOC, acumulando mais de 750 prémios nos últimos anos. Os 550 associados ativos somam mais de 1.000 hectares de vinha.  

    O Diretor-Geral da Vinalda salienta “a história, a qualidade e a liderança da marca Marquês de Marialva no mercado” e José Espírito Santo sublinha ainda que “a Vinalda passa a liderar mais uma região vitivinícola portuguesa, ajudando este negócio a cumprir a sua missão de voltar a ser a distribuidora de vinhos de referência em Portugal”

    Por seu lado, o presidente da Adega de Cantanhede, Victor Damião, afirma que “no seguimento de variadas estratégias de desenvolvimento da Adega de Cantanhede, encetamos agora uma nova etapa, desta vez para o mercado nacional atribuindo à Vinalda, uma das grandes empresas de distribuição, o trabalho de expansão da marca Marquês de Marialva” e frisa: “Acreditamos que será uma parceria ganhadora, que aquela marca e os seus excelentes vinhos e espumantes merecem, dado haver muito ‘espaço’ no mercado, que até agora não explorámos”. 


    Portefólio

    Marquês de Marialva  

     Vinhos Tranquilos  

    Colheita Selecionada (Tinto, Branco e Rosé)

    Reserva (Baga, Bical e Arinto)

    Grande Reserva (Tinto e Arinto)

    Garrafeira 2001, 65 Anos (Tinto)

     Espumantes 

    Blanc de Blancs (Bruto, Meio Seco e Doce)

    Bical & Arinto (Bruto e Reserva Bruto)

    Blanc de Noir, Baga Bairrada (Bruto)

    Baga (Tinto Bruto, Rosé Bruto e Cuvée Bruto)

    Cuvée Primitivo

    Licorosos 

    XO 20 Anos 

    Reserva dos Sócios

    Singular

    Website : Vinalda

  • VINHOS A DESCOBRIR – 3ª edição | Mercado Ferreira Borges, Porto

    26 e 27 de setembro visite VINHOS a Descobrir, Wine Market, a 3ª edição da mostra e feira de vinhos produzida pela INSPIRE.

    Em pleno centro do Porto, o evento pelo qual ansiávamos!

    A mostra de vinhos será realizada no belíssimo Mercado Ferreira Borges,  espaço Hard Club, privilegiando o contacto com visitantes e turistas. 

    Com as medidas de segurança de Mercado ao Ar Livre, o local ideal para a descoberta dos fantásticos vinhos Portugueses, juntando apreciadores de vinhos e os Produtores, partilhando as novidades e redescobrindo vinhos.

    Tudo num espaço amplo e com ambiente descontraído!

    Horários: dia 26 das 15H30 às 21H30 + dia 27 das 15H30 às 20H30.

    Estarão presentes excelentes Produtores nacionais de: Vinhos Tranquilos (DOC, Regionais, IG), Vinho do Porto, Vinho Verde, Vinho da Madeira e Espumantes.

    Os visitantes terão a possibilidade de falar com os Produtores, adquirir Vinho a copo e garrafa, bem como produtos regionais e gourmet, enriquecendo a sua experiência.

    Durante o Wine market serão realizadas Harmonizações diárias com vinhos, realizadas por um expert, partilhando o seu conhecimento para que a descoberta das melhores combinações seja ainda mais proveitosa.

    Animação assegurada por DJ, para uma conjugação perfeita de vinhos, amigos e família, num ambiente cool e animado.

    VINHOS a Descobrir, evoluindo do Port & Wine World.

    Decorrerão as seguintes atividades paralelas:

    Get Together Profissional – sábado dia 26, entre as 13H30 e as 15H30, promove-se o encontro com profissionais do sector: restaurantes, garrafeiras, bares, distribuidores e bloggers profissionais, para dar a conhecer os Produtores e os seus vinhos.

    Provas Harmonizadas diárias, promovendo as associações de vinhos e gastronomia com os produtos gourmet e produtos regionais.

    DJ em ambiente Chill Out

    Localização: Mercado Ferreira Borges, Hard Club – Porto. 

    Entrada: 3€

    Entrada com copo: 5€, incluindo vale de desconto de 1€ na compra de 10€ ou superior em vinho.

    Serão cumpridas as regras de segurança e saúde necessárias indicadas pela DGS, assegurando que a mostra de vinhos cumpre os requisitos.

  • Bairrada lança campanha para promover espumante e novos momentos de consumo

    Bairrada é sinónimo de espumante. Sendo este o produto-bandeira desta região vitivinícola, é aqui que mais se produzem e certificam espumantes em Portugal. O impacto da pandemia de Covid-19 tem sido enorme, com o consumo de espumantes a ser seriamente afectado, devido à suspensão das festas. Para reacender, manter acesa ou até despertar o interesse de novos momentos de consumo e consumidores, a Comissão Vitivinícola da Bairrada (CVB) tem em curso uma campanha de promoção do espumante Bairrada.

    Concebida pela agência OPAL, esta campanha é veiculada em outdoors e no digital. O conceito assenta na premissa de que o ‘Espumante’ é uma bebida bastante eclética e, por isso, a companhia ideal para vários momentos. Muitas são as vezes em que inventamos desculpas para não beber espumante, limitando o seu consumo a dias de festa, ocasiões especiais e a sua degustação a flutes, nem sempre acessíveis. Esta campanha tem como objetivo desfazer mitos, quebrar regras e criar novas “dicas” de consumo, associando-o a uma forma de estar descomprometida e focada no simples gosto de desfrutar de ‘Espumantes Bairrada’. Descomplicar é a palavra de ordem!

    Sob o eixo de comunicação da marca ‘Bairrada, Terras de Bem-Beber’ e com a assinatura ‘Espumante Bairrada. Abre o teu lado bom.’, são seis as frases que suportam o conceito da campanha.

    #1 – A idade das borbulhas já passou? Pensa melhor.

    #2 – Não guardes para amanhã o que podes beber hoje.

    #3 – Sem mesa marcada? Sem problema.

    #4 – Levanta o copo, não o mindinho.

    #5 – Cerimónia e dress code? Põe-te ao fresco.

    #6 – Tinto para a carne, branco para o peixe? Sai dessa bolha!

    Para Pedro Soares, presidente da CVB, “é muito importante promover este tipo de iniciativas, em que “ajudamos” a descomplicar e democratizar um pouco mais o consumo de espumantes. Com a ausência de eventos, foi possível ajustar a comunicação da região procurando maior notoriedade deste que é o nosso produto-estrela. Ao nível da campanha apostámos em grandes formatos – outdoors na A1, a mais percorrida auto-estrada de Portugal, e na região – e no on-line, canal que ganhou uma dimensão extra na nova conjuntura mundial. Temos, contudo, que continuar a gerir bem os recursos existentes, pois não sabemos por quanto tempo se manterá esta situação. E não podemos esquecer os outros vinhos que a região produz e que são de enorme qualidade”.

    De relembrar que a Comissão Vitivinícola da Bairrada está apostada em conseguir criar e trazer para a região um Centro de Competências e Investigação de Espumante, plataforma onde será possível pensar, desenhar, experimentar e inovar em conjunto com todo o sector vitivinícola em Portugal, o futuro do espumante no país. 

    Website : Comissão Vitivinícola da Bairrada

  • O mundo do Chefe Pedro Lemos

    “SE EU SINTO QUE NÃO ME ADAPTO A ESTE MUNDO, É PORQUE NASCI PARA CRIAR O MEU.”

    “Pedro Lemos abriu portas em 2009 e desde o início se tornou um dos mais conceituados restaurantes no Porto. Em 2014 foi o primeiro da cidade a ser consagrado com uma estrela no guia Michelin. Situado na foz do Douro, numa casa classificada como património arquitectónico, o restaurante está numa das mais belas e emblemáticas zonas históricas da cidade invicta.”

    “O edifício foi inaugurado em 1964 como bar, ao bom estilo inglês, e foi sempre um espaço de selecção das elites da época. Hoje, num ambiente elegante e moderno, o restaurante, para além da sala de jantar, conta com uma garrafeira onde podem ser servidas refeições para grupos e um terraço para os dias mais quentes.”

    O jantar no restaurante do Chefe Pedro Lemos foi uma experiência única, uma noite sublime com pratos que provocaram muita emoção.

    Optamos pelo menu de 10 pratos e o menu vegetariano, ambos repletos de imaginação, harmonia, elegância e ingredientes da nossa terra.

    Cada prato é um conjunto de sensações maravilhosas, profundas, que nos elevam a alma e comovem, provocando uma ânsia pelo próximo prato do menu. Ambos os menus têm um elo de ligação perfeitamente delineado entre os pratos, elo esse irrepreensível.

    A harmonização com os vinhos foi perfeita, com vinhos de enorme qualidade. Extrema simpatia do sommelier, que sempre descreveu o vinho e a harmonização com grande paixão.

    Foi uma jornada gastronómica excepcional, lotada de pequenos momentos e prazeres e que nos deixou uma agradável sensação de felicidade e bem-estar. Restaurante que deve ser visita obrigatória por todos os que tem uma paixão pela comida e vinhos.

    Tenho a certeza de que vou voltar para ser feliz.


    Website : Restaurante Pedro Lemos

  • Casa Velha e Henri Giraud Champagne juntam-se para oferecer uma experiência de alta gastronomia

    A Casa Velha, restaurante de fine dining na Quinta do Lago, alia-se ao Henri Giraud Champagne para oferecer uma experiência de luxo no dia 5 de Setembro pelas 19h00. Reconhecida pelas suas refeições requintadas e recomendada pelo Guia Michelin 2020, a Casa Velha foi o primeiro local gastronómico da Quinta do Lago, o local onde tudo começou. Com esta experiência de luxo onde o champanhe é o convidado de honra, mostra uma vez mais toda a sua exclusividade e primor.

    A reconhecida e admirada casa boutique de champanhes Henri Giraud produz apenas um pequeno número de garrafas de Grand Cru por ano das vinhas Ay. Esta é a sua oportunidade de experimentar a subtileza e requinte desta bebida, aliada aos pratos excecionalmente confecionados do Chef Alípio Branco. Todos os champanhes servidos foram escolhidos pelo Sommelier Miguel Martins especialmente para a ocasião, de forma a casarem na perfeição com os pratos apresentados.

    Esta experiência de 7 pratos iniciar-se-á com uma Ostra harmonizada com Champagne Blanc de Crate. O famoso Champagne MV Rosé “Au Grand Cru” acompanhará o Lombo de Rubi Galega com Puré de Aipo e Batata, Salada de Maçã, Jus Pimenta Preta. Entre os restantes pratos poderá encontrar iguarias como Foie Gras ou Carabineiro, entre outros, oferecendo sempre uma experiência de cozinha europeia com recurso a produtos naturais do Parque Natural da Ria Formosa como é hábito por parte do Chef Alípio.

    Esta experiência tem um custo de 190€ por pessoa e pode fazer a sua reserva através de casavelha@quintadolago.com ou +351 289 394 983.

    Website : Casa Velha

    Website : Henri Giraud Champagne

  • VESTIR A CAMISOLA DA CASA RELVAS POR UM DIA

    De 20 de Agosto a 20 de Setembro é possível fazer parte da equipa da Casa Relvas e participar nas vindimas na Herdade de São Miguel, vivendo toda a cultura e tradição do vinho e da vinha no Alentejo.

    De 20 de Agosto a 20 de Setembro, a Casa Relvas volta a receber os amantes do vinho e da vinha para a vindima, na Herdade de São Miguel, no Redondo. Aqui vão dar a conhecer a arte de vindimar e o trabalho que todos os anos é desenvolvido na vinha e na adega nesta altura do ano.

    Numa iniciativa que tem tido grande adesão, o produtor alentejano volta a abrir as suas portas para um programa de vindimas que, integrado na sua actividade de enoturismo, pretende divulgar o processo da vindima e a essência do Alentejo, e partilhar bons momentos de convívio e descontracção.

    O principal objectivo é proporcionar uma experiência inesquecível a todos os que se queiram juntar à equipa e vestir a camisola da Casa Relvas por um dia. E podem mesmo fazê-lo, porque uma t-shirt da Harvest Crew 2020 faz parte do kit de oferta, bem como um chapéu de palha e, este ano pelas razões que todos conhecemos, uma máscara será também oferecida a todos os participantes.

    Com todas as medidas de segurança, e com o selo Clean & Safe, a Casa Relvas garante um dia bem passado. Em grupos únicos até 10 pessoas – e apenas com reserva de um grupo por dia – o programa de vindimas tem a duração de cinco horas e inclui várias atividades em que os todos poderão fazer parte da equipa e da família que é a Casa Relvas.

    Pelas 11 horas (ou um pouco mais cedo nos dias mais quentes) o programa tem início com um passeio na vinha, com a identificação das castas e a análise sensorial de bagos, grainhas e engaços, seguida da vindima manual. Depois, já na adega, chega o momento que muitos anseiam, a pisa a pé, que por tradição são sempre momentos muito animados e que resultam em fotos divertidas para partilhar (#herdadesaomiguel #casarelvas #umdiaemsaomiguel).

    Ainda na adega da Herdade de São Miguel, segue-se a prova de mostos. Vindima feita, chega a hora da prova de vinhos. O programa de vindimas da Casa Relvas pode ainda incluir um almoço ao ar livre tipicamente alentejano com produtos locais, sendo este opcional na altura da reserva.

    Para aqueles que há muito se rendem a esta arte secular, ou para aqueles que sempre o quiseram experimentar, o programa de vindimas da Casa Relvas é a proposta perfeita para um passeio ao Alentejo, e para viver uma experiência a recordar, e muito provavelmente repetir. Aqui o tempo passa devagar em boa companhia e, como afirma Alexandre Relvas, “queremos que quem nos visita possa ter este contato direto com a nossa terra, a nossa cultura e tradição, numa experiência que sabemos que não os vai deixar indiferentes, mesmo num ano diferente…Temos tudo preparado para receber em segurança quem queira vir passar um dia com a Casa Relvas”.

    A apenas 1h30 de Lisboa, e a 20 minutos de Évora, a Casa Relvas desafia os amantes do vinho e da vinha a conhecer e viver este espírito tão autêntico que é o das vindimas. Um brinde, à vossa!

    PROGRAMA DE VINDIMA 2020
    Programa de 5 horas, incluindo:
    Passeio na vinha | Identificação de castas e análise sensorial de bagos, grainhas e engaços
    Vindima manual | Pisa a pé | Prova de mostos
    Prova de vinhos | Almoço (opção vegetariana disponível)
    €40 s/ almoço | € 70 c/ almoço
    Oferta de t-shirt e chapéu das Vindimas 2020
    CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO
    2 a 10 participantes, em grupo único (reserva de um grupo por dia)
    Reserva com 72h de antecedência – enoturismo@casarelvas.pt
    Obrigatório uso de máscara e distância de segurança

    Online:
    https://casarelvas.pt/enoturismo
    https://www.instagram.com/casarelvas/
    https://www.facebook.com/CasaRelvas/

  • Estão quase a chegar as vindimas em Torre de Palma

    A partir de 1 de Setembro, em Monforte, no Alentejo, as vindimas nesta propriedade rica em Património iniciam, e, com elas, várias experiências para melhor as usufruir.

    Fazer uma vindima no Torre de Palma Wine Hotel é muito mais do que experienciar uma vindima tradicional, com apanha, escolha e pisa das uvas. Este projeto de luxo no Alentejo proporciona nesta altura do ano um conjunto de experiências autênticas que constituem a verdadeira raiz de Torre de Palma: o vinho.

    A tradição vínica nestas terras tem cerca de 2000 anos e remonta à época Romana, altura em que se instalaram abastadas famílias que se dedicavam ao vinho, ao azeite, ao cavalo Lusitano e às artes.  Todo o espírito que assistiu à recuperação da propriedade e transformação em “Wine Hotel” preocupou-se assim em manter vivo o “modo de vida romano”.

    Respeitando as raízes romanas em Torre de Palma, celebra-se o vinho na “Lusitânia”, tal como no período Romano. A “vinalia rustica” marca o início das vindimas – que este ano iniciam a 1 de Setembro e terminam em meados de Outubro -, celebrando a “meditrinalia”, data em que o mosto é consagrado. 

    Para se imbuir do espírito das vindimas e usufruir ao máximo, o Torre de Palma Wine Hotel sugere um conjunto de experiências: passar um dia na vinha ou aproveitar para ficar alojado neste Design Hotel e ter uma experiência imersiva daquilo que é uma verdadeira campanha vínica em Torre de Palma.

    A experiência começa na vinha para conhecer as diferentes castas que nesta propriedade são exclusivamente castas portuguesas, e fazer-se a colheita manual das uvas. A etapa seguinte é a mesa de escolha, à porta da adega, onde se procede à seleção das melhores uvas. Por fim, vem a recompensa após o trabalho: a visita à adega, de arquitetura de João Mendes Ribeiro e a prova de mostos ou prova de vinhos Torre de Palma, seguido de almoço no Restaurante Basilii.

    No Torre de Palma Wine Hotel, o processo integral da produção de vinho é feito na propriedade, da colheita ao engarrafamento. Nesta vinha de 7 hectares, em que todos os processos são manuais, o enólogo Duarte de Deus vai partilhando com os participantes o seu conhecimento sobre o universo de Baco. “A nossa vindima proporciona uma experiência diferente, pela imersão e a envolvente Histórica do Torre de Palma, que é única no país”, partilha Isabel Rebelo, proprietária do hotel.

    Aproveite esta época para aprender mais sobre a arte de fazer vinho e desfrutar do Património Histórico inigualável de Torre de Palma e desta região do Alto Alentejo. Esta é apenas mais uma das razões para optar por este programa de vindimas imersivo.


    Programas de Vindimas de Torre de Palma:

    Programa de 1 Dia

    Programa de 2 Noites


    Website: Torre de Palma Wine Hotel

  • Paço de Teixeiró: a frescura da Serra do Marão

    É em Baião, berço natural da casta Avesso, que a família Montez Champalimaud preserva a sua histórica propriedade e a missão de produzir vinhos brancos com um perfil ousado, moderno e assumidamente gastronómico.

    A sub-região de Baião tem ganho, nos últimos anos, um merecido destaque entre os consumidores nacionais e internacionais. Na base deste sucesso está a afirmação do potencial do seu terroir para a produção de vinhos brancos de elevada qualidade, caracterizado pela altitude e clima menos temperado, com invernos mais frios e verões mais quentes, devido à proximidade e influência da colossal Serra do Marão.

    Estas características permitem o perfeito amadurecimento de castas de maturação mais tardia e com maiores exigências de calor no final do seu ciclo de vida – como é exemplo a Avesso. Por esse motivo, este é considerado o seu habitat natural e o lugar onde melhor se expressa. Para a Quinta de Paço de Teixeiró, a casta Avesso assume-se como o ingrediente-chave das suas referências produzidas na casa, agora com novas colheitas no mercado: Paço de Teixeiró Branco e Paço de Teixeiró Avesso

    Na primeira versão, a casta Avesso (80%) é acompanhada pela Loureiro (20%), ambas provenientes de vinhas com mais de 35 anos de idade. A nova edição Paço de Teixeiró Branco 2019 apresenta-se ao mercado com uma enorme vivacidade e frescura, com uma clara presença de flores brancas, citrinos e algumas notas de damasco. Um conjunto muito fresco, perfeito para os pratos ligeiros da estação.

    Segue-se uma abordagem mais arrojada, numa versão 100% Avesso – o Paço de Teixeiró Avesso 2018, cujo lançamento é sempre atrasado um ano para que o vinho possa exprimir todo o seu potencial ainda em garrafa. A quantidade limitada de garrafas disponíveis é compatível com a complexidade deste vinho, extraído das melhores videiras da propriedade. O estágio em barricas confere-lhe uma enorme elegância e um excelente volume de boca, perfeito para acompanhar o prato estrela da região: Anho Assado com Arroz de Forno.

    Nas palavras de Eça de Queiroz, que encontrou nas terras de Baião a inspiração para a sua última criação literária, “A Cidade e as Serras”, o vinho aqui produzido é “fresquinho, leve, aromático e alegrador. Todo alma”. Para descobrir numa visita à região ou em qualquer parte do país, já que as novas colheitas Paço de Teixeiró se encontram disponíveis em garrafeiras de todo o território nacional, com distribuição exclusiva da Vinicom.

    Paço de Teixeiró Branco 2019 – PVP: €7,5

    Paço de Teixeiró Avesso 2018 – PVP: €14

    Website : Paço de Teixeiró

  • ADEGA DE PALMELA MOSCATEL DE SETÚBAL 10 ANOS ESTÁ NO TOP 10 DOS MELHORES MOSCATEIS DO MUNDO

    Produto certificado desde 1908 É um dos mais representativos produtos da região da Península de Setúbal

    O Adega de Palmela Moscatel de Setúbal 10 anos, acaba de ser premiado como um dos 10 Melhores Moscatéis do Mundo no Concurso Muscats du Monde. O vinho Generoso Moscatel é um produto certificado desde 1908, e um dos mais representativos produtos da região da Península de Setúbal, de qualidade “Superior”, integrando a coleção – Moscatéis de Setúbal.

