Quinta da Romaneira Reserva Branco 2020

Vinho com uma cor límpida, brilhante, cor amarela dourada, intensidade média, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade média (+), complexo, floral, lavanda, acácia, frutas citrinas, lima, pêssego verde, leves toques de barrica fina.

Na boca é um vinho seco, com acidez média (+), intensa, elegante, álcool médio (13,0º), corpo médio (+), sedoso, envolvente, citrino, intenso, mineral, correspondendo ao nariz, final longo e muito boa persistência.

É um vinho de qualidade excelente, com aroma floral, citrino, frescura intensa, equilibrado, aveludado, muito elegante, mineral, madeira muito bem integrada, que dá muito gosto beber. Uma opção para todas as situações no Verão que se avizinha.

Corvina assada no forno

Castas : Viosinho 58% Gouveio 34% Boal 3% Rabigato 5%
Região: Douro


A minha nota pessoal: FB 92

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website : Quinta da Romaneira Branco 2020
Ficha Técnica : Quinta da Romaneira Branco 2020

Himitsu Sushi Bar – O Japão a dois pauzinhos daqui

Himitsu Sushi Bar, inaugurado a 21 de Abril de 2016, localiza-se junto ao Palácio Nacional de Mafra. Oferece aos seus clientes um ambiente acolhedor, familiar e intimista assim como o melhor da cozinha tradicional japonesa e de fusão! A frescura e a qualidade de todos os ingredientes é compromisso conseguido, desde a qualidade dos ingredientes, à elaboração e apresentação dos pratos, tudo é perfeito. Atendimento profissional e muito atencioso que cativa e apraz. Vamos voltar com certeza, pois o menu é extenso e queremos provar todas as iguarias.

Website : Himitsu Sushi Bar

A nova carta do SoMos é uma viagem ao Mediterrâneo sem sair da Boavista

Se os pratos propõem uma viagem guiada pelo sabor do sul da Europa, os produtos são locais. A Natureza está em destaque na nova carta do SoMos Restaurant and Lounge, que já pode ser provada ao almoço ou ao jantar, aproveitando a ampla esplanada da Avenida da Boavista.

A chegada da primavera e dos primeiros dias de sol fazem ansiar por momentos descontraídos à mesa, onde a frescura e a vibração dos pratos acompanhem o otimismo da estação. A nova carta do SoMos, restaurante localizado em plena Avenida da Boavista, responde na perfeição a esta vontade, com novas entradas, pratos e sobremesas inspirados na cozinha mediterrânica e nos produtos da época.

A iguaria típica siciliana, Arancini de cogumelos com maionese de cebolinho (6€), ou o Camarão crocante com sweet chili e guacamole (9€) são duas das novas entradas do menu e exemplos de como a saudável e tradicional cozinha do Mediterrâneo pode ser conjugada com apontamentos exóticos e surpreendentes. Para o início da refeição, sugerem-se ainda o Ceviche de robalo com “Pisco”, salsa de abacate, manga lima e malagueta (14,50€) ou a Salada Caprese (13,50€).

Das hortas regionais, chegam os legumes e ervas aromáticas dos pratos principais. O Filete de dourada com buerre blanc, cremoso de pastinaga e vegetais salteados (16€) e o Bife de lombo com molho mostarda e batata sauté (22€) são alguns dos pratos que prometem levar-nos a destinos solarengos com um burburinho de novidade. E nesta viagem ao mediterrâneo não poderiam faltar as pizzas. Do menu recomendam-se a clássica Pizza Napolitana (13€) ou a Pizza de salmão fumado e funcho (15,50€), uma das combinações mais solicitadas da casa.  

Como em todas as viagens, a despedida é o momento mais doce. É tempo de provar a Torta de Azeitona com creme de ovos (4€) ou o Picado de Abelha (4€), duas sobremesas exóticas em estreia no menu. Na carta mantêm-se os clássicos Cheesecake com frutos vermelhos (4€) e Mousse de chocolate caseira (4,50€).

A acompanhar, o SoMos dispõe de uma alargada carta de vinhos e cocktails de assinatura, que são a escolha perfeita para acompanhar o pôr-do-sol na cidade. A sugestão do momento é o  Sleepy Monkey (12,50€), um o cocktail elaborado à base de whisky Monkey Shoulder, sumo de limão, xarope de lavanda envolto em ervas aromáticas da horta do restaurante.

Para ser possível desfrutar mais tranquilamente destes momentos, aconselha-se a marcação com a maior antecedência possível através do 22 607 25 52. Para total conforto e segurança, o restaurante garante o distanciamento das mesas e todas as medidas e recomendações da Direção-Geral de Saúde.