    Com casta de Moscatel de Alexandria, obtido a partir da fermentação de uvas Moscatel e interrompida através da adição de aguardante vínica, maceração pelicular durante um período mínimo de 5 meses, neste Lote foram usadas várias colheitas, onde a mais recente tempo pelo menos 10 anos, permanecendo na cave da Adega em barricas de carvalho usadas, próprias para o envelhecimento de aguardentes.

    Por ser especial deverá ser servido sozinho ou em alternativa a acompanhar doçaria regional e chocolate a uma temperatura de 16ºC e apresenta uma grande complexidade aromática, evidenciadas notas de frutos secos, nozes, figos e mel.

    A edição deste ano para escolher os Melhores Moscatéis do Mundo, destacou-se como uma das mais marcantes prestações de Portugal no concurso, arrecadando 16 medalhas, 8 de ouro e 8 de prata, ficando a Adega de Palmela com o seu Moscatel de Setúbal 10 anos no TOP 10 Best Muscats du Monde 2020, em 9º lugar.

    Website : Adega de Palmela

  • Arkhe Restaurante Vegetariano

    “O restaurante Arkhe (do grego antigo o início, origem) é um local dedicado a cozinha à base de vegetais, respeitando as estações do ano, a sazonalidade dos ingredientes e o contacto com pequenos produtores em busca dos melhores ingredientes.”

    Entradas

    João Ricardo Alves é um chef de cozinha que alia paixão, técnica, estudo e a criatividade a uma forte consciência ambiental. Com a junção destes elementos propõe uma cozinha à base de vegetais inovadora e moderna.

    Com formação em cozinha clássica francesa, o seu percurso profissional passa por países como Suíça, França e Inglaterra, onde tem o privilégio de trabalhar nos únicos restaurantes vegetarianos do Guia Michelin Europa: o Terre a Terre (Bib Gourmand) e o Joia (1 estrela) em Milão.

    Pratos principais

    Após um período de viagens pela Ásia acaba por se tornar head chef do Hotel Fivelements em Bali, um dos pioneiros de alta cozinha vegetariana e vegan.

    Em 2017 ruma a Lisboa em busca dos seus laços familiares antigos e durante a sua estadia inicia um projeto de jantares pop-up plantbased que dão origem restaurante Arkhe.”

    Eu fui ao restaurante por mera curiosidade e não me arrependi. Cada vez mais a opção pelo vegetariano, tanto em pratos como em menus de degustação, vem ganhando pontos, não ficando atrás das outras opções não vegetarianas. Mais uma vez fiquei verdadeiramente surpreendido e muito agradado.

    A ementa não é muito grande, mas os pratos são ricos e elaborados, com uma grande variedade de elementos e com uma apresentação muito atraente.  

    São pratos com substância, que saciam e transmitem conforto e satisfação, em que todos os ingredientes combinam na perfeição formando um conjunto único.

    Serviço muito profissional, competente e simpático, com um bom serviço de vinhos. Atenção à lista de vinhos criada pelo Alejandro Chavarro, que é excecional, muitas opções que proporcionam excelentes maridagens com os pratos. Experimentem!

    Website : Arkhe Restaurante Vegetariano

  • Mano a Mano: novo Chef Executivo italiano estreia conceitos gastronómicos em Lisboa

    O Mano a Mano acaba de anunciar o seu novo Chef Executivo, Giovanni Pellegrino. De nacionalidade italiana, mais precisamente de Sicília, e com o gosto pela cozinha desde criança, Giovanni chega ao restaurante da Rua do Alecrim com muitas surpresas. A mudança da carta é a primeira novidade apresentada pelo Chef que promete a estreia de novos conceitos gastronómicos em Lisboa.

    O que muda: “Pistachio é o novo Tomate”

    A disputa entre uma cozinha napolitana e romana e a ambição por se tornar no melhor restaurante italiano de Lisboa pede um Chef a condizer e a escolha não podia ser mais acertada. “Simplicidade na cozinha” é o lema do Chef Giovanni, que desde sempre se habituou a transpor para os seus pratos. Defende que quando usamos ingredientes simples e de qualidade, o resultado é sempre delicioso. Fez um curso na área de agricultura e hoje recorre muito a plantas e vegetais, produtos sempre da época.

    O leque é variado, contemplando pratos de carne, peixe, mas também vegetarianos. Privilegia a massa caseira e promete a massa das bases da pizza mais estaladiça e potenciadora do sabor dos ingredientes escolhidos, pela forma como é estendida. E como não só de molho de tomate se faz uma pizza, o Chef Giovanni decidiu inovar e trazer-nos uma nova alternativa com um dos seus ingredientes favoritos e muito típico de Itália: o pistachio. Este ingrediente estará presente não só em algumas pizzas, como também noutros pratos, incluindo sobremesas.

    As escolhas do Chef Giovanni

    Como aperitivo (Antipasti), o Chef destaca a Parmigiana di Melanzane (8,50€), uma beringela, recheada com molho de tomate, mozzarella de búfala e manjericão, o Prosciutto e Melone (9,00€), melão com presunto e redução de vinho e canela, e a Bruschetta Tricolore (9,50€), a Clássica (tomate, alho e manjericão), a de Pesto e pinhões e a Mano a Mano, com chouriço picante de Calabria, mozzarella de búfala e tomilho.

    Da parte “Pizzas e Calzones”, o Chef Giovanni sugere a Pizza Bronte (14,50€) para ficarem a conhecer o sabor de uma pizza italiana com a base em creme de pistachio – presunto, mozzarella de búfala e lascas de Grana Padano são os ingredientes que a contemplam. Pizza A Crudo (9,00€) seria também mais uma das suas sugestões: tomate fresco, burrata e manjericão.

    Spaghetoni Verdi al Pistacchio e Gorgonzola (15,00€), bem italiano, é mais um dos seus principais pratos: massa de espinafres caseira, com pistachio e gorgonzola. À carta chegam ainda dois pratos especiais: Seppia Patate e Piselli (16,50€), choco assado com batata e puré de ervilhas, e Brasado di Carne al Barolo (15,00€), com Focacce, bochecha de porco estufada, vinho, cenoura, cebola, aipo, tomilho e alecrim com a nossa focacia.

    Não podíamos terminar as sugestões do Chef sem uma boa sobremesa. Toda a carta de sobremesas foi renovada, da qual o Chef destaca o Mille Foglie (5,00€), um mil folhas com creme de mascarpone de baunilha, com calda de frutos vermelhos ou de caramelo salgado; o Falso Cannoli agli Agrumi (6,00€), um doce típico da Sicília com creme de mascarpone e citrinos, geleia de laranja; e o Tiramissù Clássico (6,50€), creme de mascarpone, café, bolacha e cacau em pó. E estas são só algumas das incríveis sobremesas do Chef.

    O Chef Giovanni Pellegrino deixa o convite: “Estou muito entusiasmado em transportar novos conceitos gastronómicos para a capital portuguesa. Convido-vos a visitar-me no Mano a Mano para uma nova experiência inspirada nas minhas origens em simbiose com o paladar português. A minha motivação será tornar o Mano a Mano numa referência da cozinha italiana”.

    O Mano a Mano fica na Rua do Alecrim, n22, e está a funcionar todos os dias das 12h30 às 23h; às sextas-feiras e sábados até às 00h00. O restaurante aceita reservas, que podem ser feitas no site, pela app do TheFork ou por chamada (914 054 273). O restaurante está disponível também em takeaway e delivery, através do Uber Eats.

    Website : Mano a Mano

  • Taylor’s Single Harvest 1970 já disponível no mercado

    O Taylor’s Single Harvest 1970, o sétimo da série de edições limitadas de vinhos do Porto com meio século, já pode ser encontrado em algumas das melhores garrafeiras do país. A distribuição é exclusiva da Heritage Wines.

    Desde 2014 que a Taylor’s, emblemática casa de Vinho do Porto, partilha com o mercado alguns exemplares das suas extensas reservas de vinhos do Porto envelhecidos em madeira, preservados com paciência e mestria nas icónicas Caves em Vila Nova de Gaia durante meio século. São já sete edições limitadas, pensadas para os verdadeiros amantes da arte do envelhecimento do Vinho do Porto e colecionadores de todo o mundo.

    O último a ser apresentado é o Taylor’s Single Harvest 1970, lançado para o mercado num ano atípico e que dificilmente será esquecido. Talvez por esse motivo seja reforçado o pretexto de o abrir durante os brindes especiais do ano como, por exemplo, uma celebração de 50 anos, que se pretende memorável. Apesar da idade, este é um vinho que está pronto a ser consumido, recomendando-se um serviço entre 12 e 16ºC.

    A sua textura suave e aveludada abre caminho a um opulento sabor a café e caramelo, com notas de noz e casca de laranja cristalizada, mas com uma notável frescura conferida pela viva acidez. Elegante a cada toque, termina longo e persistente. Acompanha de forma sublime sobremesas, nomeadamente com sabores de figos, amêndoas e caramelos, leite-creme ou uma taça de morangos frescos. Também pode – e deve – ser apreciado sozinho, no final da refeição, com algumas nozes ou outros frutos secos.

    O Taylor’s Single Harvest 1970 já se encontra disponível com um PVP recomendado de 300€. Para mais informações, consultar: www.heritagewines.pt

    Website : Taylor’s Single Harvest 1970

  • Vinhos do Tejo promovem a descoberta de pequenos produtores em 9 vinhos

    Situada na zona Centro, a região dos Vinhos do Tejo está imemorialmente ligada à produção de vinhos. É de direito próprio uma das mais antigas regiões produtoras de vinho do nosso país, vendo o seu nome associado ao rio que a atravessa. O rio Tejo é o elemento dominante da região, contribuindo de forma decisiva para o seu clima e, por conseguinte, terroirs. É berço de grandes e afamadas casas agrícolas, mas também de pequenos produtores, alguns dos quais recentes.

    São nove os vinhos de alguns desses pequenos produtores a que a Comissão Vitivinícola Regional do Tejo dá aqui palco. Seis brancos, um rosé e dois tintos, que em comum têm o selo de garantia de qualidade e de origem, atribuído pela CVR Tejo, como DO Tejo ou IG do Tejo.

    O convite é para que entre no Tejo, compre o que é da região e atreva-se a fazer grandes descobertas!


    HERDADE DOS TEMPLÁRIOS BRANCO 2019 (DO Tejo)

    Produtor: Quinta do Cavalinho/Herdade dos Templários

    Castas: 40% Arinto, 40% Fernão Pires e 20% Riesling

    Álc.: 13,50% • Acidez Total: 4,98 g/l • Açúcares Totais: n.d. • pH: 3,44

    PVP: €4,50

    À venda: Brevemente na loja online do produtor; restaurantes e garrafeiras; algumas lojas Intermarché.


    QUINTA DA BADULA RESERVA BRANCO 2018 (DO Tejo)

    Produtor: Quinta da Badula

    Castas: Arinto e Alvarinho

    Álc.: 12,00% • Acidez Total: 6,30 g/l • Açúcares Totais: 0,7 g/l • pH: 3,31

    PVP: €10,50

    À venda: Restaurantes e garrafeiras.


    QUINTO ELEMENTO RESERVA BRANCO 2016 (IG do Tejo)

    Produtor: Quinta do Arrobe

    Castas: 100% Arinto

    Álc.: 13,00% • Acidez Total: 5,26 g/l • Açúcares Totais: menos de 1 g/l • pH: n.d.

    PVP: €14,50

    À venda: El Corte Inglés; Garrafeira Nacional; restaurantes e garrafeiras, algumas com lojas on-line.


    RUI REGUINGA VINHA DA TALISCA BRANCO 2018 (IG do Tejo)

    Produtor: Rui Reguinga

    Castas: 60% Marsanne, 20% Roussanne e 20% Viognier

    Álc.: 13,00% • Acidez Total: 5,30 g/l • Açúcares Totais: n.d. • pH: 3,43

    PVP: €20,00

    À venda: Em www.terrenus.pt e através da Portfólio Vinhos (distribuidor).


    VINHO: CASAL DAS AIRES CHARDONNAY BRANCO 2018 (IG do Tejo)

    Produtor: Pine Nuts Vines & Wines

    Castas: 100% Chardonnay

    Álc.: 12,50% • Acidez Total: 5,80 g/l • Açúcares Totais: 0,00 g/l • pH: 3,40

    PVP: €20,90

    À venda: Garrafeira Nacional, que é o distribuidor nacional tem garrafeira e loja on-line.


    QUINTA DA ESCUSA HARVEST BRANCO 2016 (IG do Tejo)

    Produtor: Casa Romana Vini

    Castas: 65% Arinto, 35% Moscatel Alexandria

    Álc.: 12,50% • Acidez Total: 4,38 g/l • Açúcares Totais: 1,95 g/l • pH: 3,45

    PVP: €9,00

    À venda: Restaurantes e garrafeiras, algumas dos quais com lojas on-line; El Corte Inglés e Auchan Gourmet do Amoreiras.


    ZÉ DA LEONOR ROSÉ 2019 (IG do Tejo)

    Produtor: Casa Agrícola Rebelo Lopes

    Álc.: 12,50% • Acidez Total: 6,63 g/l • Açúcares Totais: 1,9 g/l • pH: 3,13

    PVP: €5,90

    À venda: Loja do produtor, física na Quinta Nova e on-line em breve, e por contacto directo com envio para todo o país; restaurantes e garrafeiras.


    QUINTA DA ARRIÇA RESERVA TINTO 2017 (IG do Tejo)

    Produtor: Quinta da Arriça

    Castas: Pinot Noir, Sousão e Syrah

    Álc.: 14,00% • Acidez Total: 5,10 g/l • Açúcares Totais: 0,9 g/l • pH: n.d.

    PVP: €6,00

    À venda: Loja do produtor; restaurantes em Coruche; e Posto de Turismo de Coruche. 


    JOANA DA CANA RESERVA TINTO 2016 (IG do Tejo)

    Produtor: Vinhos Franco

    Castas: Touriga Nacional e Tinta Barroca

    Álc.: 15,00% • Acidez Total: 4,54 g/l • Açúcares Totais: 4,0 g/l • pH: 3,90

    PVP: €13,00

    À venda: Restaurantes e garrafeiras, algumas das quais com lojas on-line.

  • Clérigos Tasting Room: A nova embaixada do vinho do Porto na cidade invicta

    O mais recente projeto do grupo Fladgate Partnership aposta no conceito ‘Grab and Go’ e convida a explorar diferentes combinações entre dois símbolos nacionais: o vinho do Porto e o pastel.

    A poucos passos da Torre dos Clérigos, da Livraria Lello e das ruas das Galerias de Paris, a Clérigos Tasting Room abre portas e junta a estes locais mais icónicos, outro dos símbolos da cidade – o vinho do Porto.

    Assumindo-se como uma embaixada do vinho do Porto, em pleno coração da cidade, o novo espaço convida a desfrutar da experiência dentro ou fora de portas, já que o conceito é “Grab and Go”. A proposta é simples: dar a provar 9 harmonizações de vinho do Porto (5 a 7 €) com o famoso “pastel” em diferentes criações que conjugam na perfeição com diferentes estilos de vinho.

    Entre doces e salgados, as combinações foram pensadas ao pormenor para evidenciar as características de cada estilo, mostrando a versatilidade gastronómica do vinho do Porto. Em prova, estão algumas das referências mais icónicas das três reputadas casas do grupo Fladgate Partnership: Taylor’s, Croft e Fonseca.

    Os pastéis partem da forma tradicional do “pastel de nata”, mas surpreendem no seu interior. O pastel de bacalhau e o pastel de alheira juntam-se ao Taylor’s Chip Dry; o de abóbora ao Fonseca Tawny 10 anos; o de chocolate e banana à referência orgânica da Fonseca, Terra Prima; o clássico pastel de nata e o pastel de maçã caramelizada são ambos servidos com Taylor’s Tawny 10 anos e o pastel que combina laranja com amêndoa, harmoniza com o Croft Reserva Tawny. Há também bolo de bacalhau com queijo da Serra – que harmoniza com Taylor’s Chip Dry – e croquete de arroz de pato – servido com Taylor’s LBV. Nos petiscos (a partir de 2,50€) podem encontrar-se opções como palitos de mozzarella, snacks de milho e jalapeños.

    Aberto todos os dias, das 10h00 às 23h00, a Clérigos Tasting Room estende-se por todo o icónico edifício do Passeio dos Clérigos, contando com uma agradável e espaçosa sala interior e uma ampla esplanada. Além das harmonizações, é também possível optar por uma refeição mais completa. A carta divide-se em sopas, saladas, pratos principais – como por exemplo a Francesinha (12€), Prego de novilho (8€) e Açorda de gambas (9€) – e sobremesas – como Brownie de chocolate e Cheesecake Rocky Toffee, que combina caramelo, cacau e nozes (ambos por 3,50€).

    A carta de bebidas convida a descobrir mais sobre o vinho do Porto, com a possibilidade de provar, a copo, diferentes estilos, desde Portos de aperitivo, onde se incluem os refrescantes cocktails Taylor’s Chip Dry Tonic (5€) ou Frozen Croft Pink (5€) até aos Portos mais encorpados, como Taylor’s LBV 2014 (5€) ou Fonseca Tawny 10 Anos (6€). Há também uma seleção de vinhos, cervejas e bebidas espirituosas.

    Morada:

    Clérigos Tasting Room

    Rua das Carmelitas, 151

    Passeio dos Clérigos, Loja A1

    4050-162 Porto

    Horário:

    Diariamente das 10h00 às 23h00

    Contactos para reservas:

    Telf.: 932091603

    E-mail: clerigos.mesa@tresseculos.pt

    Facebook : Clérigos Tasting Room

  • Tomate Coração de Boi do Douro volta a ser estrela nos restaurantes da região

    FESTIM DO TOMATE PARA ATACAR A CRISE

    Não há concurso, mas o festim está de regresso: os melhores tomates Coração de Boi das tradicionais hortas do Douro voltam à prova nos restaurantes referenciais da região. Durante todo o mês de Agosto, qualquer um pode degustar esta iguaria carnuda, suculenta e de sabor único. Na própria região onde é produzido, pois claro.

    O mais diabólico vírus das nossas vidas obrigou-nos a cancelar a V edição do Concurso do Tomate Coração de Boi do Douro, mas tal não significa que tenhamos de prescindir daquele que – a nosso ver – é o melhor tomate criado em Portugal. Até porque, nesta como noutras áreas da alimentação, os agricultores não deixaram de trabalhar para nos alimentar.

    E acontece que o Tomate Coração de Boi do Douro é uma festa e a prova de que o Douro é um terroir abençoado para a produção de inúmeros frutos, além da uva. E é esta a razão pela qual, em tempos de pandemia, 14 restaurantes da região vão colocar nas suas ementas o tomate criado por inúmeros agricultores do Douro, durante todo o mês de Agosto. Aqueles que, por causa da nossa paixão por tomate, recuperaram as velhas hortas do Douro.

    Assim, em saladas ou em pratos especiais concebidos para este mês, qualquer duriense ou visitante pode degustar esta iguaria carnuda, suculenta e de sabor único. Na própria região onde é produzido, pois claro.

    Eis os restaurantes e as suas propostas:

    Aneto & table (Peso da Régua)
    Tomate Coração de Boi com gelado de ervas

    Bistrô Terrace – Quinta do Tedo (Armamar)
    Panna Cotta de queijo da Serra da Estrela com Tomate Coração de Boi caramelizado a baixa temperatura
    Cheesecake de manjericão com compota de Tomate Coração de Boi

    Cais da Ferradosa (São João da Pesqueira)
    Tomate Coração de Boi confitado
    Tosta de alfarroba, queijo de cabra e Tomate Coração de Boi
    Sopa de Tomate Coração de Boi
    Posta de vitela com Tomate Coração de Boi à poveira

    CAISDAVILLA (Vila Real)
    Salada de Tomate Coração de Boi, cebola-nova, orégãos e folhas verdes.
    Salada de Tomate Coração de Boi e queijo mozarela, pesto de manjericão e rúcula selvagem
    Gaspacho de Tomate Coração de Boi, melancia e vieira braseada
    Tataki de atum, húmus de grão-de-bico e granizado de Tomate Coração de Boi
    Lombo de bacalhau confitado e carabineiro braseado
    Brandade e vinagrete de Tomate Coração de Boi

    Cantina de Ventozelo (Quinta de Ventozelo, São João da Pesqueira)
    Salada de Tomate Coração de Boi
    Sopa fria de Tomate Coração de Boi Tarte de Tomate
    Arroz de Tomate Coração de Boi
    Pudim de pão com compota de Tomate Coração de Boi

    CEPA TORTA (Alijó)
    Tomate Coração de Boi em salada a todos os clientes e outras propostas do dia

    Chaxoila (Vila Real)
    Tomate Coração de Boi em salada a todos os clientes e outras propostas do dia

    Cozinha da Clara – Quinta de La Rosa (Pinhão)
    Tomate Coração de Boi da Quinta de La Rosa, burrata e azeite de manjericão

    DOC (Armamar)
    Cherne, Molho fricassé e o Tomate Coração de Boi

    Flor de Sal (Mirandela)
    Creme frio de Tomate Coração de Boi
    Cuscus Transmontanos de Tomate Coração de Boi e Trio de Porco Bísaro
    Tarte de amêndoas e Sorvete de Tomate Coração de Boi

    Pickles – Hotel Six Senses Douro Valley (Lamego)
    Gaspacho de Coração de Boi
    Colheita do dia, texturas tostadas de Tomate Coração de Boi
    Frutas escondidas do Douro Valley e Tomate Coração de Boi

    Taberna do Carró (Torre de Moncorvo)
    Arroz de Tomate Coração de Boi com feijão verde, acompanhado de variados outros produtos
    Migas de Tomate Coração de Boi com ovo
    Tomate Coração de Boi rachado com sal grosso e azeite da Vilariça.
    Salada de Tomate Coração de Boi acompanhado com outros produtos da horta.

    Tasca da Quinta (Régua)
    Salada de Tomate Coração de Boi do Douro

    Toca Raposa (São João da Pesqueira)
    Tomate Coração de Boi com flor de sal e azeite extra virgem
    Sopa de Tomate Coração de Boi
    Arroz de Tomate Coração de Boi com pataniscas de bacalhau
    Açorda de Tomate Coração de Boi
    Tomate Coração de Boi confitado em azeite do Douro
    Milhos de Tomate Coração de Boi e cachaço de porco bísaro grelhado
    Queijo de ovelha com doce de Tomate Coração de Boi do Douro

    Um dos objetivos do Concurso Tomate Coração de Boi foi, por um lado, despertar o interesse dos consumidores que comem com gosto e inteligência pela viagem ao terroir de excelência desta variedade e, por outro, motivar a criatividade da restauração regional para trabalhar este fruto.

    É certo que, hoje, podemos comer Tomate Coração de Boi no Porto ou em Lisboa, mas, temos de admitir, não é a mesma coisa. No Douro o tomate sabe muito melhor. “Agosto já é o mês do Tomate no Douro. Esta época, que antecede o período forte da região, que são as vindimas, está a transformar-se numa verdadeira festa do tomate. A adesão a esta iniciativa, por parte dos restaurantes e do consumidor, tem sido tão extraordinária que estamos a conseguir concretizar o nosso objetivo de aumentar a atratividade do Douro, valorizando outros produtos de excelência para além do vinho, mais rapidamente do que alguma vez imaginaríamos”, sublinha Celeste Pereira, diretora da Greengrape, entidade organizadora do Concurso do Tomate Coração de Boi do Douro. A iniciativa conta com a curadoria do jornalista Edgardo Pacheco.

    Assim, quem vier aos restaurantes aderentes está a contribuir para a revitalização da economia regional em duas áreas fundamentais: agricultura e turismo. É este também um modo de promover o território, a sua diversidade de produto e originalidade.

    Para o ano teremos a festa do costume (e mais algumas surpresas), mas, enquanto tal não acontece, ataquemos a crise com tomates.

  • Esposende ambiciona ser referência gastronómica de peixe e marisco

    Afirmar Esposende como um destino gastronómico de peixe e marisco é o objectivo do Município, numa estratégia que passa pela promoção da gastronomia local, com particular enfoque, numa primeira fase, no robalo.

    Ao abrigo da candidatura desenvolvida no seio das Comunidades Intermunicipais do Cávado, Ave e Alto Minho “Minho Região Europeia da Gastronomia”, Esposende abraça este desígnio com uma forte aposta na gastronomia como forma de captar ainda mais turistas e visitantes ao território.

    Na apresentação da campanha “Onde está o Robalo?”, que teve lugar, o Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira explicou que a estratégia do Município assenta no desenvolvimento económico e na promoção do bem-estar da população, derivando para várias linhas de ação, onde se integra a promoção do território e dos seus produtos endógenos.

    Numa altura em que o setor da restauração se debate com dificuldades decorrentes da pandemia de Covid-19, esta campanha afigura-se como mais um incentivo para reforçar o desenvolvimento económico do concelho, afirmou Benjamim Pereira lembrando que são vários e diversos os mecanismos de apoio ao tecido económico local, a que se junta a recém criada Start Esposende, um espaço de estímulo à iniciativa empreendedora, captação de investimento e apoio ao desenvolvimento das actividades empresariais.

    Enquanto fator de atratividade e de promoção do território, a gastronomia tem merecido uma atenção especial do Município, referiu Benjamim Pereira, apontando o evento “Março com Sabores do Mar” como exemplo e uma aposta ganha. “A gastronomia de Esposende vale como um todo” afirmou o autarca, recusando a ideia de um prato identitário, o que, no seu entender, limita a oferta diferenciadora dos produtos do mar disponíveis. Benjamim Pereira não tem dúvidas de que Esposende há muito é reconhecido como um destino de peixe e marisco, pelo que importa reforçar e afirmar essa caraterística. Assinalou ainda que esta ação se insere na estratégia de valorização e promoção dos produtos endógenos de Esposende, contribuindo também para fomentar as relações comerciais entre os setores da pesca e da restauração.

    O Vereador com as áreas funcionais do Turismo e Desenvolvimento Económico, Sérgio Mano, reiterou que o objetivo do Município passa por construir toda uma identidade gastronómica associada aos peixes e mariscos, criando, desta forma, novas ferramentas para que os empresários locais possam catapultar os seus restaurantes, promovendo este território e toda a sua oferta turística. Clarificou que anualmente será promovido um peixe ou marisco diferentes, assegurando constante dinamização e envolvimento de
    todos no projeto, sendo que o ponto de partida é o robalo.

    Sérgio Mano deu ainda nota de, no âmbito desta estratégia global, estão na forja mais dois projetos; o Km 0, que visa o escoamento dos produtos locais, entre os quais o peixe e os hortícolas, diretamente para os restaurantes, criando uma rede entre produtores e estabelecimentos; e o Certificado de Origem, que conferirá a certificação dos produtos endógenos de Esposende, como a doçaria ou os hortícolas.

    Em representação da CIM Cávado, o primeiro secretário executivo da CIM Cávado, Luís Macedo, saudou o Município pela adesão a esta iniciativa de valorização da gastronomia do Minho e assinalou a capacidade empreendedora do Município. Considerou feliz a escolha do robalo para arranque desta campanha de afirmação da gastronomia local, considerando-o um “programa sedutor que vai identificar Esposende como uma região de excelência”.

    A campanha apresentada aos jornalistas vai decorrer até ao final do mês de Setembro, com um conjunto de ações e de suportes de promoção, englobando também a realização de workshops, com o chefe Marco Gomes e com a nutricionista Elsa Madureira, bem como um evento para influenciadores digitais para apresentação das especialidades da região.

    À questão “Onde está o Robalo?”, que suscitou a curiosidade nos últimos dias, Esposende responde agora que “O Robalo está aqui”, contando com a adesão de 31 restaurantes do concelho, que apresentam diferentes sugestões de confecção do prato.

    Mais informações disponíveis em: www.gastronomia.visitesposende.com.

  • Dona Aninhas Reserva Rosé 2019

    Vinho com uma cor límpida, brilhante, intensidade média, com uma tonalidade salmão, cor de cebola, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade média (+), complexo, frutado, frutos vermelhos silvestres, groselha vermelha, especiarias, chocolate branco , ligeiro pêssego em calda, pimenta branca, salino.

    Na boca é um vinho seco, com uma acidez alta, intensa, álcool médio (12,0º), taninos muito suaves, corpo médio, frutos vermelhos silvestres, com muita frescura, mineral, apimentado, intensidade pronunciada, persistente e secura final que pede comida.

    É um vinho de com um nível de qualidade muito boa, muito elegante, equilibrado, com estrutura, mineral, muita frescura, vibrante e que não entedia, gastronómico, que dá um grande prazer. Pode ser bebido desde já ou guardar mais tempo.


    Castas : Touriga Nacional, Merlot e de Castelão

    A minha nota pessoal: FB 89

    Excelência: 96-100
    Excepcional: 90-95
    Bom/Muito Bom: 80-89
    Mediano: 70-79
    Pobre: 60-69
    Não aceitável: 50-59


    Website : Quinta de São Sebastião

    Ficha Técnica : Dona Aninhas Reserva Rosé 2019

  • Quinta do Crasto distinguida como um dos melhores destinos pela World’s Best Vineyards

    Pelo segundo ano consecutivo, a Quinta do Crasto foi escolhida para integrar o TOP 50 World’s Best Vineyards, uma seleção dos melhores destinos vínicos do mundo. A histórica propriedade do Douro ocupa o 8º lugar do ranking, a melhor classificação portuguesa.

    Há apenas dois nomes portugueses em destaque na segunda edição do World’s Best Vineyards, competição internacional criada pelo prestigiado grupo William Reed, em Londres: a Quinta do Crasto, em 8º lugar, e a Quinta do Noval, em 49º lugar. Os vencedores foram revelados numa cerimónia virtual, na passada segunda-feira, dia 13 de Julho.

    Esta distinção é resultado de uma votação a adegas e vinhas de 18 países, realizada com base na experiência de cerca de 500 dos principais entusiastas do vinho, sommeliers e correspondentes de viagens de luxo de todo o mundo.

    Na justificação das escolhas estão critérios como a arquitetura, as adegas, a paisagem, a variedade da oferta disponível, a gastronomia, o serviço, as boas práticas ambientais e, claro, a qualidade dos vinhos. No caso da Quinta do Crasto, os elogios foram unânimes à riqueza do património histórico e cultural da propriedade, vinhas e adegas, à excelência da gastronomia local e, incontornável, à “piscina infinita”, com assinatura do Arquiteto Souto Moura, “perfeita para derradeira publicação no Instagram, com o majestoso vale do Douro como cenário”.

    Para Tomás Roquette, administrador da Quinta do Crasto, esta “é uma distinção importante para nós, mas também para o Douro, única região portuguesa representada no ranking. A nossa hospitalidade, a qualidade da experiência que oferecemos e a excelência dos nossos produtos continuam a ser os nossos melhores argumentos para reconquistar a confiança dos visitantes e turistas – nacionais e internacionais”.

    O enoturismo da Quinta do Crasto reabriu a 01 de junho, seguindo rigorosamente todas as indicações da Direção Geral da Saúde e do selo “Clean & Safe” do Turismo de Portugal. Os passeios a pé pelas vinhas e adegas, as viagens na clássica Bedford, as provas de vinhos e as refeições no terraço com vista para o rio Douro são alguns dos exemplos da oferta da Quinta do Crasto para os próximos meses.

    Para mais informações sobre os programas disponíveis ou reservas, contactar através do e-mail enoturismo@quintadocrasto.pt ou dos contactos telefónicos +351 254 920 020 (telefone) e +351 934 920 024 (telemóvel). Para saber mais sobre a Quinta do Crasto e os seus vinhos, consultar www.quintadocrasto.pt  ou www.heritagewines.pt

    Website : Quinta do Crasto

  • Adega de Palmela assinala Dia dos Avós com Vale dos Barris Colheita Selecionada Syrah

    Dia 26 de julho, data em que se celebra o Dia dos Avós, a Adega de Palmela convida os mais novos a brindarem em família. Com a chegada do Verão, o Vale dos Barris Colheita Selecionada Syrah (75cl) é ideal para acompanhar com todos os pratos de carne grelhada, caça e queijo de ovelha curado, apresentando uma cor granada intenso. Com aroma a frutos silvestres maduros, compota, complexado com notas de madeira, o sabor macio, com boa estrutura e taninos aveludados, termina com um final de boca prolongado com sugestões de baunilha, café e algumas notas de chocolate: um verdadeiro ex-libris da região de Palmela.

    Para desfrutar esta data, a Adega de Palmela tem disponível na sua loja online, uma campanha exclusiva até ao dia 31 de Julho, em que na compra de 6 garrafas Vale dos Barris Colheita Selecionada Syrah oferece-lhe 2 pelo preço total de 18,76€.

    No Dia dos Avós homenageie aqueles que brindam sempre consigo.

    Website : Adega de Palmela

  • Churchill’s vai ‘Explicar o Porto CRusted em nova Masterclass virtual

    A Churchill’s vai realizar uma nova Masterclass virtual de Vinho do Porto, na quinta-feira dia 30 de julho, às 19h30, sob o tema: ‘Explicar o Porto Crusted’, na sequência da adesão do público às ‘Conversas Virtuais com Enólogos’ lançadas nos meses de confinamento.

    A Churchill’s, produtor de vinhos do Porto e Douro premium, é uma das poucas casas de vinho do Porto que ainda produz o Porto Crusted. “É um estilo que adoramos e valorizamos e que estamos ansiosos por explicar porquê”, diz John Graham, fundador e enólogo principal da empresa.

    John e Ricardo Pinto Nunes, diretor de produção, selecionaram para a Masterclass uma prova vertical de Portos Crusted da Churchill’s dos anos de 2000, 2007 e 2014, para  desvendar as histórias por detrás deste enigmático estilo.

    A degustação será transmitida ao vivo, como habitualmente, no Instagram de Churchill’s, no dia 30 de julho, às 19h30, com possibilidade de colocar questões aos enólogos.

    Os vinhos estão disponíveis para compra online com antecedência – num pack com envio grátis para a maior parte da Europa – para que os apreciadores  possam participar na degustação como se estivessem na sala de provas da Churchill’s em Vila Nova de Gaia. O pack foi projetado especialmente para a prova e para ser apreciado posteriormente, com duas garrafas de cada ano.

    “Esperamos que esta próxima Masterclasse continue a oferecer momentos de educação e diversão para a comunidade do Porto Churchill’s em todo o mundo”,  afirma Zoe Graham, diretora de vendas e marketing da Churchill’s.

    Website : Churchill’s

  • Wine & Soul reabre as portas do Enoturismo com novas Wine Experiences

    As atividades de Enoturismo da Wine & Soul já reabriram com a certificação “Clean and Safe” do Turismo de Portugal, após o recente período de encerramento e com novidades na sua oferta. A Wine & Soul encontra-se pronta para receber todos os que a queiram visitar com todas as medidas de segurança implementadas e o cuidado de sempre. O Selo Clean&Safe é a garantia de que a Wine & Soul cumpre as recomendações da Direção-Geral da Saúde, para evitar a contaminação dos seus espaços com o SARS-CoV-2 (novo coronavírus).

    O enoturismo do Vale do Pinhão possui uma atrativa e bem equipada sala de prova, um terraço com uma belíssima vista, loja de vinhos, proporciona visita guiada às instalações e também às vinhas. Para além das cinco provas disponíveis: Standard, Clássica, Premium, Ícone e Prova de Vinhos do Porto a produtora duriense apresenta novidades nas “Wine Experiences”. As novas ofertas disponíveis são: Visitas às Vinhas, Vinho a Copo, Tapas, Pic-Nic na Quinta da Manoella, Almoço na Quinta da Manoella, Wine Blending, Walking Tour e Day in the Vineyard, todas elas envolventes na paisagem duriense.

    Num destino de nicho diferenciado como é o Douro, a Wine & Soul afirma-se com uma proposta de qualidade no atendimento, nas instalações e claro, na excelência dos seus vinhos.


    Reservas:

    Sugere-se 24h úteis de antecedência, para o email: enoturismo@wineandsoul.com

    Idiomas: Visitas em Inglês, Espanhol, Português.

    Provas: de 20€ a 80€ por pessoa

    Wine Experiences: de 10€ a 140€ por pessoa

    Website : Wine & Soul

  • The Folly: o novo hot spot de Estremoz

    Em pleno coração da histórica cidade branca Alentejana, a adega urbana da Howard’s Folly abre as portas do seu restaurante, sob o tema da criatividade artística

    Localizada no centro de Estremoz, a adega urbana da Howard’s Folly abriu no mês passado as suas portas do seu restaurante contemporâneo, The Folly. Esta abertura veio completar o projeto iniciado em 2018, que inclui adega, restaurante, bar, loja e galeria de arte numa cidade Alentejana em plena expansão turística. 

    A criatividade artística é o tema transversal deste projeto, criado pelo empreendedor e colecionador de arte britânico Howard Bilton e o reputado e premiado enólogo australiano, David Baverstock (ex-enólogo chefe no Esporão), que junta vinho, arte e caridade sob o mesmo teto, com uma adega repleta de obras de arte, um restaurante contemporâneo e uma galeria de arte, através da qual apoia uma fundação para crianças e jovens carenciados.

    A poucos metros do centro da cidade, inserido num edifício que parece um castelo caiado de branco,  The Folly convida curiosos e apreciadores de vinho, residentes e turistas, a provarem os vinhos premium da Howard’s Folly, a tomarem um cocktail – naquele que é provavelmente o bar mais cool da cidade – e descobrirem a cozinha criativa do chef Hugo Bernardo.

    Decorado pelo famoso atelier de arquitetura e design de interiores ARKSTUDIO, o bar e o restaurante têm um ambiente acolhedor e eclético, com detalhes de artesanato local, tal como as tradicionais tapeçarias Alentejanas penduradas nas paredes e os azulejos, bem como obras de arte contemporânea. As amplas salas são inundadas de luz natural graças a um pátio interior, onde se pode jantar ou simplesmente tomar um copo de vinho.

    A paixão pela arte de Howard Bilton é evidente em cada canto. Para além do gigantesco mural de graffiti no interior da adega e da galeria de arte, na torre norte do edifício, encontramos uma coleção de estatuetas coloridas de porquinhos, expostos no restaurante e no bar, que fizeram parte de uma pig parade (desfile de porcos) que Bilton organizou em Hong Kong em 2019 (o ano do porco) e que fez parte de um leilão cujos lucros reverteram para a Sovereign Art Foundation, uma instituições de caridade que ajuda crianças carentes na Ásia.

    Na cozinha do restaurante The Folly, o Chef Hugo Bernardo – apaixonado pela cozinha criativa e pelo heavy metal – reinventa pratos tradicionais portugueses com um toque moderno e colorido, todos eles pensados para serem partilhados.

    Com base na filosofia “da terra para o prato”, o menu está em constante evolução, focando-se nos mais frescos produtos portugueses sazonais, de origem local. Para começar, há uma tábua de queijos da região e enchidos da famosa Salsicharia Canense da Dona Octávia (18€), petiscos tais como os croquetes de alheira com maionese de manjericão (4€), e um prego Alentejano (8,50 €). Os pratos principais incluem um magret de pato com purê de beterraba (14,50€), um fresquíssimo ceviche de robalo (15€) e um bife do lombo servido com lascas de batatas e legumes crocantes (14€). Para a sobremesa, temos doces e suculentos figos que complementam uma tarte de amêndoa (6€) nos meses de verão, uma mousse de chocolate coberta com pedaços de merengue de poejo (5€) e fruta da época transformada num delicioso em crumble (7,50€). Tudo isto é harmonizado com os excelentes vinhos da Howard’s Folly (rosé, branco ou tinto), ou com uma seleção de vinhos de produtores locais, escolhidos a dedo pelo próprio David Baverstock.

    Os petiscos também estão disponíveis no impressionante bar – de 11 metros de comprimento -, onde todos os vinho do menu estão disponíveis a copo, bem como cocktails de assinatura – Negroni, Mojito, Espresso Martini ou um Gin Tonic -, com um twist, para refrescar os dias mais quentes do Alentejano.

    As visitas à adega e as provas de vinho podem ser marcadas através do restaurantes e podem incluir um tour da adega, uma degustação de vinhos Howard’s Folly de sua escolha e serem acompanhadas de petiscos. Os preços das visitas começam a partir de 15 € por pessoa.


    HOWARD’S FOLLY

    Rua General Norton de Matos

    7100-107 Estremoz

    Portugal

    E-mail: bernardo@howardsfollywine.com

    Telefone: + 351 268 332 172

    Website : www.howardsfollywine.com

  • Quinta de S. Sebastião lança Rosé D. Aninhas Reserva

    O Dona Aninhas Reserva Rosé 2019 “é uma homenagem à minha mãe, mas sobretudo um reconhecimento a todas as mães que, com sacrifício da sua vida, criaram, educaram e prepararam os seus filhos para esta difícil viagem que é a vida”, afirma António Parente, proprietário da Quinta de São Sebastião.