Horário Esplanada – 10h30 – 22h30  

Horário Restaurante 

Website: soMos

Almoço: 12h30 – 15h00 

Jantar: 19h30 – 22h30  

Informações e reservas: 22 607 25 52 ou Somos.restaurant@ihg.com 

Estacionamento está incluído, de acordo com a disponibilidade  

Redes sociais:  

Facebook – facebook.com/SOMOSRestaurantPorto 

Instagram – @somosrestaurantporto 

Messias Porto Vintage 2018

Messias Porto Vintage 2018

Vinho com uma cor retinta, límpida, intensidade média, nariz limpo sem defeitos, com uma intensidade aromática média (+), frutado, fruta preta, cerejas pretas, balsâmico, menta, hortelã, esteva, especiaria, chocolate preto.

Na boca é um vinho doce, com acidez média, álcool alto (20,0º), estruturado, taninos maduros, elegantes, frescura, cerejas pretas, apimentado, chocolate preto, aveludado, final cheio, rico e longo, muita persistência.

É um vinho com um nível de qualidade excelente, intenso, fruta preta saborosa, guloso, que propociona um grande prazer. É um vinho com potencial de evolução e envelhecimento.


Castas : Touriga Nacional,Touriga Franca,Tinta Barroca,Tinta Roriz
Região : Douro


A minha nota pessoal: FB 90

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website : Caves Messias
Website: Messias Porto Vintage 2018
Ficha Técnica : Messias Porto Vintage 2018

O Melhor Vinho Fortificado do ano é da Casa Kopke

Casa Kopke e Quinta da Boavista arrebatam GRANDE OURO

Os resultados dos concursos International Wine Challenge (IWC), International Wine & Spirits Competition (IWSC) e Vinhos de Portugal (CVP) já são oficialmente públicos e a Casa Kopke e a Quinta da Boavista foram os grandes premiados.

No Concurso Vinhos de Portugal, uma iniciativa que distingue a diversidade e excelência dos vinhos produzidos no nosso território, o Porto Kopke Porto Colheita 1966 arrebatou oprémio do “Melhor Fortificado” do ano. Um Porto Colheita absolutamente excecional que não deixou este júri indiferente distinguindo-o na categoria como o “Melhor do Ano”.

Já nos vinhos tranquilos, destaca-se a   performance do DOC DOURO Boavista Reserva 2017, prestes a sair para o mercado, e que foi distinguido com a medalha de Grande Ouro. Uma quinta emblemática que tem visto os seus vinhos consistentemente premiados pela critica especializada.

Na edição de 2021 do IWC, o Grupo Sogevinus recebeu 21 medalhas, distribuídas pelas Casas centenárias que fazem parte do seu portfólio. Os vinhos do Porto da Kopke voltaram a conquistar o painel internacional que elegeu o Kopke Colheita 1978 como o melhor Vinho do Porto em prova com um duplo troféu:  Troféu de Melhor Porto e Troféu de Melhor Colheita. Ainda do portfólio da Kopke, foram distinguidos os Colheitas 1957 e 1967, ambos com 95 pontos, e o irreverente Kopke 30 anos branco que os jurados descreveram um vinho delicioso e raro, a desfrutar!

Vinhos excecionais que a Casa Kopke conserva nas suas caves distinguidos como os melhores do ano num concurso rigoroso que conta com a sua 38º edição e que, fruto desta excecional performance, nomeou ainda o enólogo e master blender Carlos Alves para Fortified Winemaker do ano. “É com orgulho que vejo o trabalho de uma equipa de várias gerações a ser reconhecida por esta nomeação”, sintetiza o enólogo que já leva quase duas décadas dedicadas à produção e curadoria destes vinhos.

A consistência da qualidade dos vinhos da Casa Kopke revê-se ainda nos resultados do IWSC deste ano com o Porto Colheita 1957 a conquistar 98 pontos pela sua elegância e grande potencial de evolução. Os Idades da Kopke também tiveram em destaque neste concurso que premiou com Ouro (96 pontos) o Kopke 40 anos Tawny “um vinho que nos dá tudo o que um Tawny 40 anos nos deve dar”. Um equilíbrio entre fruta e evolução em madeira que nos conquista num final longo e delicioso. Premiado também medalha de Ouro (95 pontos), o Kopke Colheita 2002 tem vindo a conquistar os júris nacionais e internacionais pela sua riqueza aromática onde se destacam sabores mais especiados a par de notas de alperce e sultanas. Um exemplo de um vinho pronto a ser bebido com imenso prazer.