    Para esta homenagem, o enólogo Filipe Sevinate Pinto concebeu um rosé clássico e elegante, que reflete o terroir de influência Atlântica da Arruda dos Vinhos.

    Dona Aninhas “viveu praticamente um século, conheceu muitas crises e sobretudo a necessidade de trabalhar a terra para alimentar os seis filhos que criou”, conta António Parente. “Ensinou-nos a respeitar os outros e a valorizar o trabalho como única forma de crescer, a solidariedade como reconhecimento e obrigação, a honestidade e lealdade como regras a respeitar. Não sabia ler nem escrever mas quis que os filhos conhecessem as letras e os números para poderem perceber o que os livros diziam e o custo da vida”.

    Filipe Sevinate Pinto explica que “o rosé Dona Aninhas alia as condições naturais onde é produzido, onde a altitude e a proximidade do mar se destacam, com a evolução e conhecimento adquiridos na última década na produção e comercialização deste tipo de vinhos. É um rosé clássico com muita mineralidade, frescura, profundidade e textura, ao nível do que melhor fazemos na Quinta de S. Sebastião”. 

    Este vinho resulta de um blend das castas Touriga Nacional, Merlot e de Castelão (proveniente de uma vinha velha), de zonas mais frescas e de maior altitude (cerca de 450mt). As uvas foram apanhadas cedo, para manter toda a sua frescura e componente aromática. O início da fermentação foi feito em inox, seguido de fermentação e estágio em barricas usadas de carvalho francês, com bâtonnage durante os primeiros meses. O engarrafamento foi direto da barrica.

    O rosé Dona Aninhas Reserva é um vinho de cor salmonada muito clara, nariz muito complexo com notas especiadas, chocolate branco e pêssego. Na prova é muito estruturado e texturado, seco, com grande frescura e mineralidade.

    Os vinhos da Quinta de São Sebastião são distribuídos em Portugal pela Vinalda, a mais antiga distribuidora nacional de bebidas, fundada em 1947, que coloca no mercado o Dona Aninhas Reserva Rosé a um PVP recomendado de 14,99€ em garrafeiras, bem como no canal HoReCa.

    Ficha Técnica : Dona Aninhas Reserva Rosé 2019

    Website : Quinta de São Sebastião

  • Restaurante Barão Fladgate: a expressão criativa da nova carta de verão

    Com uma sala extensa e um terraço generoso que convidam a desfrutar dos dias quentes e longos de verão, o restaurante das caves Taylor’s desenhou uma carta inspirada nas cores e sabores da estação.

    A vista privilegiada sobre a ponte D. Luís e a paisagem ribeirinha do Porto servem de aperitivo a uma experiência em que gastronomia e vinhos se completam para apelar aos sentidos. O restaurante Barão Fladgate, nas caves Taylor’s, traz cor, sabor e frescura aos dias quentes e convida a desfrutar do seu amplo terraço, cenário perfeito de momentos especiais à mesa.

    O verão sempre serviu de mote à criação. Salvador Dalí concebeu muitas das suas grandes obras a partir da sua casa debruçada sobre o mar, em Cadaqués, na Costa Brava. Van Gogh eternizou as noites estreladas e os campos de trigo amadurecidos ao sol.

    Na nova carta de verão, a criatividade do Chefe Ricardo Cardoso inspira-se no fulgor da natureza e nos sabores da estação para desenhar um menu que seduz o olhar antes mesmo de conquistar o palato. Cada ingrediente é cuidadosamente trabalhado em matizes de cor e diferentes texturas, criando apelativas e apetitosas composições visuais.

    Tal como nas correntes artísticas, também a cozinha do Chefe reflecte influências internacionais, da sofisticação da escola francesa à autenticidade da gastronomia italiana que cruza com a qualidade dos produtos e da cozinha portugueses, numa permuta criativa que nos leva a viajar pelas margens do Mediterrâneo.

    Uma intenção desvendada desde logo nas entradas, com destaque para a Vichyssoise, uma sopa fria com canelone de salmão, vieira do atlântico, mousse de aipo, maçãs em texturas e ovas de lumpo fumadas (12€) e para o Foie gras em duas confeções, presunto de pato, avelãs tostadas, cereja em balsâmico envelhecido, figos macerados em Vinho do Porto Taylor’s e especiarias (18€).

    A carta mergulha no oceano para apresentar uma versão arrojada de Tamboril com gamba selvagem, risotto de chili e lima com ‘coral chips’ de tinta de choco e beurre blanc de lagostim (22€).

    Já nos pratos de carne, também eles pensados ao detalhe e servidos com elevada delicadeza, apresenta-se o Rib eye com crosta de azeitona tojeira, milho baby crocante, couve flor gratinada com cheddar, rostie de pancetta fumada e molho barbecue (28€). Juntam-se ainda o Porco a baixa temperatura, servido com texturas de cenoura, beringela japonesa grelhada, ruibarbo, “madalena” de porco rústico com sementes de sésamo e molho de laranja do Douro (22€) e o Pato com arancini, Campari, amora e balsâmico envelhecido, shitake e tagliolini de espumante de Melgaço e tartufo negro (20€).

    Nas novidades não faltam opções vegetarianas, como por exemplo o Risoto de tomate seco e hortelã (16€) e a Tagliatelle de espinafres, espargos, shitake e chili (18€).      

    Tal como as restantes sugestões, também as sobremesas se apresentam sedutoras aos sentidos. Tão cativante quanto o modo como são servidas é a sua descrição: a nova proposta de Maçã vermelha de chocolate recheada com Thai berry, frutos vermelhos e coulis de Grand Marnier (10€) junta-se à já conhecida combinação Tropical com coco, ananás, frutos tropicais, caju tostado e rum envelhecido, gelado de coco e gelado de piña colada (10€).

    Os novos sabores de verão do restaurante das Caves Taylor’s têm na carta de vinhos um aliado para elevar a experiência ou não fosse esta a casa mãe de uma das mais reputadas marcas de vinho do Porto criada há mais de três séculos. Entre a seleção de vinhos, encontra-se naturalmente uma coleção privilegiada de vinhos do Porto Taylor’s, dos seus premiados Vintages aos Tawnies de idade, perfeitos para uma celebração especial ou simplesmente prolongar boas conversas.

    Para quem procurar uma sugestão mais completa, o Barão Fladgate apresenta um programa conjunto (55€) que inclui a experiência gastronómica e a visita às caves Taylor’s. Para a refeição é sugerido o Menu Taylor’s, em que o vinho do Porto acompanha cada prato, da entrada à sobremesa, mostrando a sua versatilidade. Este programa deve ser adquirido na receção do Centro de Visitas Taylor’s, no dia da visita e do jantar. O valor habitual do Menu (sem visita) é de 54€ e inclui três pratos e três vinhos Taylor’s: Taylor’s Chip Dry Tonic, Taylor’s LBV 2014 e Taylor’s Tawny 10 Anos.

    O Restaurante Barão Fladgate está aberto todos os dias ao almoço (12:30 – 15:00) e ao jantar (19:00 – 22:00). De segunda a sexta-feira, ao almoço, está também disponível um Menu Executivo, renovado a cada semana, com três pratos e um copo de vinho incluído (28€).

    A reserva é, nesta fase, obrigatória através do telefone (223 772 951), e-mail bookings@baraofladgate.pt e sites de reservas habituais.


    Morada:

    Barão de Fladgate nas Caves Taylor’s

    Rua do Choupelo, 250

    4400-088 Vila Nova de Gaia

    Contactos para reservas:

    Telf.: 223 772 951

    E-mail: bookings@baraofladgate.pt


    Website : Restaurante Barão Fladgate

  • Quinta do Ameal lança colheitas de 2019 com nova imagem

    A Quinta do Ameal, propriedade situada no Vale do Rio Lima e pioneira na afirmação da casta Loureiro e da sua capacidade para produzir vinhos brancos de qualidade mundial, acaba de lançar as novas colheitas do Ameal Loureiro 2019 e do Ameal Solo Único 2019.

    Com estes lançamentos, os primeiros desde a aquisição da Quinta pelo Esporão no final do ano passado, os vinhos do Ameal apresentam uma nova imagem, mantendo o espírito da marca – icónica, genuína e irreverente.

    As novas garrafas reflectem um regresso às origens dos vinhos da Quinta do Ameal e os novos rótulos asseguram uma clara hierarquia do portfólio, consistência e alinhamento com a proposta de valor de cada um dos vinhos.

    Para o enólogo José Luís Moreira da Silva, estes dois vinhos procuram refletir as características da casta Loureiro e da sua origem. São 2 vinhos diferentes, com grande potencial de evolução e que revelam a versatilidade desta casta: “Acreditamos que a casta Loureiro tem um grande potencial de experimentação e desenvolvimento. Queremos dar continuidade ao projecto iniciado pelo Pedro Araújo e reforçá-lo, torná-lo um pouco mais próximo das pessoas. Estes dois vinhos reflectem essa intenção, acabando por revelar a versatilidade e capacidade de evolução da casta Loureiro”.

    2019 teve um Outono e Inverno muito chuvosos, a Primavera teve um início idêntico seguindo-se um período mais seco que contribuiu para o bom desenvolvimento dos bagos. Apesar da pressão inicial, foi um ano sem grandes problemas fitossanitários, em que a uva chegou à adega em boas condições e com boa maturação.

    Ameal Loureiro 2019, 20ª colheita deste vinhodemonstra a capacidade desta casta para a produção de vinhos de grande qualidade e capacidade de evolução. Com uma cor citrina clara, este vinho revela-se vibrante, intenso e equilibrado com acidez refrescante.

    A publicação norte americana, Wine&Spirits, atribuiu 93 pontos/Best Buy ao Ameal Loureiro 2019.  Segundo Joshua Greene, o Ameal Loureiro 2019 caracteriza-se por um nariz frutado, com aromas de peras verdes frescas, maduras e prontas para caírem da árvore. Com uma grande intensidade aromática dominada pelos minerais: pedra, flores e sal num impasse tenso, que acalmam com a textura redonda e generosa do vinho. Este vinho é irresistível enquanto jovem e é acessível o suficiente para que valha a pena guardar uma ou duas garrafas para o próximo verão.

    Ameal Solo Único 2019 Loureiro é proveniente de uma única parcela e demonstra a capacidade desta casta para a produção de vinhos com caracter, complexidade e capacidade de evolução. Fermentou e estagiou parcialmente num ovo de betão. É um Loureiro singular e cheio de carácter. De cor citrina clara, é dominado por uma acidez vibrante com um final longo e persistente.

    Ameal Loureiro 2019 | 75 Cl – P.V.P. Recomendado com IVA €8,90

    Ameal Solo Único Loureiro 2019 | 75 Cl – P.V.P. Recomendado com IVA €14,99

    Website : Quinta do Ameal

  • Vicentino Pinot Noir Naked: o novo tinto da Costa Vicentina

    Nascido no Brejão, junto ao mar, este novo Vicentino reflete o espírito livre e descontraído da costa alentejana. 

    Brejão, 13 de julho de 2020 – A irreverência dos vinhos Vicentino já vem desde a origem. Ole Martin Siem, norueguês chegado a Portugal há mais de 30 anos, teve o sonho de produzir vinho em pleno Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, junto ao mar. Envolvidos pela brisa marítima e pelo ecossistema único da costa alentejana, marcado por Invernos frescos e húmidos e os Verões amenos, os vinhos Vicentino têm no Brejão, junto à Zambujeira do Mar, o seu habitat natural e essa proximidade ao Atlântico confere-lhes uma frescura e elegância ímpares.

    É nesta harmonia de contrastes, entre o sol e o mar, a tranquilidade do Alentejo e a força das escarpas, que nasce o novo Vicentino Pinot Noir Naked 2019. Um vinho vibrante, equilibrado e sedutor, que traduz a simbiose perfeita entre esta casta emblemática e o terroir da costa atlântica, numa versão crua e despojada, sem qualquer recurso a barricas.

    Assertivo, desvenda desde logo na cor rubi muito aberta o estilo peculiar de um Pinot Noir desnudado, que surpreende no paladar guloso e persistente. Esta complexa simplicidade torna-o um vinho extremamente elegante e versátil, companhia perfeita de churrascos de Verão, sardinhadas, petiscos depois da praia e conversas prolongadas ao pôr-do-sol, sendo recomendado ser servido fresco.

    Com enologia de Bernardo Cabral, que tão bem conhece a influência atlântica nos vinhos, o Vicentino Pinot Noir Naked 2019 salienta os aromas frutados típicos da casta, os morangos maduros e cerejas, adicionando-lhe a frescura e elegância do terroir de Brejão, onde as vinhas são despertadas pela neblina matinal e as temperaturas amenas permitem uma maturação lenta e equilibrada das uvas.

    Este é um vinho que pretende expressar o espírito livre e descomprometido da Costa Vicentina, em estado puro e em perfeito equilíbrio, tal como a natureza que o vê nascer.

    Website : Vicentino – Vinhos da Costa Atlântica

  • Pias, a revolução em marcha de uma região-fenómeno

    A reservada freguesia de Pias não imaginava que ficaria para sempre gravada na memória de um país. A história desta região conta-se pelas suas cicatrizes, mas também pelo trabalho e a voz das gentes da terra que reclamam a verdade sobre a sua identidade e origem – como é exemplo a Família Margaça.

    Recuemos a 1970, ano em que José Veiga Margaça, natural de Torres Vedras, se estabeleceu no Alentejo como representante de um armazenista de vinhos. Durante a sua estadia, rapidamente percebeu que este era um terroir único e especial, perfeito para concretizar o sonho de se afirmar como produtor de vinhos de elevada qualidade. Partiu numa viagem pela região e, já perto da fronteira, encontrou Pias.

    Nesta pequena e pitoresca freguesia, localizada entre Serpa e Moura, no extremo oriental do Alentejo, adquiriu as primeiras propriedades e fundou, em 1973, a Sociedade Agrícola de Pias. A primeira decisão foi suspender de imediato a produção de vinho a granel, tida, até então, como a atividade principal. De seguida, introduziu novos métodos de viticultura, redesenhou as embalagens e criou novos canais de venda e distribuição, ao mesmo tempo que começou a ocupar cada vez mais terras com vinhas e olivais.

    Enquanto o projeto ainda ganhava forma, Portugal escrevia um dos mais importantes capítulos da sua história com a Revolução de Abril de 1974. Apenas dois anos depois, as terras começaram a ser ocupadas pelos camponeses, por conta do PREC e da Lei da Reforma Agrária, fazendo soar trompetes de vitória e bandeiras da revolução por todo o país, atraindo milhares de pessoas para celebrar esta conquista. No regresso, levavam a memória de Pias em forma de garrafa, dando a conhecer e a provar o seu vinho. O país aprendeu a lembrar o nome de Pias e passou a destaca-lo no mapa, gerando um verdadeiro fenómeno que perdura até aos dias de hoje.

    A ocupação viria a repetir-se anos mais tarde, desta vez em forma de propriedade industrial. Devido ao sucesso atribuído aos vinhos da região, e sem impedimentos legais, a marca “Pias” passou a ser usada indevidamente, gerando falsificações e cópias por todo o país – muitas delas até vindas de outros países. Pias perdia, lentamente, a sua identidade e via a legitimidade da sua origem comprometida.

    Nesta fase, Luís Margaça, terceira geração à frente da Sociedade Agrícola de Pias, atualmente o maior produtor da região, percebeu que “o mais importante não é competir na prateleira contra vinho produzido em massa, vindo da Europa a granel com custos muito baixos e uma qualidade que em nada honra Pias, mas antes fazer a revolução pela origem, informar o consumidor e mostrar a verdade por detrás do rótulo. Queremos promover a nossa cultura e gastronomia, o terroir diferenciador e autêntico, o empenho de várias gerações de famílias que trabalham, até hoje, na vinha e na adega”.

    Por esse motivo, em 2020, a família Margaça recuperou o fôlego e apresentou uma nova estratégia, valorizando não apenas a sua marca, mas sobretudo a região. Nascia assim uma nova marca no universo da Sociedade Agrícola de Pias, em estreia absoluta no mercado: os vinhos “Família Margaça”, uma homenagem ao trabalho desenvolvido por José Veiga Margaça, sua família e às gentes nativas que nunca desistiram de Pias.

    Esta nova gama inclui seis referências que, em comum, partilham a ambição de posicionar os vinhos de Pias no patamar premium. A introduzir esta nova filosofia estão os vinhos Família Margaça Vinha do Furo, nas versões tinto, branco e rosé, seguindo-se os vinhos Família Margaça Reserva TintoFamília Margaça Reserva Branco e Família Margaça Touriga Nacional.

    Em destaque está também a clássica marca “asPias”, cartão de visita do produtor e um dos seus best-sellers devido à imbatível relação qualidade/preço. Os vinhos asPias BrancoasPias Tinto e asPias Rosé mantêm o seu perfil tradicional, agora com uma imagem contemporânea e mais próxima do consumidor moderno.

    Deste intensivo processo de rebranding dos vinhos “asPias”, assinado pelo Atelier Rita Rivotti, nasceu uma Edição Especial, num simbólico manifesto pela origem e identidade da marca. Para isso foram criados vários posters do movimento de revolução que envolvem e protegem as garrafas. Em cada um há uma mensagem que tem como principal objetivo sensibilizar o consumidor para a indevida apropriação da marca no mercado português.

    Edição Especial asPias by Rita Rivotti está disponível apenas na loja online do produtor (www.margaca.com) e limitado ao stock existente.

    Website : Família Margaça

  • As “Happy Hour” no Sicario estão de volta com mais salero do que nunca

    A “buena onda” do Sicario, casa da comida mexicana em Matosinhos, já se faz sentir novamente. Todas as quintas-feiras, e tendo como mote “Al mal tiempo, buena cara”, expressão que convida a ver o lado bom da vida mesmo nos momentos mais desafiantes, é possível usufruir do desconto “dois cocktails por um”, numa Happy Hour que dura das 19h às 21h.

    Entre as criações do restaurante, que apresenta a mais completa coleção de tequila e mezcal, destacam-se a Guerita (6,5€), com Tequila Silver & Reposado, sumo de lima, manga e ananás, malagueta e clara de ovo; a Mezcalita (6,5€), uma saborosa mistura de mezcal fumado e tequila com cointreau, sumo de lima, raiz de gengibre e uma borda de sal preto dos Himalaias; e o Passion Fruit Margarita (6,5€), uma reviravolta no clássico favorito com tequila reposado, sumo de lima, triple-sec e maracujá.

    Às 22h30, não fique surpreendido se a festa subir de tom. Os tradicionais mariachis, que servem de banda sonora ao espaço,  dão lugar a ritmos mais animados. O momento será  assinalado com a oferta de um shot de… tequila sunrise, claro está.

    E há mais uma carta na manga: todas as noites, é possível assistir ao espetáculo de um ilusionista que promete trazer magia a esta verdadeira casa mexicana. 

    Reservas: 227 668 382 ou email reservations@sicario.pt.

    Website : Sicario

  • Quinta do Portal- Sala de Provas de Lisboa, 18 de Julho Sábado às 17H15


    A Sala de Provas de Lisboa, vai receber a  Quinta do Portal, no dia 18 de Julho, Sábado, pelas 17h15.

    O Enólogo Paulo Coutinho apresentará os vinhos da Quinta do Portal.

    Devido às actuais circunstâncias, e mantendo sempre as regras de distanciamento social em vigor, reduzimos a nossa lotação das provas para um limite de 16 a 20 participantes consoante o número de coabitantes na prova.

    De forma a garantir o seu lugar na prova, faculte-nos por favor, o contacto telefónico, nome e email de todas as pessoas que pretenda inscrever na prova.

    Em seguida, irá receber o nosso IBAN, e a sua inscrição só fica confirmada após o envio do comprovativo de transferência.

    Preço da prova: 7€

  • Prova Poças Junior – Sala de Provas de Lisboa, 17 de Julho às 18h30

    A Sala de Provas de Lisboa, vai receber a Poças Júnior, no dia 17 de Julho, sexta-feira, pelas 18h30.

    Pedro Pintão, apresentará os vinhos desta empresa familiar, centenária da região do Douro

    Devido às actuais circunstâncias, e mantendo sempre as regras de distanciamento social em vigor, reduzimos a nossa lotação das provas para um limite de 16 a 20 participantes consoante o número de coabitantes na prova.

    De forma a garantir o seu lugar na prova, faculte-nos por favor, o contacto telefónico, nome e email de todas as pessoas que pretenda inscrever na prova.

    Em seguida, irá receber o nosso IBAN, e a sua inscrição só fica confirmada após o envio do comprovativo de transferência.

    Preço da prova: 7€

  • Esporão No Porto com serviço Take Away

    O Esporão No Porto, localizado na Rua do Almada 501, para além da habitual oferta, passa a ter disponível a opção de Take Away. Com um menu exclusivo inspirado na cozinha tradicional, onde o produto, a região e a estação são elementos centrais, o Esporão No Porto sugere, para todas as opções, os melhores pairings de vinho, cerveja e azeite.

    O menude Take Away do Esporão No Porto inclui várias opções como por exemplo: Escabeche de Coelho, Empada de Rabo de Boi ou Bacalhau na Brasa com Migas. Também poderá levar para casa outros petiscos como a tábua de enchidos fatiados, os queijos da Queijaria do Almada, pão de massa mãe da Padaria Masseira e Broa de Avintes, aos quais poderá juntar, os Azeites, Vinhos e Cervejas do Esporão para acompanhar.

    O restaurante do Esporão No Porto tem uma equipa de cozinha local que, com a liderança e coordenação do chef Carlos Albuquerque, executa pratos descomplicados e genuínos, ideais para acompanhar com os vinhos, azeites e cervejas do Esporão. Para além das provas, almoços e jantares, será possível petiscar durante a tarde e participar em workshops e provas especiais ou fazer compras na Loja deste espaço Esporão. O Esporão No Porto tem esplanada e está aberto de Terça a Sábado.

    As encomendas do Take Away poderão ser efetuadas através do telefone +351 220 190 153, de Terça a Sábado.


    ESPORÃO NO PORTO

    Rua do Almada, 501 – Porto

    Reservas: www.thefork.pt / esporaonoporto@esporao.com / +351 220 190 153

    Encomendas Take Away: +351 220 190 153

    Horário: 3ªfeira a Sábado, das 11h00 às 23h00


    Website : Esporão No Porto

  • Ziggy’s: o novo restaurante virtual de comida para o corpo e alma

    Da mesma família de restaurantes do Sicario – Taqueria Mexicana, nasce um novo conceito de comida saudável entregue ao domicílio. De inspiração mediterrânica, o Ziggy’s propõe pratos saborosos e nutritivos, para desfrutar sem culpas.

    Comida para o corpo e para a alma. Este é o mote do Ziggy’s, novo restaurante virtual da família de restaurantes Sicario – Taqueria Mexicana, criado a pensar em todos aqueles que privilegiam uma vida ativa e refeições práticas e saudáveis, mas cheias de sabor.

    A inspiração vem das margens do Mar Mediterrâneo, numa viagem de sabores, feitos à base de ingredientes saudáveis, equilíbrio nutricional e apontamentos coloridos. A acompanhar a chegada dos dias quentes e longos de verão, o menu Ziggy’s oferece propostas ideais para um piquenique no parque, as marmitas da praia ou uma refeição saudável depois do ginásio.

    A paleta de cores de cada prato é representativa da sua diversidade e riqueza nutricional, reforçada pelos temperos à base de azeite e as ervas aromáticas, como é típico da dieta mediterrânica. 

    Apelidado de “soulful food” (ou, em português, comida para a alma), o menu do Ziggy’s inclui, nas entradas, Sopa de Cenoura (5€), com toque de laranja, Tabbouleh (5,5€), numa versão especial da casa desta salada mediterrânica com pepino, tomate, couscous e ervas frescas e Hummus Habibi (5,5€), receita tradicional da pasta de grão-de-bico, acompanhada por focaccia caseira de azeitona preta.

    Nas saladas, há três opções para uma refeição sem culpas: a Salada Ziggy’s (7€), com mistura de alface e espinafres, tomate cherry confitado, pimento amarelo assado, queijo feta e nozes caramelizadas, que pode ser complementada com Salmão fumado (9€) e ainda uma clássica Salada César (7€), acompanhada de molho caseiro. 

    Práticas e nutritivas, as sanduíches Ziggy’s são feitas com pão focaccia caseiro de azeitona preta, em duas versões: Salmão fumado (12€), com mix de alfaces, pimento amarelo assado e molho especial e Vegetariana (9€) com legumes da estação assados e aromatizados, molho pesto e tomates confitados.

    Os pratos principais são a alma deste conceito e da sua influência mediterrânica, do Frango de Marrakech (12€), com uma mistura deliciosa de especiarias, ameixas e amêndoas ao prato de Kofta My Beiruti (11€), feito de almôndegas com molho de iogurte e acompanhamento de hummus e tabbouleh.

    As sobremesas são feitas de raiz e prometem não comprometer os planos para uma dieta saudável. A Mousse de Iogurte e Chocolate Branco (5€) divide-se em três tentadoras camadas de crumble de amêndoa, mousse de iogurte e chocolate branco e coulis de frutos vermelhos. O Bolo Fudge de Chocolate (4,5€) é perfeito para os apreciadores de cacau e os Gelados e Sorvetes caseiros de manga, amendoim e caramelo e chocolate (5€ cada) prometem refrescar os dias quentes e prolongados do verão.

    Para facilitar a escolha, o Ziggy’s oferece menus combinados, com destaque para o Menu Vegetariano (15€), que inclui Sopa de Cenoura, Sanduíche Vegetariana e Sorvete de Manga ou o Menu Delicioso (15€), que conjuga a entrada de Hummus Habibi, Salada de Salmão Fumado e Mousse de Iogurte e Chocolate Branco.

    Numa primeira fase, as entregas ao domicílio são feitas de quarta a sábado, das 18h às 22h, e domingos, das 12h30 às 18h00, através das plataformas UberEats e Glovo.

  • Espumante Quintas de Melgaço Velha Reserva: o tão aguardado regresso

    Três anos depois, há nova colheita do espumante Alvarinho Quintas de Melgaço Velha Reserva no mercado com apenas 580 garrafas disponíveis.

    Enquanto um dos principais embaixadores da Região dos Vinhos Verdes, a Quintas de Melgaço, projeto único que reúne mais de 530 pequenos e médios produtores do concelho homónimo, já habituou o mercado à casta Alvarinho nas suas mais ousadas facetas. Depois de três anos de stock esgotado, o produtor apresenta o Quintas de Melgaço Velha Reserva 2017, um espumante Alvarinho, elaborado em método Clássico, com estágio mínimo de 36 meses em garrafa.

    É na sala de provas da Quintas de Melgaço que repousam os espumantes até que estejam prontos a servir. Três anos depois da colheita, na hora de abrir a garrafa, o QM Velha Reserva 2017 mostra-se límpido, de cor citrina, com espuma fina e muito delicada. O corpo é cheio, mas a bolha é fina e de cordão persistente. O seu aroma frutado, com notas de laranja e tangerina, é acompanhado de nuances de frutos secos. À mesa, o QM Velha Reserva é um vinho democrático, revelando-se uma excelente companhia para mariscos, peixes ou assados como o leitão ou o cabrito.

    Embora surpreenda pelo tempo de estágio na região dos Vinhos Verdes, este espumante responde completamente aos objetivos futuros da Quintas de Melgaço, que visam elevar o Alvarinho e a região ao lugar cimeiro dos vinhos europeus. “Durante estes 26 anos o nosso compromisso foi sempre para com a qualidade do Alvarinho. Testamos e experimentamos, da vinha à adega, novas expressões da casta em busca de uma qualidade de nível mundial. E, felizmente, estamos a chegar lá. O espumante QM Velha Reserva 2017 é um espumante surpreendente, fiel à Alvarinho, capaz de ombrear com vinhos de topo de todo o mundo”, refere Pedro Soares, o administrador-delegado da Quintas de Melgaço.

    Esta é a grande novidade do portefólio de novas colheitas do produtor para este ano. Do leque de vinhos em lançamento destaca-se ainda o QM Alvarinho 2019 e o QM Rosé 2019.

    Quintas de Melgaço Velha Reserva 2017 : PVP: 49.00€

    Website: Quintas de Melgaço

  • DOC CHEFE RUI PAULA – JANELA SOBRE O DOURO

    O Restaurante DOC Chefe Rui Paula fica situado num local idílico na margem do Rio Douro e na famosa EN 222. Tem uma sala e uma esplanada suspensa sobre o rio, foi nesta que tive o prazer e privilégio de passar uma noite de degustação maravilhosa. O ambiente da esplanada é esplendoroso, com vista para o rio e para os sucalcos das vinhas do Douro, dando um valor acrescentado a toda a experiência.

    Como éramos três, optamos por escolher um menu diferente para cada um, aproveitando assim a possibilidade de provarmos todos os pratos dos três menus disponíveis no restaurante.

    Não posso afirmar qual dos menus é o melhor, são todos encantadores, cada um com as suas particularidades mas tendo sempre como base os produtos da região, com uma apresentação que enche os olhos e abre o apetite.

    Tantos sabores tradicionais da região, do mar, em conjugação com toques de modernidade e encantadora harmonização que nos enchem o palato e a alma de alegria e satisfação. Optei por fazer harmonização com os vinhos propostos, decisão acertada, já que permitiu uma simbiose perfeita entre os pratos e o vinho.

    O serviço foi muito profissional, simpático e agradável, pratos e conceitos muito bem explicados, nos tempos e termos correctos. Vinhos na temperatura ideal, serviço, copos e harmonização na perfeição.

    Foi uma noite cheia de prazeres, uma degustação incrível para repetir com certeza. O Chefe Rui Paula está de parabéns pela criação de pratos cheios de cores e sabores e por um espaço que alia momentos divinais com tudo o que o Douro nos pode dar.

    Menu Essência

    Menu Signature

    Menu Vegetariano

    Website : DOC Chef Rui Paula

  • A tábua de queijos perfeita para este Verão – Queijos São Jorge DOP, São Miguel e Prato curado Ilha AzuL

    Com o verão chegam os dias mais longos, as férias e os reencontros com a família e amigos em segurança. E para aproveitar o melhor desta estação, a LactAçores sugere a tábua de queijos de São Jorge DOP, São Miguel e prato curado Ilha Azul para petiscar num piquenique, praia ou mesmo na varanda e apreciar os sabores genuínos das belas ilhas de São Jorge, São Miguel e Faial.

    Sobre a tábua de Queijos São Jorge DOP, São Miguel e prato curado Ilha Azul

    A Mariquinhas foi à Ilha de São Jorge e conheceu o lendário Queijo São Jorge DOP com mais de 500 anos de história. Foi amor à primeira vista, apesar da diferença de idades. Como não se conseguiu decidir por qual gostava mais, trouxe consigo o Queijo São Jorge DOP de 4, 7 e 12 meses de cura. Uma combinação provável com o conjunto São Jorge DOP acompanhado por um Licor de Ginja Mariquinhas num kit com 3 mini queijos São Jorge DOP com curas de 4, 7 e 12 meses e um licor.

    Inspirado no mais puro da natureza da bela ilha de São Miguel, o reconhecido queijo de “casca preta” – queijo São Miguel – é um produto único com aroma forte e limpo, de pasta semidura, obtido a partir de leite de vaca pasteurizado, apresentando uma cura mínima de 9 meses.

    Produzido na encantadora ilha do Faial e proveniente de leite de vaca pasteurizado, o Queijo Prato curado Ilha Azul é um queijo curado de pasta semidura muito saboroso.

    Estes produtos podem ser encontrados nas lojas da SONAE, Minipreço, E. Leclerc, El Corte Inglés e Auchan.

    Aproveite bem os momentos ao ar livre com os sabores dos Açores.

    Sobre a LactAçores:

    A LactAçores é uma empresa que visa enaltecer a origem dos lacticínios açorianos, unindo cooperativas açorianas de renome, partilhando sinergias e celebra 16 anos de história este ano. A LactAçores é formada pela união de três cooperativas: Unileite (Ilha de São Miguel), Uniqueijo (Ilha de São Jorge) e CALF (Ilha do Faial). A LactAçores comercializa em exclusivo os lacticínios produzidos pelas cooperativas, tais como leite, natas, queijo e manteiga.

    Website : LactAçores

  • Quinta Dona Matilde Branco 2019

    Vinho com uma cor límpida, brilhante, intensidade média, com uma tonalidade amarela citrina, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade pronunciada, floral, perfumado, flores brancas, citrinos, frutas tropicais, ananás, pêssego polpa branca, erva verde, notas de anis e pimenta branca.

    Na boca é um vinho seco, com acidez média (+), intensa, fina, álcool médio (+) (14,0º), corpo médio (+), estruturado, enche a boca, frescura, ligeira adstringência, frutado, citrino, anisado, picante, textura mineral, sedoso, amplo, de intensidade pronunciada, com um final seco e agradável amargo final, longo e muito persistente.

    É um vinho de com um nível de qualidade excelente, perfumado, muito elegante, equilibrado, com muita estrutura, citrino, cheio de frescura, aveludado, apimentado, gastronómico, criando uma grande envolvência na boca, que dá um enorme prazer. Pode ser bebido desde já ou guardar muito mais tempo.


    Harmonização


    Castas : Arinto, Viosinho, Rabigato e Gouveio

    A minha nota pessoal: FB 91

    Excelência: 96-100
    Excepcional: 90-95
    Bom/Muito Bom: 80-89
    Mediano: 70-79
    Pobre: 60-69
    Não aceitável: 50-59


    Website : Quinta Dona Matilde

    Preços : Quinta Dona Matilde Branco 2019

    Ficha Técnica : Quinta Dona Matilde Branco 2019

  • Provar o Porto em Lisboa: Taylor’s Port reabre sala de provas e loja

    Se tem curiosidade para saber mais sobre o vinho que leva o nome de Portugal a todo o mundo, aproveite a reabertura da sala de provas e loja Taylor’s Port para conhecer e provar diferentes estilos de vinho do Porto e até algumas edições especiais e raras no mercado.

    No mundo do vinho do Porto, saber esperar é uma virtude. Respeitar os ciclos da natureza, honrar o tempo do vinho, desfrutar lentamente cada cálice. Depois de um tempo de pausa devido ao contexto COVID-19, a Taylor’s Port faz o convite para redescobrir este ex-libris de Portugal e prepara a reabertura da sua sala de provas e loja, em Alfama, Lisboa, a 25 de junho.

    A reputada casa de vinho do Porto adaptou os seus espaços às recomendações da Direção-Geral de Saúde e do Turismo de Portugal, para dar a conhecer e a provar os seus melhores vinhos, incluindo a mais recente edição comemorativa do 50º aniversário do lançamento do seu primeiro LBV – Late Bottle Vintage 2015 (15€/garrafa) em mais um exemplo de como o tempo é amigo da perfeição.

    De janelas abertas para o Rio Tejo, a Taylor’s em Lisboa reabre a 25 de junho, de quinta a segunda-feira, das 14h00 às 20h00. Além de loja, o espaço funciona como Sala de Provas, disponibilizando uma ampla carta de vinhos a copo e experiências comentadas, permitindo provar e conhecer diferentes estilos de vinho do Porto. Localizada ao lado do emblemático Chafariz D’El Rei, na encosta do bairro de Alfama, o espaço de provas divide-se em três amplas salas e uma pequena esplanada ao ar livre.

    A carta inclui uma seleção de 15 vinhos do Porto a copo, a partir de 5 euros, entre os quais algumas edições históricas da casa, como Taylor’s Quinta de Vargellas Vintage 2015 (10€) ou o Taylor’s Vintage 1994 (34€). Para quem quiser aprofundar o conhecimento sobre a marca, sugere-se a “Introdução à Taylor’s” (40€), uma prova de 5 vinhos que representam o perfil da casa – Taylor’s Chip Dry, Taylor’s LBV, Taylor’s Tawny 20 anos, Taylor’s Quinta de Vargellas Vintage 2015 e Taylor’s Vintage 2009.  

    A chegada do bom tempo poderá também ser o pretexto perfeito para experimentar os cocktails de assinatura, como o Taylor’s Chip Dry Tónico ou o Croft Pink Granizado, ambos por 6 €.  

    Para acompanhar, há uma seleção de petiscos, entre os quais o azeite Quinta de Vargellas, acompanhado por pão (8€), seleção de queijos portugueses (15€), seleção de enchidos portugueses (14€), as tradicionais amêndoas torradas (4,5 €) ou, nos doces, trufas de chocolate negro (5 €) ou o inevitável pastel de nata (1€). 

    Morada:

    Rua Cais de Santarém 6-8, 1100-104 Lisboa

    Contactos e reservas:

    Telf.: 218 863 105

    E-mail: lisbon@taylor.pt

    Horário:

    De quinta a segunda-feira, 14h00 às 20h00

    Website : Taylor’s Port

  • “No Tacho” com o encanto de Coimbra

    O restaurante “No Tacho” é um espaço acolhedor, situado na Rua da Moeda Nrº 20 em Coimbra. Foi uma agradável surpresa que possibilitou reviver antigos sabores que há muito tempo estavam esquecidos.

    A ementa não é muito longa, mas as opções são diversificadas e todas muito apelativas. A lista de vinhos é variada, com ênfase nos vinhos da Bairrada e Dão, é claro.

    Eu tenho que confessar que fui ao restaurante no “No Tacho” por recomendação e com especial atenção aos arrozes. Eis então as nossas escolhas:

    As entradas

    Favas estoiradas com Chouriço e Ovo Escalfado

    Peixe da nossa costa com Alecrim e Manga

    Salada Quente de Polvo do Algarve e ervas aromáticas

    As três com sabores distintos e muito agradáveis. As favas estoiradas são uma entrada mais rústica, cheias de sabores da terra.  O ceviche cheio de frescura e acidez, que refrescou o palato criando vontade para atacar o Polvo. Salada de Polvo com o protagonista no ponto, com uma textura incrível e agradáveis ervas aromáticas.

    Os pratos

    Arroz de Entrecosto em Vinha D’Alhos

    A expectativa era grande, mas não saiu gorada. Que sabor, que intensidade, arroz no ponto, tudo me fez lembrar velhos tempos, em que o meu avô nascido e criado na região da Beira Alta fazia uns rojões de porco em vinho num tacho de barro com toda a paciência e carinho, enchendo-me a alma de alegria e felicidade, de comer e ansiar por mais.

    Arroz de Fumeiro

    Depois do arroz de entrecosto, mais um arroz cheio de sabores de fumeiro, que me remeteu para o fumeiro da minha avó, muito rústico, cheio de fumados dos chouriços que eram curados por cima da lareira, com os aromas de madeira de pinho e que lentamente iam ficando no ponto para serem comidos.Tantas recordações reavivadas.

    As sobremesas

    Pudim de Gemas e Vinho do Porto

    Cheio de suavidade e sabor, com várias texturas, com o queijo ralado a cortar a doçura e a criar equilíbrio entre o doce e o salgado, maravilhoso, requintado e viciante.

    Gelado de Framboesa e Abacaxi dos Açores com hortelã

    Rematou o final da refeição, trazendo a frescura e acidez da fruta para equilibrar o palato.

    Conclusão

    Um restaurante cheio de encanto, serviço de excelência, boa lista de vinhos e copos, com pratos cheios de sabor e originalidade, aproveitando os produtos e costumes da região, tudo acompanhado com um Quinta da Bágeiras Garrafeira Branco 2016, que harmonizou na perfeição todos os pratos. A repetir sempre que passar por Coimbra e experimentar os outros pratos que ficaram por provar.

    Website : No Tacho

  • Quinta das Carvalhas reabre enoturismo e aposta no privilegiado terraço sobre o rio Douro

    Situada na margem esquerdo do rio Douro, junto à vila do Pinhão, a Quinta das Carvalhas é a mais emblemática propriedade da Real Companhia Velha e ponto de descoberta desta que é região Património da Humanidade pela UNESCO. Depois da pandemia de Covid-19, é tempo de recomeçar e reestabelecer a normalidade possível, reabrindo as portas ao enoturismo, que inclui uma oferta diversificada de programas – das exclusivas Vintage Tour às visitas em sightseeing –, a loja de vinhos e o ‘Carvalhas Terrace’, espaço privilegiado sobre o rio Douro, onde a degustação de vinhos é complementada por petiscos.

    A poucos metros da ponte do Pinhão e da entrada da Quinta, o ‘Carvalhas Terrace’ é um espaço exterior, com um aprazível ambiente de sombra e jardins, situado sobre o rio Douro. Inaugurou há cerca de um ano com capacidade para 80 pessoas, número que é agora reduzido para metade, cumprindo-se as normas da DGS. Um lugar idílico e ainda mais exclusivo, em que o Douro nos percorre dos pés à cabeça, com o rio e a natureza vínica em redor. Um cenário privilegiado onde a Real Companhia Velha vai promover provas de vinhos, a solo e/ou em harmonização com tábuas de queijos, enchidos e outras iguarias da região, numa parceria com a Garçon Douro.