A excecionalidade dos vinhos da Kopke distinguida assim pelos painéis dos grandes concursos nacionais e internacionais que elegem esta Casa como uma referência de vinhos cuidados ao longo de gerações com mestria dos provadores e respeito pelas práticas artesanais dos mestres tanoeiros e provadores que fazem destes néctares verdadeiros sinais dos tempos, vinhos fascinantes com histórias para contar

Transversais a todo o portfólio, estas distinções vêm reforçar o reconhecimento da qualidade dos vinhos do Grupo Sogevinus, honrando assim, mais uma vez, a confiança dos seus consumidores.

Website : Sogevinus

Herdade do Rocim Clay Aged Branco 2018

Vinho com uma cor límpida, brilhante, cor amarela dourada, intensidade média, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade média, vegetal, floral, com aromas de jasmim, pêssego seco, toques de mel, resinoso, olaria, mineral, pedra molhada.

Na boca é um vinho seco, com acidez elevada, intensa, elegante, álcool médio (13,0º), corpo médio (+), aveludado, envolvente, muito intenso, tenso, mineral, correspondendo ao nariz, final longo e muito boa persistência.

É um vinho de qualidade excelente, com aroma vegetal, floral, frescura imensa, equilibrado, aveludado, muito elegante, mineral, ligeira salinidade, intenso, que perdura na boca, deixando uma secura final muito agradável que pede comida, neste caso harmonizou com pataniscas de bacalhau com arroz de feijão e polvo à lagareiro, perfeito.


Castas : Verdelho, Viosinho e Alvarinho
Região: Alentejo


A minha nota pessoal: FB 92

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website : Herdade do Rocim
Website: Herdade do Rocim Clay Aged Branco

Preços : Herdade do Rocim Clay Aged Branco 2018

Torre de Palma Wine Hotel celebra o 7º aniversário com a inauguração do novo restaurante Palma, liderado pelo chef Miguel Laffan

Torre de Palma Wine Hotel comemora sete anos com a apresentação da sua nova proposta gastronómica no restaurante Palma, coordenado pelo chef Miguel Laffan.

Torre de Palma Wine Hotel, no Alto Alentejo, comemora sete anos e apresenta o seu novo restaurante Palma, com o chef Miguel Laffan ao leme deste novo projeto.

Com um percurso desenvolvido em vários restaurantes com estrelas Michelin pelo mundo, Miguel Laffan liderou vários projetos a nível nacional, e foi o Alentejo que o inspirou a conquistar a primeira estrela Michelin da região. Esta forte conexão e conhecimento do Alentejo fê-lo agora regressar a estas terras e criar o Palma, o novo restaurante do premiado Torre de Palma Wine Hotel. Quero retratar a verdadeira essência do Alentejo, incorporando uma realidade mais atual. O Palma irá trazer frescura e vivacidade àquela que é uma das mais ricas gastronomias do nosso país” refere Miguel Laffan, chef executivo do restaurante Palma.

Inspirado pelas paisagens do Alto Alentejo, entre castelos e prados, este menu propõe uma experiência familiar, de partilha e de bem-estar em que a genuinidade e generosidade da terra é o que sobressai.O chef destaca a excelência dos produtos locais como os queijos e enchidos caseiros, animais de pasto cuidadosamente selecionados e os ovos biológicos, preparados na sala pelo Maître, perfeitamente harmonizados com os vinhos da herdade de Torre de Palma. “É fundamental honrar o que temos de melhor nesta região e dar a conhecer a nossa cultura e património gastronómico, sem perder a identidade da região. O Alentejo é um tesouro, com produtores apaixonados pela terra e com níveis de qualidade fora de série, que não encontramos noutro lugar”, reforça Miguel Laffan.

Este importante momento coincide com o 7º aniversário do Torre de Palma Wine Hotel. “Celebramos estes 7 anos de existência com muita alegria pelo desenvolvimento da marca Torre de Palma como uma referência, seja ao nível do enoturismo e hotelaria em Portugal, como da produção de vinho, e agora com a nova proposta gastronómica – o restaurante Palma com o chef Miguel Laffan.” refere Luísa Rebelo, General Manager do Torre de Palma.

O Alentejo e as inspirações do chef Miguel Laffan convidam a novas experiências e a apreciar o que a região tem para oferecer – beleza natural única e a descoberta do importante património que este território abraça. Torre de Palma Wine Hotel aguarda uma visita para celebrar e sentir-se em casa enquanto vive experiências autênticas.