    No que toca aos vinhos, apenas servidos a copo, o destaque é para a gama Carvalhas, da qual fazem parte o Vinhas Velhas tinto (€8,50), o Tinta Francisca (€7,00), o Touriga Nacional (€7,00) e o Branco (€6,00), e para os Portos, com valores de €4,00 a €15,00. Os apreciadores de espumante, que são cada vez mais, podem optar pelo recém-lançado ‘Real Companhia Velha Pinot Noir rosé’. Há ainda três opções de provas conjugadas: ‘Quinta das Carvalhas’ (€19,00), ‘Porto – Clássica’ (€19,00) e ‘Porto – À Descoberta’ (€12,00). Estes e outros vinhos DOC Douro e Porto, do vasto portefólio da Real Companhia Velha, podem ser comprados na loja, ao lado do ‘Carvalhas Terrace’. 

    Para harmonizar, uma selecção de queijos de cabra e ovelha e enchidos típicos da região, apresentados “ao natural” – salpicão e presunto de Lamego ou de porco preto – ou “na grelha” – alheira, moira ou morcela, chouriça e misto de fumeiro. Pão, azeitonas e ‘Quinta das Carvalhas Azeite Virgem Extra’ não vão faltar! Os valores variam entre os €2,00 e os €25,00.

    Nesta primeira fase de desconfinamento, o enoturismo da Quinta das Carvalhas estará aberto aos fins-de-semana, entre as 13h00 e as 19h00, sempre com marcação e mediante disponibilidade. Avançar-se-á para uma extensão de horário, até à reabertura nos horários habituais (indicados nos programas abaixo), à medida que formos regressando à normalidade turística. 

    Quinta das Carvalhas: a propriedade e a sua história

    Quinta das Carvalhas situa-se em Ervedosa do Douro, no concelho de São João da Pesqueira, tendo uma posição predominante na encosta da margem esquerda do rio Douro virada para o Pinhão. Cobre toda a colina, estendendo-se até ao topo – que é ocupado pela “Casa Redonda”, uma casa de hóspedes visível a quilómetros de distância – e ocupa também uma parte da encosta superior da margem direita do rio Torto.

    Uma propriedade de enorme beleza e espectacularidade cuja referência escrita mais antiga que se conhece data de 1759, embora tenha sido mais recente a sua expansão para os actuais 515 hectares, através da aquisição e posterior emparcelamento de diversas propriedades subjacentes. É, desde a década de 1950, pertença da família Silva Reis, proprietária da Real Companhia Velha, empresa produtora de vinhos do Porto e Douro, fundada em 1756 por Alvará Régio D’el Rei D. José I e a mais antiga empresa portuguesa em actividade.

    Esta é uma das mais emblemáticas propriedades durienses, sendo considerada por muitos a quinta “imagem do Douro”, porque permite uma amostragem do território e do que mais belo o Douro tem para mostrar: dificilmente num outro local se consegue ver tanto em tão pouco tempo. No topo do “monte das Carvalhas”, a 550 metros de altitude e desfruta-se de uma paisagem a 360 graus e é, sem dúvida, o ponto de “excelência” para a observação propriedade (e do Douro).

    A Quinta das Carvalhas é também um belíssimo exemplo de agricultura sustentável, onde são aplicadas técnicas de viticultura pró-orgânicas, promovendo a biodiversidade e harmonia no ecossistema. Visitar a Quinta das Carvalhas é ver o Douro por dentro – com os trabalhos da vinha (como a poda, a escava ou a vindima), a apanha da azeitona ou a reconstrução dos tradicionais muros de xisto – e dos melhores ângulos da sua paisagem. É ver vinhas com mais de 80 anos e encostas com 70 graus de declive; é admirar os rios Douro e Torto; é desfrutar de fauna e da flora em simbiose: pela Quinta das Carvalhas, para além de vinha, estão espalhadas zonas de mata, floresta, olival e jardins, construídos com pedras de granito antigas e esteios de xisto e onde foram plantadas várias espécies de flores, plantas e ervas aromáticas.

    ENOTURISMO NA QUINTA DAS CARVALHAS

    VINEYARD GUIDED TOUR

    Faça uma visita guiada à Quinta das Carvalhas e sinta de perto a singularidade do Douro. Conheça a história do vinho, ao mesmo tempo que desfrutado contacto directo com a natureza – na vinha, na mata mediterrânica e nos jardins desta emblemática propriedade – e com as pessoas que ali trabalham. Regresse ao ponto de partida para se deliciar com uma prova de ‘Carvalhas’ branco, tinto e um cálice de vinho do Porto, harmonizados com uma tábua de queijos e enchidos locais.

    Preço (com IVA): €35,00 (adultos) | €5,00 (crianças 4-11 anos) | grátis (crianças até 3 anos).

    Datas: Todos os dias, excepto 24 a 26 e 31 de Dezembro; e 01 de Janeiro – mediante marcação.

    Horários: A partir das 10h00.

    VINTAGE TOUR

    Álvaro Martinho é o agrónomo responsável pela viticultura da Quinta das Carvalhas. Duriense de corpo e alma, tem nesta Quinta a sua segunda casa, conhecendo-a como a palma da sua mão. Visitar as Carvalhas na companhia do carismático Álvaro, vai revelar-se uma experiência genuinamente diferente e única no Douro, e no Mundo! Com ele vai, não só, aprender sobre o terroir da região e a cultura das suas vinhas, mas também descobrir uma peculiar forma de interpretação da biodiversidade, das castas autóctones e das gerações de pessoas que fizeram do Douro uma referencia mundial. No final desfrute de uma prova Premium, da gama ‘Carvalhas’ (o branco e os tintos de Tinta Francisca, Touriga Nacional e Vinhas Velhas), acompanhada de uma tábua de queijos e enchidos e, para rematar, um cálice de vinho do Porto.

    Preço (com IVA): €90,00 (adultos) | €5,00 (crianças 4-11 anos) | grátis (crianças até 3 anos).

    Upgrade: caso a prova seja feita na ‘Ruína’, acresce um suplemento de €15,00 por pessoa (este é um espaço de eleição “plantado” entre socalcos e Vinhas Velhas.

    Datas: Mediante marcação.

    Horário: A partir das 10h00.

    A RUIN WITH A VIEW

    Adicione um plus à visita Vineyard Guided Tour ao eleger a ‘Ruína’ – um espaço com memória de uma antiga Quinta –

    para uma prova de vinhos ao ar livre, acompanhada de queijos e enchidos. Por entre socalcos e Vinhas Velhas, aprecie a paisagem e a ligação umbilical entre a terra e a vinha. Aqui, o convite é para que alimente os sentidos com os topos de gama ‘Carvalhas’ branco e tinto de Touriga Nacional, assim como um cálice de vinho do Porto.

    Preço (com IVA): € 45,00 (adultos) | € 5,00 (crianças 4-11 anos) | grátis (crianças até 3 anos).

    Datas: Todos os dias, excepto 24 a 26 e 31 de Dezembro; e 01 de Janeiro – mediante marcação.

    Horário: A partir das 10h00.

    HARVEST EXPERIENCE

    Mais do que um dia bem passado no Douro, queremos que viva uma experiência inesquecível. Assim, convidamo-lo a reunir um grupo de amigos, com o objectivo de celebrar as vindimas no universo da Real Companhia Velha. A jorna(da) começa na emblemática Quinta das Carvalhas, junto ao Pinhão, onde à apanha da uva se segue o almoço, depois do qual é tempo de viajar até à Quinta do Casal da Granja, em Alijó, onde há pisa a pé nos tradicionais lagares de pedra. Não sem antes se visitar o centro de vinificação da empresa. A celebração é feita com vinhos do Douro e do Porto.

    Preço (com IVA): € 85,00 (adultos) | grátis (crianças até 3 anos).

    Datas: Exclusivamente em época de vindimas, com reserva obrigatória e mediante disponibilidade.

    Horário: Todo o dia, com início às 10h00

    CAMINHADAS

    Na Quinta das Carvalhas os percursos a pé são vários e podem ser definidos em função de cada grupo, dependendo da idade, vontade de caminhar e até do seu ânimo. Sob o mote “Caminhar pelo Douro, um prazer inesquecível!”, a Real Companhia Velha convida para um momento de lazer em harmonia com a natureza. Após concluído o percurso, brinde com um cálice de Vinho do Porto.

    Preço (com IVA): €10,00 (adultos) | €5,00 (crianças 6-12 anos) | grátis (crianças até 5 anos).

    Datas: Todos os dias, excepto 24 a 26 e 31 de Dezembro; e 01 de Janeiro

    Condições: Reserva obrigatória e mediante disponibilidade.

    Horários: 10h00 às 12h00; 14h00 às 16h00; 16h00 às 18h00 (este último horário entre Março e Outubro).

    ROYAL BUS SIGHTSEEING TOUR

    Conheça a Quinta das Carvalhas a bordo de um minibus descapotável. Com partida do Pinhão, este Royal Bus Sightseeing Tour leva-o a descobrir cantos e os recantos até chegar à “Casa Redonda”. Uma experiência ímpar e que lhe oferece a possibilidade de fotografar o valo do Douro Vinhateiro, numa viagem única! No final, e chegado à loja, delicie-se com uma prova de vinho do Porto ‘Quinta das Carvalhas’ Reserva Tawny e Ruby

    Preço (com IVA): €12,50 (adultos) | €5,00 (crianças 4-11 anos) | grátis (crianças até 3 anos).

    Condições: O minibus tem capacidade máxima de 20 pessoas.

    Datas: Maio a Setembro: de quarta-feira a Domingo;Outros meses: mediante marcação.

    Horário: 10h00 às 12h00; 15h00 às 17h00.

    LOJA E PROVA DE VINHOS

    Na loja de vinhos da Quinta das carvalhas encontra a grande maioria dos vinhos do Douro e do Porto da Real Companhia Velha, que aqui podem ser provados e adquiridos. Em 2016, esta loja foi complementada com uma reservada sala de provas.

    Datas: Todos os dias, excepto 25 e 26 de Dezembro; e 01 de Janeiro.

    Horários: Primavera/Verão – 10h00 às 13h00 e 14h00 às 19h00; Outono/Inverno -14h00 às 18h00.

    Sobre a Real Companhia Velha:

    A Real Companhia Velha é a mais antiga e emblemática empresa de vinhos de Portugal, a passar os 260 anos de existência e de actividade ininterrupta ao serviço do vinho do Porto. Para trás, fica o registo de uma história fabulosa e de um passado glorioso. Para o futuro, permanece a vontade de manter um elevado padrão de qualidade dos seus vinhos e a confiança numa Companhia onde o rigor e a visão de fazer ainda mais história são uma preocupação constante. Com 540 hectares de vinha, distribuídos pela Quinta das Carvalhas, Quinta dos Aciprestes, Quinta de Cidrô, Quinta do Síbio e Quinta do Casal da Granja, a Real Companhia Velha é há muito um símbolo do melhor que se faz em Portugal. 65% da produção desta casa histórica é para exportação.

    Website : Real Companhia Velha

  • Quinta dos Murças e Quinta do Ameal: Refúgios para férias

    As casas da Quinta dos Murças e da Quinta do Ameal estão prontas para receber pequenos grupos ou famílias. Foi preparada uma oferta de alojamento exclusiva, de forma a garantir o cumprimento de todas as medidas de higiene e segurança, permitindo uma experiência única de cada uma das quintas.

    Quinta dos Murças, localizada na margem direita do rio Douro, entre a Régua e o Pinhão, caracteriza-se pela diversidade dos seus terroirs e da mata mediterrânica que a envolve. Esta quinta histórica, onde foi plantada a primeira vinha vertical do Douro em 1947, possui uma Casa composta por 5 quartos, sala com varanda para o Douro, cozinha e jardim com piscina, que lhe dão uma oportunidade de estar e família e com todo o conforto. As provas de vinho, os trilhos, os piqueniques, as idas à horta e os passeios no barco solar são algumas das experiências proporcionadas por esta Quinta.

    Quinta do Ameal, localizada no vale do rio Lima, oferece uma experiência de conforto e genuína, com um conjunto de actividades em harmonia com a área envolvente. Com 30 hectares de verde, 14 dos quais compostos por vinha da casta Loureiro, esta Quinta dispõe de 5 Suites, com cozinha e sala em open space, que oferecem privacidade e a tranquilidade que procura numas férias. A Casa Grande tem 3 suites com entrada exterior independente e a Casa da Vinha é composta por duas suites. Além do acesso às áreas comuns da quinta, jardins e piscina, os visitantes podem realizar provas de vinho, actividades aquáticas no rio e passeios na eco-via com mais de 40 km ao longo do rio Lima. 

    A Quinta dos Murças e a Quinta do Ameal têm o selo Clean & Safe e adoptam as recomendações da Direcção-Geral da Saúde e da Organização Mundial da Saúde.

    Reservas:

    Quinta dos Murças – através do email reservas.murcas@esporao.com ou do número +351 934 550 006

    Preço Casa (ocupação máxima 10 pessoas) 900€/dia

    Pequeno-almoço incluído, piscina, jardim

    Quinta do Ameal – através do email reservas.ameal@esporao.com ou do número +351 916 907 016

    Preços das suites desde 240€/dia

  • IVDP PROPORCIONA 1ª FORMAÇÃO ONLINE SOBRE VINHO DO PORTO PARA PROFISSIONAIS

    SOB O LEMA “SABER SERVIR, VENDER MELHOR” 

    IVDP PROPORCIONA 1ª FORMAÇÃO ONLINE SOBRE VINHO DO PORTO PARA PROFISSIONAIS 

    PARTICIPANTES TERÃO DIREITO, GRATUITAMENTE, A 5 GARRAFAS DE VINHO QUE SERÃO APRESENTADOS NA 1ª FORMAÇÃO ONLINE DO INSTITUTO

    O Instituto dos Vinhos do Douro e Porto, I.P. (IVDP) pretende reforçar a formação dos profissionais da resturação e hotelaria sobre o Vinho do Porto e, para esse fim, fará a primeira formação online – “SABER SERVIR, VENDER MELHOR” – para esses profissionais, no próximo dia 6 de -Julho, pelas 10h.

    Para lá da formação, a iniciativa tem como objectivo a pedagogia e sensibilização de públicos profissionais, professores e alunos e intermediários de consumo, para que possam, através da sua ação e junto do consumidor final, sensibilizar o consumo e a promoção dos vinhos do Porto.

    Todos os formandos terão direito a receber em sua casa, sem custos, 5 garrafas com os 5 vinhos que serão apresentados durante a formação, bem como o respectivo certificado de participação.

    As sessões decorrerão via plataforma Zoom e serão aceites um máximo de 10 participantes por sessão, entre as várias que o IVDP pretende levar a cabo no futuro.

    As inscrições para esta 1ª sessão estão já abertas e terminam no próximo dia 23 de Junho.

    Mais informações sobre a inscrição: AQUI

  • OnWine.pt: aprender a fazer cocktails à base de Vinho do Porto

    Na entrada do verão, a www.onwine.pt criou uma campanha especial dedicada ao Vinho do Porto, reinventando algumas receitas clássicas de cocktails. Os habituais cabazes incluem todos os ingredientes necessários para que se possa tornar num verdadeiro barman, sem ter de sair de casa.

    A partir de hoje, a loja online da OnWine, com sede em Vila Nova de Gaia, vai partilhar um conjunto de receitas de cocktails para fazer em casa. O ingrediente chave é o Vinho do Porto, numa parceria com a The Fladgate Partnership, detentora das marcas Taylor’s, Croft, Fonseca e Krohn.

    Os novos cabazes da loja online são compostos por todas as bebidas que constituem cada cocktail, a preços promocionais, e incluem ainda vídeos explicativos, disponibilizados nas redes sociais da loja, para que a preparação seja ainda mais simples e rápida. O objetivo é dar a conhecer a versatilidade do Vinho do Porto e novas formas de o consumir, descomplicando-o e atraindo um público mais jovem.

    A primeira proposta é o Porto Negroni. Para esta receita clássica, a OnWine sugerea substituição do tradicional vermute pelo Taylor’s Fine Tawny, ao qual se junta o gin Tanqueray Ten e o famoso licor italiano Campari. Recomenda-se que seja servido fresco, com gelo, e decorado com uma fina casca de laranja.

    Como alternativa, pode optar por um refrescante Porto Lemonade. Para tal, basta juntar ao Fonseca Bin 27 a Vodka Absolut Citron e algum sumo de limão, para uma dose extra de frescura. Para melhorar a experiência, servir num copo alto, com gelo e uma rodela de limão.

    Desde o início da pandemia de Covid-19 que a loja www.onwine.pt reforçou a sua equipa para dar resposta rápida a todos os clientes e garantir entregas em menos de 48 horas. Uma solução prática também para quem este ano optou por passar férias em casas privadas ou lugares mais isolados, já que as entregas são asseguradas para qualquer ponto do país.

    Lista completa de cocktails com Vinho do Porto:

    Porto Pink & Tonichttps://www.onwine.pt/conjuntos-selecionados/porto-pink-tonic

    Porto Dry & Tonichttps://www.onwine.pt/conjuntos-selecionados/porto-dry-tonic

    Porto White & Tonichttps://www.onwine.pt/conjuntos-selecionados/porto-white-tonic  

    Porto Negronihttps://www.onwine.pt/conjuntos-selecionados/porto-negroni

    Thompson and Crofthttps://www.onwine.pt/conjuntos-selecionados/thompson-and-croft

    Bob’s your Unclehttps://www.onwine.pt/conjuntos-selecionados/bobs-your-uncle

    Ruby Sparklinghttps://www.onwine.pt/conjuntos-selecionados/ruby-sparkling

    Porto Lemonadehttps://www.onwine.pt/conjuntos-selecionados/porto-lemonade

  • Coelheiros Chardonnay 2016

    Vinho com uma cor límpida, brilhante, intensidade média, com uma tonalidade amarela citrina, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade pronunciada, frutado, ananás verde, nozes verdes, floral, flores brancas, erva verde, ligeira madeira tostada.

    Na boca é um vinho seco, com uma acidez alta, intensa, álcool médio (+) (14,0º), ligeira adstringência, corpo médio (+), untuoso, citrino, fruta polpa branca, ameixa branca, mineral, textura calcária, intensidade pronunciada e secura final que pede comida, longo e persistente.

    É um vinho de com um nível de qualidade excelente, muito elegante, equilibrado, com estrutura, mineral, com uma agradável textura, muita frescura, vibrante, gastronómico, madeira muito bem integrada, que dá um grande prazer. Pode ser bebido desde já ou guardar mais tempo.


    Castas : Chardonnay (100%)

    A minha nota pessoal: FB 90

    Excelência: 96-100
    Excepcional: 90-95
    Bom/Muito Bom: 80-89
    Mediano: 70-79
    Pobre: 60-69
    Não aceitável: 50-59


    Preços : Coelheiros Chardonnay 2016

    Ficha Técnica : Coelheiros Chardonnay 2016

  • “Vamos puxar a brasa… à nossa casa”

    Este ano, pela primeira vez em muitas décadas, os Santos Populares não vão ter as suas festividades habituais. Vamos ter uma memória especial deste ano mas tentar que, dentro das condicionantes que vivemos, seja a melhor possível! A pensar nisso, o projecto The Art of Tasting Portugal, concebido pela Chefs Agency, desafiou a restauração nacional das duas cidades que mais vivem estas festividades, a criar petiscos inspirados nos sabores desta época, tão nacionais, em versão “take-away”, para que os Portugueses consigam ter o seu próprio arraial em casa.

    Assim, de 8 a 14 de Junho, em Lisboa, e de 22 a 28 de Junho, no Porto, o cheiro a sardinha assada, a pimentos, a chouriço, broa ou a manjerico poderão “invadir” as nossas casas no melhor dos sentidos, dando-nos a viver uma outra versão dos Santos Populares. Os restaurantes criaram petiscos com base nos principais sabores destas festas – a sardinha, o pimento, o caldo verde, o chouriço, a broa, os caracóis – disponibilizando-os em regime ‘take-away’, estando também disponíveis no serviço à carta nos restaurantes. A harmonizar os petiscos, estará a Cerveja Bohemia, que recentemente lançou no mercado a edição desenvolvida com cevada alentejana, – parceira da plataforma The Art of Tasting Portugal -, devidamente escolhida pela equipa de sommeliers da Central de Cervejas.

    Até agora, em Lisboa, onde as festividades iniciam com o Santo António, dia 13 de junho, estão confirmados vários restaurantes: a Tasca da Esquina e a Peixaria da Esquina, do chef Vítor Sobral, terão como petisco “Atum salteado com orégãos” e “Camarão com Alho e Malagueta”. Na  Taberna da Rua das Flores, o chef André Magalhães preparou  umas “Empanadas de Sardinha” – que em época de Santos Populares querem prestar homenagem aos Tascos Galegos de Lisboa. A chef Marlene Vieira desafiou a criatividade e terá como petisco uma “Katsu Sando de sardinha”, uma sandes de sardinha frita, inspirada na street food japonesa e num prato nortenho chamado “costeleta de sardinha”. Neste caso, a chef troca a carne de porco por sardinha frita, pimentos e cebola. No mesmo local onde faz o take-away, no SÁLA, o chef João Sá servirá” um “Trio de baos” – um de sardinha e pimentos, outro de porco com amêijoa e outro de bifana. Em Alcântara, o chef André Fernandes, do ATTLA, bisa na proposta: tem “Sardinha fumada, salada de batata e cebola avinagrada, espuma de caldeirada e coco” para os que não dispensam o “ingrediente-estrela” da estação, e um mais ousado, “Peixe rei frito, molho tártaro de flor de sabugueiro, kimchi de espargos.” Já a caminho do rio, na Taberna Albricoque, o chef Bertílio Gomes preparou uns “Caracóis à Algarvia”, perfeitos para saborear em casa, de cerveja Bohemia na mão.