TORRE DE PALMA WINE HOTEL
www.torredepalma.com https://www.torredepalma.com/ofertas/
Herdade de Torre de Palma, Monforte 
7450-250 Monforte | Alentejo 
GPS: 39º 4′ 6” N,7º 29′ 20” W 
reservas@torredepalma.com  
T: (+351) 245 038 890
WhatsApp: (+351) 936 004 264  
 RESTAURANTE PALMA Horário: Sexta a Domingo das 12h30 às 15h00 Todos os dias das 19h30 às 22h00
https://www.torredepalma.com/o-hotel/restaurante/ reservas@torredepalma.com 
T: (+351) 245 038 890

UMAMI: novo restaurante da Quinta do Lago é de cozinha asiática e traz o quinto sabor para o Algarve

O resort Quinta do Lago apresenta o seu novo restaurante: UMAMI é a primeira oferta de gastronomia asiática do resort.

Especializado no método culinário japonês robatayaki – ou Robata –, combina uma experiência de luxo e uma verdadeira experiência sensorial com uma oferta variada de pratos de sushi e frutos do mar, entre outros.

A Quinta do Lago, o resort mais exclusivo do Algarve, apresenta aquele que é a sua mais recente adição ao seu portfólio de restaurantes: UMAMI apresenta-se como o primeiro restaurante asiático do resort e promete combinar uma experiência de luxo com uma verdadeira experiência sensorial.

UMAMI traz o melhor da cozinha asiática para o coração do Algarve

“Na culinária asiática, robatayaki, muitas vezes abreviado para Robata, refere-se a um método de cozinhar semelhante ao barbecue em que os alimentos são cozinhados em diferentes velocidades sobre o carvão quente”, começa por explicar David Madeira, Diretor de F&B da Quinta do Lago, adicionando que “foi este o ponto de partida para a criação do nosso novo restaurante. O UMAMI não é um restaurante de sushi, mas sim uma opção sofisticada e autêntica que traz consigo o melhor da cozinha asiático. O nosso primeiro restaurante asiático, uma oferta que passamos agora a ter para os nossos residentes e visitantes”.

Este género culinário oferece, tradicionalmente, uma combinação de peças de marisco e legumes, mas pode também contar com outros alimentos adequados para grelhar e permite cozinhar de forma mais saudável.

Inspirado pelos pescadores das águas costeiras do norte do Japão, que grelham peixe nos seus barcos sobre brasas quentes e partilham-no uns com os outros utilizando os seus remos, o UMAMI cozinha com elementos naturais para criar combinações de sabores frescos e criativos sem comprometer na qualidade. Este novo restaurante oferece-lhe uma sofisticada reviravolta no estilo tradicional asiático de comer e beber informalmente, apresentando uma cozinha oriental moderna que é autêntica, mas não tradicional. Com uma forte componente sustentável, recorre à Q Farm, a quinta da Quinta do Lago, para trazer os ingredientes orgânicos mais frescos para a mesa, e conta também com atum e carvão sustentável.

No UMAMI, a delicadeza do grelhador robata é complementada por especialidades asiáticas deslumbrantes, tais como sushi, sashimi, acompanhadas por aperitivos com infusão de Sake e cocktails.

Uma nova experiência sensorial com o “quinto sabor”

Durante anos, sempre foram conhecidos apenas quatro sabores básicos do paladar: doce, ácido, salgado e amargo. Umami é a denominação japonesa do “quinto sabor“, uma descoberta relativamente recente, e significa “saboroso e agradável” e representa aquilo que a Quinta do Lago visa oferecer aos seus residentes e clientes: uma experiência nova, única, sofisticada e moderna através da sua oferta gastronómica.

Apresentando-se como um restaurante boutique, o UMAMI dá-lhe a oportunidade de se deliciar por estes pratos, petiscos e bebidas tanto dentro do restaurante, como à beira da piscina. Tem capacidade para 20 pessoas no interior e 60 no exterior, 30 das quais em espaço lounge. O seu horário de funcionamento é a partir das 17h30 para que possa desfrutar do pôr-do-sol e cocktails no agradável espaço exterior.

O UMAMI localiza-se na RESERVA, um condomínio de luxo exclusivamente disponível para alugar, que oferece a experiência de um verdadeiro estilo de vida natural. Com vista para o Parque Natural da Ria Formosa, atinge o equilíbrio perfeito entre o design contemporâneo e a sensibilidade clássica, e convida-o a instalar-se na qualidade de vida entre a natureza.