    Patrícia Dias, directora-geral da Chefs Agency afirma que “O projecto The Art of Tasting Portugal está focado nos produtos e produtores nacionais, que representem o melhor de Portugal. Todos os meses teremos ações relacionadas com os produtos de época e com as tradições nacionais, de forma a dinamizarmos os sectores económico, agrícola e turístico do país. A nossa grande missão é que a restauração nacional e, por consequência, a população em geral, dê prioridade ao receituário nacional e escolha apenas produtos de proximidade, com toda a qualidade que temos nos nossos sabores nacionais”.

    No Porto, os parceiros da acção “Puxar a Brasa à nossa Casa” serão revelados em breve nas redes sociais do The Art of Tasting Portugal. Adicionalmente, está também lançado um sorteio, no Instagram, para todos os que participarem nesta iniciativa e optarem pelos petiscos ‘take-away’ disponibilizados pelos restaurantes. Para participar, basta seguir as instruções divulgadas na página de Instagram do The Art Of Tasting Portugal, partilhando o passatempo nas suas stories e identificando @theartoftastingportugal, @cervejabohemia e o restaurante com o  petisco que lhe faz crescer mais água na boca! O vencedor será escolhido aleatoriamente entre os participantes e receberão um brinde da cerveja Bohemia! 

    Saiba mais sobre este projeto em www.theartoftastingportugal.com.

  • Domaine Pierre Luneau Terre de Pierre Branco 2018

    Vinho com uma cor límpida, brilhante, intensidade média, com uma tonalidade amarela, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade pronunciada, frescura, frutas citrinas, maça verde, meloa verde, ameixa branca, floral, flores amarelas silvestres, notas de anis, mineral, salino, fóssil conchas do mar, calcário.

    Na boca é um vinho seco, com acidez média (+), intensa, fina, álcool médio (12,0º), corpo médio (+), frescura, citrino, pêssego branco, textura mineral, salino, calcário, sedoso, untuoso, amanteigado, amplo, de intensidade pronunciada, com um final seco, longo e persistente.

    É um vinho de com um nível de qualidade excelente, muito elegante, equilibrado, com estrutura, expoente máximo de mineralidade, com uma agradável textura de calcário, citrino, salino, frescura, aveludado, gastronómico, que dá um grande prazer. Pode ser bebido desde já ou guardar muito mais tempo. É um vinho com grandes possibilidades de harmonização com comida, mariscos, pizzas, peixe grelhado, etc.


    Castas : 100% Melon de Bourgogne

    A minha nota pessoal: FB 92

    Excelência: 96-100
    Excepcional: 90-95
    Bom/Muito Bom: 80-89
    Mediano: 70-79
    Pobre: 60-69
    Não aceitável: 50-59


    Domaine Pierre Luneau

    Preços : Domaine Pierre Luneau Terre de Pierre Branco 2018

  • Centro de visitas Taylor’s reabre a 6 de junho: Um jardim secreto para (re)descobrir o Vinho do Porto

    Há quanto tempo não visita uma cave de Vinho do Porto? Este ano, a sugestão é para descobrir Portugal, aproveitando para percorrer algumas das experiências que tornam o país tão atractivo aos olhos do mundo. As caves Taylor’s, em Vila Nova de Gaia, reabrem amanhã, dia 6 de Junho, para dar a conhecer e a provar os seus 328 anos de história.

    E porque a Primavera não parou, o seu Jardim de Rosas floriu durante a pausa e convida a desfrutar da esplanada, onde não se surpreenda se tiver a companhia dos já famosos pavões que circulam livremente na propriedade, ostentando as suas caudas coloridas.

    O centro de visitas, totalmente renovado em 2016, disponibiliza um inovador sistema de áudio-guia, disponível em 12 línguas, para uma experiência segura e autónoma, ao ritmo da curiosidade de cada visitante. 

    Atravesse os armazéns que datam do séc. XVIII e onde os seus reputados vinhos repousam em cascos, tonéis e balseiros, ao mesmo tempo que descobre a história do Vinho do Porto, o processo de vinificação e as diferenças entre os estilos de vinho. No percurso há algumas curiosidades como o túnel revestido a céu estrelado, que reproduz o céu da Quinta de Vargellas, berço dos vinhos Taylor’s no Douro. 

    No final da visita, o apogeu da experiência: na sala de provas ou no Jardim das Rosas, um pátio e esplanada exterior rodeado de roseiras, é possível (com)provar a singularidade dos vinhos Taylor’s, uma das mais prestigiadas e premiadas marcas de vinho do mundo. Há também salas privadas para grupos.

    No valor da visita está incluída uma prova comentada de dois ícones: Taylor´s Chip Dry Branco Extra Seco e Taylor´s Late Bottled Vintage (LBV). Mas é também possível escolher à carta e descobrir diferentes estilos de vinho do Porto e anos de colheita, acompanhados por tábuas de queijo, enchidos, degustação de chocolates ou o clássico pastel de nata. A experiência “Introdução à Taylor’s”, por exemplo, consiste numa prova comentada de cinco vinhos representativos do perfil da casa: Taylor’s Chip Dry, Taylor´s LBV, Taylor´s Tawny 20 Anos, Taylor´s Quinta de Vargellas Vintage 2015 e Taylor´s Vintage 2009. Neste regresso, há também uma refrescante sugestão: Chip Dry Tonic, acompanhado por azeitonas (6,50€). 

    Para quem quiser prolongar a experiência, as caves preparam um programa conjunto entre a visita e a experiência gastronómica no restaurante Barão Fladgate. O seu amplo terraço, com vista panorâmica sobre o rio e o Porto convida a um almoço tranquilo ou jantar romântico, acompanhando o pôr-do-sol sobre a cidade. O programa, que inclui visita e almoço ou jantar (55€) propõe o Menu Taylor’s, em que o vinho do Porto acompanha toda a refeição, da entrada à sobremesa, mostrando a sua versatilidade e aptidão gastronómica. O valor habitual do Menu, disponível no restaurante Barão Fladgate, é de 54€ e inclui três pratos e três vinhos Taylor’: Taylor’s Chip Dry Tonic, Taylor’s LBV 2014 e Taylor’s Tawny 10 Anos.

    O centro de visitas conta também com uma loja, onde é possível comprar uma vasta seleção de vinhos Taylor’s, entre colheitas antigas, edições raras e exclusivas, bem como vários produtos ligados ao vinho e à marca.

    O centro de visitas Taylor’s cumpre todas as normas da Organização Mundial de Saúde, Direção-Geral da Saúde e Turismo de Portugal, contando com o selo “Clean & Safe”. Aberto todos os dias (exceto Natal) das 12h00 às 20h00 (as visitas terminam às 19h00), a visita com áudio-guia não exige pré-reserva. Os grupos, agora limitados a máximo de 10 pessoas, terão que fazer reserva antecipada, através do site: www.taylor.pt ou do e-mail Ana.Sofia@grapeshospitality.com

    A visita tem o valor de 15€/pessoa, incluindo áudio-tour e prova de dois vinhos. As crianças estão também convidadas a conhecer o maravilhoso mundo do Vinho do Porto, com um bilhete reduzido de 6€, que inclui sumo de uva e bolachas no final.

    Morada:

    Taylor’s Port

    Rua do Choupelo nº 250

    4400-088 Vila Nova de Gaia, Portugal

    Contactos para reservas:

    Tel. +351 223 772 973

    www.taylor.pt

    Horário:

    Aberto todos os dias

    Centro de Visitas: 12h00-19h00

    Sala de Provas, Jardim de Rosas e Loja: 12h00-20h00

    Restaurante Barão Fladgate nas caves Taylor´s: 12:30 – 15:00; 19:00 – 22:00

  • Frescura e acidez surpreendem no novo Branco Dona Matilde 2019

    Quinta histórica produz uvas brancas em baixa altitude

    Frescura e acidez surpreendem no Branco Dona Matilde

    Quinta clássica do Douro, do vinho do Porto e dos DOC tintos, Dona Matilde tem vindo a surpreender também com os seus vinhos brancos, capazes de provar que é possível produzir brancos com expressão do lugar, excelente frescura e acidez a cotas baixas, junto ao rio Douro.

    A ideia de que a Região Demarcada do Douro, devido ao seu clima quente, não seria capaz de produzir brancos de elevada qualidade e prestígio já pertence ao passado. Desde há alguns anos, o Douro tem vindo a provar que é um excelente terroir para a produção de vinhos brancos e, nas cotas mais altas da região vinhateira, tem-se vindo a assistir a um crescimento da aposta na produção de uvas brancas.

    Nas cotas mais baixas, persiste a ideia de que o Douro e as suas vinhas têm apenas vocação para produzir vinhos tintos e do Porto de elevada qualidade, mas a Quinta Dona Matilde tem vindo a quebrar este paradigma. Os seus vinhos brancos são produzidos em baixa altitude, a partir de vinhas com mais de 20 anos, situadas em cotas entre os 100 metros, junto ao rio Douro, e os 250 metros de altitude.

    E, em cada edição, estes vinhos surpreendem pela frescura, acidez e elegância, três das características mais marcantes dos brancos Dona Matilde.

    Field Blend

    Os brancos Dona Matilde são resultado de Field Blend (o que em tradução direta significa “mistura de campo”, ou seja, todas as variedades de uvas são colhidas ao mesmo tempo e fermentadas em conjunto) de quatro castas tradicionais do Douro: Arinto, Viosinho, Gouveio e Rabigato.

    Convictos de que a colheita das quatro castas em conjunto confere ao vinho acabado uma outra dimensão (mais do que a soma das suas partes), que o torna mais integrado, enriquecido em textura e com maior complexidade, a atenção da equipa Dona Matilde volta-se para a vinha e para a qualidade das uvas. “Mais do que um vinho tecnológico queremos um vinho autêntico, que respeite o sítio. Procuramos o que o terroir pode dar de melhor e por isso damos mais importância à vinha do que ao trabalho de adega”, sublinha Filipe Barros, o produtor.

    O viticólogo José Carlos Oliveira controla todo o ciclo produtivo das uvas e, na altura da vindima, juntamente com o enólogo do projeto, João Pissarra, avaliam em permanência o estado de maturação das uvas. “O segredo é colher as uvas no momento certo”, dizem, sendo que “os diferentes graus de maturação de cada casta dão-nos a intensidade e a complexidade aromática que gostamos de encontrar no vinho”, acrescenta Filipe Barros.

    João Pissarra assegura que 2019 foi a “melhor colheita de sempre”. Se, por um lado, a maturidade e o conhecimento das vinhas ajuda, por outro, o ano de 2019 foi “muito generoso”, o que resultou “num dos vinhos mais equilibrados e com o trabalho de enologia mais facilitado de sempre”.

    Nas palavras do produtor, o novo Dona Matilde branco 2019 “é um vinho elegante, fresco, muito exuberante, untuoso e com uma acidez equilibrada”.

    Convictos da importância do Field Blend na diferenciação do vinho, o novo branco 2019 surge no mercado com uma imagem renovada em que a expressão Field Blend aparece com destaque no rótulo.

    Lançado pela primeira vez em 2008, este vinho foi desde logo muito bem recebido pelos consumidores. Esta primeira edição de 2007 foi, aliás, distinguida com medalha de ouro no concurso Berliner Wein Trophy, num tempo em que que os vinhos portugueses não eram ainda muito premiados a nível internacional. Desde 2016, a quinta produz também o Reserva branco, igualmente a partir das castas Arinto, Viosinho, Gouveio e Rabigato.

    Vinhos clássicos e de joalharia

    A Quinta Dona Matilde é uma das mais antigas propriedades do Douro, integrando a primeira demarcação ordenada pelo Marquês de Pombal em 1756. Localizada junto à belíssima estrada entre a Régua e o Pinhão, com ampla frente para o rio Douro, a quinta pertence à família de Manuel Ângelo Barros desde 1927. Este produtor é neto do fundador da quinta e foi administrador durante 30 anos do grupo Barros, um dos mais importantes no Douro, no século XX.

    Já neste século, aquele grupo familiar foi vendido à espanhola Sogevinus, mas Manuel Barros acabou por comprar de volta a Quinta Dona Matilde, mantendo-se na produção de vinho do Douro, em conjunto com o seu filho mais novo, Filipe Barros.

    Por estas circunstâncias, os vinhos Dona Matilde estão no mercado com nome próprio apenas desde 2007, mas a família dinamizadora está na produção de vinhos do Porto e do Douro há quatro gerações.

    Focados no projeto de vinhos em torno da quinta, a família tem trabalhado na última década na valorização do património vitivinícola – entre socalcos íngremes, as vinhas de montanha da Quinta Dona Matilde, num total de 28 hectares, formam um mosaico vinícola diversificado, de vinhas com idades entre os 90 e os 22 anos e exposições solares diversas, integradas numa paisagem com uma grande beleza e biodiversidade, onde se incluem oliveiras, citrinos, horta, jardins e vegetação tipicamente mediterrânica (área total de 96 hectares).

    Este trabalho minucioso e de joalharia na vinha e adega procura o conhecimento do património vitícola da quinta, parcela a parcela, visando tirar o máximo partido do potencial de cada uma dessas parcelas. A quinta mantém no entanto a aposta na produção dos tradicionais blends do Douro, com um perfil elegante, sem muita extração e suavemente marcados pelo estágio em madeira, aromas complexos, concentrados e com uma longevidade capaz de oferecer surpresas aromáticas, fruto do passar do tempo. 

    Vinho em lançamento

    Dona Matilde branco 2019

    Na 12ª edição, o Dona Matilde branco 2019 é um vinho de cor citrina, com reflexos esverdeados, aroma jovem e intenso, de início marcadamente floral, depois cítrico, com notas de limonete e muito fresco pela presença de notas a anizado. Em boca é um vinho com volume, de sabor muito jovem e muito fresco pela sua boa acidez, fazendo um conjunto equilibrado e muito persistente .

    PVP 9 euros

    Ficha Técnica : Dona Matilde branco 2019

    Website : Quinta Dona Matilde

  • Jardim da Churchill’s abre dia 10 de junho

    O jardim da Churchill’s, com vista para o rio Douro, vai abrir a 10 de Junho, com um wine bar e piqueniques, promovendo os convívios entre famílias e amigos ao ar livre, com distância social. O Centro de Visitas abrirá a meio do mês.

    A Churchill’s, produtor de vinho do Porto e vinhos do Douro, quer que as famílias e amigos se possam encontrar (em segurança) depois de uma primavera de distanciamento. E vai promovê-lo à sua maneira: com grandes vinhos e boa comida num cenário natural único. 

    A partir da próxima quarta-feira, 10 de junho, a Churchill’s vai abrir no seu espaço de jardim o novo 1982 BAR (data do primeiro vinho do Porto vintage Churchill’s declarado) com piqueniques e cocktails com vista para o rio Douro. O jardim da Churchill’s é um oásis verde encaixado no meio das caves de vinho do Porto em Gaia, proporcionando um local único para reencontros entre família e amigos. Desfrutar do ar livre, sentar-se na relva, ou fotografar momentos inesquecíveis com o Porto e o rio Douro como cenário enquanto bebem um copo de vinho da Churchill’s e apreciam os produtos artesanais que fazem parte da oferta de comida.

     “Quisemos trazer para Gaia um bocadinho da calma do Douro, num espaço onde podemos encontrar os amigos, ligar-nos à comunidade e sentir a natureza mais próxima, mesmo no centro da cidade” diz Zoe Graham, diretora de marketing e vendas da Churchill’s e filha do fundador John Graham.

    A oferta do 1982 BAR começa por caixas de piquenique (caixas, porque são mesmo entregues nas tradicionais caixas de vinho do Porto da Churchill’s) cuidadosamente preparadas para quatro pessoas e desenvolvidas pela Churchill’s em parceria com produtores artesanais locais e nacionais.

    O espaço para os piqueniques no jardim está marcado com mesas e guarda-sóis, distanciados, para que cada grupo possa desfrutar do seu espaço e partilhar em segurança os vinhos da Churchill’s e as iguarias que a compõe, como os queijos da Marinhas e da Quinta da Rigueira, o pão de massa lêveda e as trufas energéticas do Berry, as compotas da Meia Dúzia ou os frutos secos da Nuts Original.

    Para grupos mais pequenos, ou para aqueles que procuram apenas um espaço para relaxar e beber um copo, o 1982 BAR servirá cocktails originais com inspiração no vinho do Porto, vinho a copo, e tábuas de queijos e enchidos ou, para os vegetarianos, tábuas de húmus e vegetais. Para aqueles que se quiserem sentar na relva, podem trazer as suas toalhas, ou comprar uma no bar e aproveitar a calma do relvado.

    “Estamos muito contentes por poder reabrir o jardim para o verão, e poder lançar o 1982 BAR com o programa de piqueniques”, diz Zoe. “Depois da primavera difícil que vivemos, a cidade precisa de um sítio onde possamos conviver e divertirmo-nos ao ar livre, da forma mais segura possível”.

    O Centro de Visitas da marca abrirá a 15 de junho, com visitas e provas privadas, por marcação, e a 1 de Julho com horário alargado, incluindo todas as precauções e procedimentos necessários para garantir a segurança dos visitantes e da equipa da Churchill’s.

    Os vinhos da Churchill’s são distribuídos em Portugal exclusivamente pela Vinalda, a mais antiga distribuidora nacional de bebidas, fundada em 1947 (após o final da II Guerra Mundial).


    Preços:

    Piquenique para 4 pessoas: 18,75€ por pessoa / opção Vegetariana: 16,25€ por pessoa

    Cocktails: a partir de 6,5€ / Vinho a copo: 4€ / Tábuas: a partir de 8€

    Sobre o espaço:

    O jardim da Churchill’s é um oásis verde encaixado nas caves de vinho do Porto, no coração da cidade de Vila Nova de Gaia, com uma vista incrível sobre o rio. É um espaço único para desfrutar do mundo do vinho do Porto, onde os vinhos do Porto e Douro da Churchill’s podem ser apreciados com calma, a acompanhar um piquenique, sentados nas mesas rústicas em frente ao 1982 BAR ou simplesmente deitados na relva, a ver o Porto e o rio a correr.

    O Jardim da Churchill’s vai estar aberto de quarta a domingo (de 10 a 14 de Junho) e daí para a frente de sexta a domingo. Entre as 12h00 e as 19h00.

    O serviço do último piquenique é às 17h30″. 


    Sobre a Churchill’s: Fundada em 1981, a Churchill’s começou a sua atividade com a produção de Vinho do Porto. A aquisição da Quinta da Gricha, em 1999, deu um novo impulso ao projeto passando a posicionar-se como companhia produtora de Vinhos do Porto e Douro. Hoje, distingue-se pela produção exclusiva de vinhos de categorias premium. A Quinta da Gricha está situada na margem esquerda do Douro, entre o Pinhão e a foz do Tua, em plena sub-região do Cima Corgo e conta com 50 hectares de vinha e uma adega com lagares de granito, datados de 1852.

    Hoje, a Churchill’s distingue-se pela produção exclusiva de vinhos de categorias premium. Todos os vinhos do Porto da Churchill’s são produzidos com uvas letra A, apanhadas e selecionadas à mão, pisadas a pé em lagares de granito e fermentadas utilizando apenas leveduras naturais. O resultado é um estilo único, elegante e mais seco, numa gama de Vinhos do Porto premium que demonstram um profundo respeito pelo passado da região do Douro e paixão por ajudar a definir o seu futuro.


    Sobre o Berry: Os Berry, nascidos no Porto, são restaurantes vegetarianos e vegan com um profundo respeito pelos seus produtos, selecionando-os pela origem biológica e devida época. Transformam-os integralmente de raiz, com menus de frescos que mudam diariamente. Servem em estilo grab and go, de forma rápida e eficiente, num dos seus espaços minimalistas, em takeaway ou delivery.

    Sobre a Marinhas: Considerada uma das melhores produtoras de queijo e de manteiga do mundo, as Marinhas continuam a aplicar os métodos de fabrico artesanal, garantindo assim a continuidade de produtos genuínos, com elevada qualidade e rigor relativamente à higiene e segurança alimentar. Não apresentam corantes nem conservantes, e todos os produtos dispõem de baixo teor de gordura, usando ainda as receitas originais.

    Sobre a Meia Dúzia: Os doces da meia.dúzia são preparados artesanalmente, com mais de 55% de frutas, embalados em bisnaga e cuidadosamente etiquetados e colocados em caixa manualmente. Os doces são preparados com matérias-primas portuguesas, como a maça Bravo de Esmolfe, Pêra Rocha, Cereja do Fundão e Ananás dos Açores, frutas DOP e IGP, bem como matérias-primas de produção em modo biológico como os mirtilos, groselhas, framboesas, figos e ervas aromáticas. Aos doces adicionamos alguns dos melhores vinhos portugueses (Vinho do Porto, Moscatel do Douro e Vinho da Madeira), ervas e flores aromáticas biológicas e frutos secos de produtores portugueses entre outros ingredientes. A inspiração chega do universo da pintura, inspirados nos tubos de tinta, deixam o metal à vista e utilizam uma paleta de cores com tons das frutas, desde o amarelo da pêra, ao verde da maçã ao azul do mirtilo.

    Sobre a Nuts Original: Associada ao prestígio e às novas tendências de mercado para uma alimentação saudável, a Nuts Original é cada vez mais um nome que não deixa ninguém indiferente no mundo dos snacks. Nascida no Porto em 2009, durante cinco anos focou-se na procura pelos melhores ingredientes para o perfect match com bebidas, desenvolvendo a linha Moments e Complicity, em parceria com os produtores vínicos. No último ano, reinventou-se e criou um conceito saudável e de tendência, que vai ao encontro dos novos estilos de vida e a snackification que se instaurou no séc. XXI. Sempre com sede de inovação, a marca encontra-se atualmente em 27 países.

    Sobre a Quinta da Rigueira: A Quinta da Rigueira é uma queijaria artesanal, situada no sopé da Serra da Estrela, que se dedica ao fabrico do queijo de cabra. É uma empresa familiar onde o queijo é produzido exclusivamente com leite do concelho de Oliveira do Hospital, pasteurizado puro e fresco, da típica raça da região – a cabra serrana. Em 2019, ganhou o prémio de melhor queijo curado de cabra e melhor requeijão no concurso de melhor queijo de Portugal, promovido pela Associação Nacional de Industriais de Lacticínios (ANIL).

    Website : Churchill’s

  • VINHOS A DESCOBRIR – 3ª edição – Molhe, Foz

    Dias 10, 11 e 12 de julho 2020 decorrerá VINHOS a Descobrir, a 3ª edição da mostra de vinhos produzida pela INSPIRE.

    O evento pelo qual ansiávamos!

    A mostra de vinhos será realizada no Molhe – Foz permitindo usufruir a proximidade do mar e da praia.

    Horários: 15H30 às 21H30 dias 10 e 11 + 15H30 às 21H00 dia 12.

    Estarão presentes excelentes Produtores nacionais de: Vinhos Tranquilos (DOC, Regionais, IG), Vinho do Porto, Vinho Verde, Vinho da Madeira e Espumantes.

    Os visitantes terão a possibilidade de degustar e adquirir diretamente aos produtores Vinho a copo e garrafa, bem como produtos regionais e gourmet. Poderão deliciar-se com o Sushi e tapas do Novo Molhe, enriquecendo a sua experiência.

    Durante os três dias serão realizadas Harmonizações diárias com vinhos, realizadas por um expert, partilhando o seu conhecimento para que a descoberta das melhores combinações seja ainda mais proveitosa.

    Animação assegurada nos três dias por DJ, no sábado Concerto Sunset de Jazz / Bossa Nova, tudo para uma conjugação perfeita de vinhos, num ambiente cool e animado.

    VINHOS a Descobrir, a nova designação do Port & Wine World, evoluindo para a descoberta de todos os fantásticos vinhos de Portugal.  

    O Porto fortalece a sua ligação ao Vinho, permitindo que os visitantes possam conhecer excelentes produtores nacionais num único espaço, desfrutando o mar e a praia, com ótimas vistas, e o vinho a dar o mote para um inesquecível momento de descontração com amigos e família.

    Decorrerão as seguintes atividades paralelas:

    Get Together Profissional – sábado dia 11, entre as 13H30 e as 15H30, promove-se o encontro com profissionais do sector: restaurantes, garrafeiras, bares, distribuidores e bloggers profissionais, para dar a conhecer os Produtores e os seus vinhos.

    Provas Harmonizadas diárias, promovendo as associações de vinhos e gastronomia com os produtos gourmet e produtos regionais.

    Sunset no sábado com concerto de jazz aberto ao público

    DJ em ambiente Chill Out

    Localização: Novo Molhe (Esplanada), Foz. 

    Entrada gratuita, copo de prova: 4,5€ incluindo Sushi (uma peça).


    Website : www.facebook.com/vinhosadescobrir

    Website : www.instagram.com/vinhosadescobrir

  • Vinalda aposta no Avesso com os vinhos Cazas Novas

    A Vinalda vai distribuir em exclusivo os vinhos Cazas Novas, o produtor que detém a maior mancha de Avesso da sub-região de Baião, no Vinho Verde. 

    “É para nós um privilégio poder anunciar esta parceria com a Vinalda”, afirma Vasco Magalhães, um dos responsáveis da marca.

    Cazas Novas é um projeto que integra quatro empreendedores ligados ao setor do vinho – Carlos Coutinho, Diogo Lopes, Vasco Magalhães e André Miranda – e que se propõe mostrar as várias ‘caras’ do Avesso, nascido nos 24 hectares da casta existentes na Quinta das Cazas Novas, na Quinta de Guimarães e vinhas adjacentes, com diferentes exposições e altitudes, naquela que é a sub-região de excelência para a expressão desta variedade.

    Carlos Coutinho, sétima geração da família proprietária das vinhas, é o gestor agrícola e financeiro da empresa, Diogo Lopes o enólogo e Vasco Magalhães ocupa-se das vendas & marketing, com o apoio de André Miranda, que também se encarrega da produção.

    A emblemática Quinta das Cazas Novas dá nome ao projeto. Na Quinta de Guimarães, que acolhe igualmente um imponente solar do século XVIII, surge a maior área de vinha, num local único para a produção de Vinho Verde de nova geração.

    Sempre tirando partido da magnífica variedade que é o Avesso, numa abordagem de estudo e experimentação desta casta, o Cazas Novas procura mostrar todo o potencial da sub-região de Baião, já no vale do Douro, produzindo vinhos de terroir que possam valorizar o extraordinário património de brancos existente na região do Vinho Verde e em Portugal.

    “Os projetos de sucesso fazem-se também com grandes parcerias comerciais. Pela sua dimensão e experiência, a Vinalda é o parceiro de excelência, capaz de concretizar todo o potencial diferenciador em torno do projeto Cazas Novas e desta nova interpretação da casta Avesso que, acreditamos, muito tem para dar ao mercado português. A região do Vinho Verde, e o mercado global do vinho, atravessam uma fase de grande transformação e dinâmica, pelo que um parceiro comercial forte, com uma capacidade de promoção e distribuição eficaz, é crucial”, considera Vasco Magalhães.

    “Estamos muito satisfeitos por poder juntar ao nosso portefólio da região do Vinho Verde os vinhos Cazas Novas, que procuram mostrar o melhor do terroir de Baião, explorando o potencial da casta Avesso”, diz, por seu lado, o Diretor-Geral da Vinalda, José Espírito Santo.


    Portefólio

    Cazas Novas – Avesso – Colheita

           Cazas Novas –  Avesso – Pure.

    Website : Quinta das Cazas Novas

  • 3 receitas do chef Fábio Alves para uma refeição a pensar nos mais pequenos

    O dia Mundial da Criança foi na próxima segunda-feira, dia 1 de Junho, e apesar de ser um ano diferente, em que as celebrações têm de ser feitas de modo contido, não deixa de ser uma data a assinalar. Para isso, e para que continue a ser um dia especial, o chef Fábio Alves, do restaurante SUBA, no hotel Verride Palácio Santa Catarina, em Lisboa, sugere três receitas que farão as delícias dos mais pequenos.

    E porque não preparar um refeição completa, com entrada, prato e sobremesa, a pensar nas crianças? São estas as propostas do chef, começando com Ovos recheados com atum e mayonnaise, seguidos de Peito de frango recheado, arroz selvagem e legumes e, para terminar, Crepes com fruta fresca e molho de chocolate. Três receitas divertidas e fáceis de preparar, três boas e saborosas razões para preparar uma refeição diferente.


    Ovos recheados com atum e mayonnaise



    Peito de frango recheado, arroz selvagem e legumes


    Crepes com fruta fresca e molho de chocolate



    Website : Restaurante SUBA

  • The Yeatman reabre a 5 de junho: Porto Seguro

    Assumindo-se como “hotel-destino”, o cinco estrelas do Porto preparou um programa integrado de prazer e bem-estar, para recuperar (boas) energias.

    Em ano de celebração do seu 10º aniversário, o The Yeatman reabre a 5 de Junho, renovado e com novos motivos de visita. O hotel vínico, que oferece uma experiência verdadeiramente epicurista, desde o seu restaurante gastronómico premiado com duas Estrelas Michelin aos tratamentos de vinoterapia, é em si um destino.

    Cumprindo rigorosamente todas as normas e recomendações exigidas pela Direção-Geral de Saúde e Turismo de Portugal, o The Yeatman regressa com programas integrados, que convidam a (re)descobrir o seu Porto seguro.

    O programa “Porto Experience”, de três noites, tem como ponto de partida os espaçosos quartos do The Yeatman, todos com vista privilegiada sobre o Rio Douro e a margem Ribeirinha do Porto, com o seu velho casario colorido. Depois do pequeno-almoço, servido à carta na sala de pequenos-almoços, parta à descoberta da história do vinho do Porto, com uma visita às caves Taylor’s, a poucos passos do hotel. A visita, num seguro e autónomo formato áudio-guia, viaja pelos mais de três séculos da marca e termina com uma prova de dois dos seus vinhos mais icónicos: Chip Dry e LBV. A experiência prolonga-se para o restaurante das caves, Barão Fladgate, onde poderá desfrutar de um menu de três pratos, com a assinatura do Chefe Ricardo Cardoso (disponível de segunda a sexta). 

    Para restaurar energias, no regresso ao hotel, poderá usufruir da icónica piscina exterior ou piscina interior, e assistir ao pôr-do-sol sobre o rio, que pinta o céu e a cidade de tons mágicos. Em complemento, desfrute de um momento de pura tranquilidade e bem-estar, com os tratamentos de assinatura Caudalie, como a Esfoliação Crushed Cabernet ou a Massagem Divina, ideais para recuperar corpo e mente.   

    A jornada de puro prazer termina com mais um momento gastronómico, desta vez no Dick’s Bar & Bistrô, com os seus generosos terraços, de onde é possível ir acompanhando o cair da noite sobre a cidade e a sua iluminação singular. A acompanhar os pratos de assinatura do Chefe Ricardo Costa, a carta de vinhos abre as portas da premiada garrafeira do hotel, com mais de 1.300 referências, entre as quais mais de 100 vinhos nacionais estão disponíveis a copo. 

    Para quem procura uma escapadinha de fim-de-semana, o hotel sugere um programa de uma noite, com jantar no Restaurante Gastronómico (2 Estrelas Michelin), onde o Chefe celebra os 10 anos do restaurante com um menu que serve as tradições do mar e da costa portuguesa à mesa. Este programa está disponível de quinta a sábado e tem o valor de 640, 00 € (ocupação dupla) e 410, 00 € (ocupação single), incluindo suplemento de vinhos no jantar.

    No mês de junho, encontra-se também disponível o Programa de Primavera, de duas noites, e a partir de 1 de julho entra em vigor o Programa de Verão, de três noites, ideais para toda a família, já que as crianças são convidadas do hotel (uma cama extra ou berço por Quarto Superior Deluxe e duas camas extra ou dois berços por Suite Deluxe). Em todos os programas, o hotel disponibiliza condições flexíveis de reserva.

    Neste regresso, há mais uma novidade para despertar o apetite: o The Yeatman Barbecue. O terraço do Dick’s Bar & Bistrô terá um conceito informal de carnes na grelha, mariscos e sushi, com um menu próprio à la carte, disponível de quinta-feira a sábado ao pôr-do-sol (19h00-21h00) e aos domingos ao almoço (12h00-15h00), a partir do dia 11 de junho.

    Website : The Yeatman

  • Raríssimo By Osvaldo Amado: vinhos que mais parecem obras de arte!
    Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é rarissimo_gama_web.jpg
    Acabou a espera. Finalmente, os vinhos “Raríssimo” chegaram ao mercado. E vão surpreender!

    Enólogo há 32 anos, Osvaldo Amado está entre os profissionais mais reconhecidos de Portugal. Já fez vinhos em vários países do mundo, contabilizando mais de 600 milhões de garrafas, mais de 1100 prémios e inúmeras distinções profissionais. Atualmente é diretor de enologia no Grupo Global Wines, produtor de vinhos como Casa de Santar, Cabriz ou Quinta do Encontro. Com um currículo tão vasto, fazia falta partilhar a paixão e dedicação ao mundo dos vinhos, agora com um cunho pessoal. O enólogo fez nascer o projeto “Raríssimo By Osvaldo Amado”, vinhos especiais, de características singulares, que transportam o melhor da natureza e prometem sensações de raro prazer, agora ou daqui a muitos anos!

    Para o enólogo Osvaldo Amado o vinho é sinónimo de vida, de entrega, de paixão. Não se imagina a fazer outra coisa e garante: “sinto-me feliz e muito motivado para fazer ainda melhor, para proporcionar aos apreciadores de vinhos, momentos perfeitos de degustação”. Com 32 anos de experiência a fazer vinhos em todas as regiões de Portugal e em vários países do mundo, o diretor de enologia do Grupo Global Wines, produtor de vinhos como Casa de Santar, Cabriz ou Quinta do Encontro, só admite trabalhar com qualidade e prova disso são mais de 1100 prémios recebidos, entre Medalhas de Ouro e Prata, a nível nacional e internacional, sem falar em distinções profissionais, como já ter sido eleito “TOP Winemaker” no Concurso “Wine Master Challenge”, e premiado como “Enólogo do Ano” pela Revista de Vinhos ou “Enólogo de Mérito” pela revista Paixão Pelo Vinho.

    No final do ano passado o percurso profissional cresceu, com a apresentação de um sonho, materializado na apresentação da sua marca de vinhos: Raríssimo By Osvaldo Amado. O espumante Extra Bruto Blanc de Blancs de 2006 chegou aos pontos de venda mesmo a tempo da passagem de ano, com a promessa de a ele se juntarem outros vinhos, igualmente raros, plenos de complexidade, que surpreendessem pela originalidade, com um toque do seu criador. E finalmente, chegou esse dia! A gama de vinhos Raríssimo By Osvaldo Amado já está disponível em cerca de 50 garrafeiras selecionadas de Portugal e nos restaurantes de referência.

    Devidamente protegidas por um luxuoso estojo, as garrafas de design francês encerram o precioso líquido e prendem o olhar pela elegância de cada nobre detalhe, onde sobressai a marca “Raríssimo” gravada num rótulo de estanho. A gama é composta por edições limitadas e irrepetíveis de dois brancos, um clarete, um tinto e um espumante.

    O Raríssimo By Osvaldo Amado branco DOC Bairrada 2015, foi elaborado 100% com a casta Arinto. Apresenta uma cor citrina intensa e aspeto cristalino. Revela nuances de frutos tropicais, com notas exóticas e muita complexidade aromática, que transporta para o sabor, deslumbrando pela frescura, pelo distinto volume de boca e grande persistência. Perfeito para beber já, promete grande longevidade.

    Feito com 85% de uvas da casta Encruzado, 10% de Bical e 5% de Malvasia Fina, o Raríssimo By Osvaldo Amado DOC Dão branco 2011, é um vinho surpreendente e arrebatador. “Não há outro vinho assim em Portugal”, garante o enólogo e produtor, salientando que “é um vinho que tem um perfil e frescura únicos, de grande untuosidade, que é muito gastronómico, complexo e distinto. Seguramente um ícone de Portugal”, remata.

    O Raríssimo By Osvaldo Amado espumante DOC Bairrada Extra Bruto Blanc de Blancs de 2006, 100% Arinto, contou com estágio de 13 anos em garrafa sur lie e 12 meses após o dégorgement. Revela cor palha atenuada com tons esverdeados, tem aspeto cristalino e uma bolha muito fina e persistente. O aroma é pleno de complexidade e intensidade, predominando a redução de citrinos, cereal tostado, biscoito, panificação e especiarias doces. Na boca, tem musse crocante, excelente frescura, muito elegante e de longa persistência final. Uma proposta que vai acompanhar delicadas iguarias, elevando à perfeição momentos especiais e de celebração da vida.

    Dezanove anos depois, chega um vinho tinto absolutamente extraordinário, de uma complexidade deslumbrante, apenas equiparável ao que de melhor se faz no mundo: o Raríssimo By Osvaldo Amado tinto 2001 DOC Dão. Um vinho cheio de vida, que preenche os sentidos, sugerindo notas de outono, de vegetal seco, tabacos finos, derivados de cacau, especiarias, em absoluto equilíbrio, deixando adivinhar um nobre envelhecimento em garrafa.

    Também não poderá deixar de provar o Raríssimo By Osvaldo Amado Clarete DOC Dão 2013. É um vinho que agrada naturalmente, surpreendendo pela originalidade, autenticidade, riqueza de aromas, sabores e pela amplitude gastronómica, elevando os sentidos. “Não há Claretes Clássicos no mercado” destaca Osvaldo Amado. E este é absolutamente arrebatador, preenche-nos pelas notas de bosque, especiarias, fungos nobres e tabacos maturados, deixando ainda um sabor intenso e complexo, muito macio, elegante e harmonioso.

    A distribuição dos vinhos está entregue à Vinalda – Companhia Comercial de Bebidas. José Espírito Santo e Sérgio Pereira, respetivamente diretor-geral e diretor comercial, garantem “que esta marca vai ser um grande sucesso e que ainda vamos ser surpreendidos com grandes novidades num futuro próximo”.

    Osvaldo Amado partilha que o objetivo deste projeto é “oferecer ao mercado vinhos que nunca antes foram feitos, vinhos diferentes, que sejam efetivamente raros, distintos e irrepetíveis, gastronómicos, perfeitos para todos os momentos. Vinhos para beber desde já, mas com grande potencial de guarda, incutindo em cada um deles um cunho muito pessoal, o reflexo de um terroir, de um pensamento, de um estilo próprio… como se se tratassem de obras de arte, nascidas da natureza”.

    Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é osvaldo-amado_gama-rarissimo.jpg

    RARÍSSIMO BY OSVALDO AMADO

    Branco DOC Bairrada 2015

    Casta: 100% Arinto

    Álcool: 13,5% Vol. | Acidez Total: 6,15g/L | pH: 3,15 | Açúcares Totais: 2,5g/L

    Quantidade Produzida: 1500 garrafas | P.V.P. recomendado: 45€


    RARÍSSIMO BY OSVALDO AMADO

    Branco DOC Dão 2011

    Castas: 85% Encruzado, 10% Bical e 5% Malvasia Fina

    Álcool: 13,5% Vol. | Acidez Total: 6,8g/L | pH: 3,10 | Açúcares Totais: 2,5g/L

    Quantidade Produzida: 1500 garrafas | P.V.P. recomendado: 55€          


    RARÍSSIMO BY OSVALDO AMADO

    Espumante DOC Bairrada Extra Bruto Blanc de Blancs 2006

    Casta: 100% Arinto

    Dégorgement: setembro de 2019

    Álcool: 12,5% Vol. | Acidez Total: 7,5g/L | pH: 3,10 | Açúcares Totais: 2,3g/L

    Quantidade Produzida: 1500 garrafas | P.V.P. recomendado: 95€


    RARÍSSIMO BY OSVALDO AMADO

    Tinto DOC Dão 2001

    Castas: 50% Touriga Nacional, 20% Aragonez e 10% Jaen

    Álcool: 13,5% Vol. | Acidez Total: 6,1g/L | pH: 3,68 | Açúcares Totais: 2,8g/L

    Quantidade Produzida: 1500 garrafas | P.V.P. recomendado: 90€


    RARÍSSIMO BY OSVALDO AMADO

    Clarete DOC Dão 2013

    Castas: 70% Touriga Nacional, 20% Aragonez e 10% Alfrocheiro

    Álcool: 13% Vol. | Acidez Total: 6,5g/L | pH: 3,60 | Açúcares Totais: 2,5g/L

    Quantidade Produzida: 3000 garrafas | P.V.P. recomendado: 25€

  • Quinta de la Rosa reabre a 5 de junho