Website: Quinta do Lago

Website: Restaurante UMAMI

Cedro do Noval Branco 2020

Cedro do Noval Branco 2020

Vinho com uma cor límpida, brilhante, cor amarela dourada, intensidade média, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade pronunciada, complexo, muito floral, com aromas de camomila, feno, flores secas, frutas brancas, ameixa e ananas verde, baunilha.

Na boca é um vinho seco, com acidez média+, intensa, elegante, álcool médio (13,0º), corpo médio (+), untuoso, envolvente, intenso, especiado, mineral, correspondendo ao nariz, final longo e muito boa persistência.

É um vinho de qualidade excelente, com aroma frutado e floral pronunciado, frescura imensa, equilibrado, untuoso, muito elegante, mineral, madeira muito bem integrada, viciante, que dá um prazer imenso. Harmonização com marisco na perfeição.

Cedro do Noval Branco 2020

Castas : Viosinho (65%), Gouveio (35%)
Região: Douro


A minha nota pessoal: FB 92

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website : Quinta do Noval
Website: Cedro do Noval Branco 2020

Preços : Cedro do Noval Branco 2020

Ficha Técnica : Cedro do Noval Branco 2020

Taylor’s lança Single Harvest Tawny 1896

Taylor’s Single Harvest Tawny 1896

Taylor, Fladgate & Yeatman é uma das primeiras casas de vinho do Porto, estabelecida há mais de três séculos, desde 1692. A empresa é sobretudo reconhecida pelos seus elegantes e longevos vinhos do Porto Vintages, que estão entre os mais procurados e colecionáveis. 

A Taylor’s anuncia o lançamento de um raro vinho do Porto, Single Harvest, produzido na magnífica vindima de 1896, uma das melhores do século 19, a partir das suas extensas e valiosas reservas de vinhos do Porto que envelhecem em madeira nas caves da empresa em Vila Nova de Gaia.

Em raras ocasiões, por escolha da família, estes vinhos têm sido lançados como Edições Limitadas. Chegou agora a vez deste vinho de valor inestimável! No seu 125º ano de envelhecimento em velhos cascos de carvalho, este vinho atingiu uma qualidade mágica, difícil de comparar mesmo com os poucos vinhos de idade semelhante que sobreviveram até aos dias de hoje.

Adrian Bridge, Diretor Geral da Taylor’s comenta: “O lançamento de um vinho tão antigo, valioso e único ocorre apenas algumas vezes numa geração. É pela sua natureza um evento histórico por direito próprio que a Taylor’s tem o orgulho de partilhar com amantes do vinho e colecionadores de vinhos raros.” E acrescenta: “Provar este vinho é uma experiência única na vida.”

Ao longo dos anos, a empresa lançou uma série de edições limitadas de vinhos do Porto muito valiosos e antigos. Estas incluem o muito raro Taylor’s SCION de 1855 e o Taylor’s Single Harvest 1863, um dos últimos vinhos pré-Phylloxera a serem comercializados. O Single Harvest 1896 é o mais recente desses raros lançamentos de vinhos do século XIX.

O Taylor’s Single Harvest Tawny 1896 será apresentado num decantador personalizado de cristal escocês, numa luxuosa e muito elegante caixa de madeira de cerejeira. Será oferecido em alocação para colecionadores e conhecedores de vinhos raros em todo o mundo.

Cada embalagem contém um certificado personalizado e assinado pelo diretor-geral da Taylor’s, Adrian Bridge.

Foram produzidas 1 700 unidades que vão estar disponíveis em lojas da especialidade em Maio pelo preço de 4800€.

Nota de prova

Núcleo cor de mogno com reflexos em verde azeitona no bordo. A qualidade mágica deste vinho é única, difícil de comparar mesmo com os poucos vinhos de idade semelhante que sobreviveram até aos dias de hoje. A sua profundidade e densidade são surpreendentes, mesmo tendo em conta a concentração do vinho ao longo de um século e um quarto de envelhecimento em madeira. No início, um perfume rico e sedutor de café preto e alcaçuz toma o centro do palco, mas de imediato emergem uma série de outros aromas e nuances, criando uma intrincada teia de aromas complexos. Notas de cedro serrado mesclam-se com notas de pétala de rosa seca, erva-doce e eucalipto. Apontamentos de pimenta preta e baunilha adicionam uma dimensão picante quente. Na boca o vinho é denso, redondo e aveludado com um volume e uma concentração impressionantes, a doçura é equilibrada por uma acidez fresca. Sabores suaves de café e caramelo combinam com notas vibrantes de casca de laranja e frutas cítricas. Os sabores densos e maduros permanecem num fim de boca interminável.

Website : Taylor’s

Website : Taylor’s Single Harvest Tawny 1896

%d bloggers like this: