Fonseca Porto Vintage 1985

Fonseca Porto Vintage 1985

Vinho com uma cor límpida, brilhante, cor tijolo, carmesim, laivos vermelhos, intensidade média, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade pronunciada, frutado, fruta vermelha de caroço, cereja confitada, ameixa seca, figo seco, tamara, bolo inglês.

Na boca é um vinho doce, acidez média, taninos elegantes, suaves, envolventes, álcool alto, corpo médio (+), amplo, fruta vermelha de caroço confitada, tamaras e figos, especiaria, apimentado, final prolongado, marcante e muito persistente.

Cheesecake de frutos vermelhos

É um vinho de qualidade excelente, muito elegante, frutado, requintado, suculento, amplo, envolvente, muito equilibrado dando um prazer enorme, está num ponto ótimo para ser bebido, mas com potencial para mais anos, para quem tiver paciência.


Castas: Blend Vinho do Porto
Região: Douro


A minha nota pessoal: FB 93

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website: Fonseca

Preços: Fonseca Porto Vintage 1985

Ficha Técnica: Fonseca Porto Vintage 1985

Casa de Saima Garrafeira Baga 2015

Casa de Saima Garrafeira Baga 2015

Vinho com uma cor límpida, cor rubi, brilhante, intensidade média. Nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade média (+), complexo, muito frutado, frutos silvestres vermelhos, bagas, framboesas, romã, terroso, olaria, torrado, café e fumo, herbáceo, erva seca.

Na boca é um vinho seco, com acidez média (+), taninos altos, potentes, que se espalham pelo palato, persistentes, álcool médio (13,0º), corpo médio, amplo, intenso, frutado, com um final médio (+) e muito boa persistência.

Casa de Saima Garrafeira Baga 2015

É um vinho com uma qualidade muito boa, complexo, com muita elegância e equilíbrio, suavidade e frescura, fruta requintada, e muita especiaria. Está no ponto ótimo para ser bebido, com tudo em perfeita ligação e harmonia.


Castas: Baga (100%)
Região: Bairrada


A minha nota pessoal: FB 93

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Onde comprar: Portugal Vineyards

This image has an empty alt attribute; its file name is image001-1.png

Website: Casa de Saima
Website: Casa de Saima Garrafeira Baga 2015

Preços: Casa de Saima Garrafeira Baga 2015

Quinta do Noval Porto Colheita 2009

Quinta do Noval Porto Colheita 2009

Vinho com uma cor límpida, brilhante, cor âmbar, laivos vermelhos, intensidade média (+), nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade pronunciada, intenso, complexo, frutos vermelhos, cerejas confitadas, frutos secos, amêndoas torradas, caramelo, toffee, especiarias, café, chocolate branco, terroso.

Na boca é um vinho doce, com acidez alta, álcool alto, corpo cheio, sabor intenso, poderoso, citrino, frutos vermelhos confitados, caramelo, amêndoas, apimentado, sedoso, com um final longo e grande persistência, puro deleite.

Pastel de nata com gelado de canela e molho de caramelo

É um vinho de qualidade excelente, complexo, fruta elegante, especiaria, rico, equilibrado, aveludado, com uma frescura fabulosa, citrina, que dá um prazer enorme, muito felicidade ao beber este vinho. Combinou na perfeição com a sobremesa. (Restaurante Dona Maria)

Preço de venda ao publico – Quinta do Noval Colheita 2009 (PVP: 58,5€).


Castas: Touriga Nacional, Touriga Francesa, Tinta Roriz, Tinta Barroca, Tinto Cão
e Sousão
Região: Douro


A minha nota pessoal: FB 93

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website: Quinta do Noval

Ficha Técnica: Quinta do Noval Porto Colheita 2009

Video: Quinta do Noval Porto Colheita 2009

TAYLOR’S LANÇA QUINTA DE VARGELLAS VINTAGE 2020

A Taylor’s vai engarrafar o Quinta de Vargellas Vintage 2020.

Comentando o anúncio, o Director Geral da Taylor’s, Adrian Bridge, declara: “Estamos muito satisfeitos com Taylor’s Quinta de Vargellas Vintage 2020 que apresenta a elegância e a estrutura que associamos a esta excelente propriedade.” E acrescenta: “Este Vintage vai permanecer nas nossas caves e será lançado posteriormente, para satisfazer a crescente procura de Single Quinta Vintages maduros a que assistimos nos muitos mercados onde estamos presentes e onde o Quinta de Vargellas Vintage é uma referência.”

Para David Guimaraens, Director de Enologia da Taylor’s: “Dois meses marcaram o ano de 2020: Fevereiro, seco e muito quente, que resultou numa muito baixa ‘nascença’, e Julho, muito quente (+ 3,5ºC), sem memória de um Julho tão quente. A ‘nascença’ baixa e o fenómeno repetido de ‘escaldão’ marcaram indelevelmente o ano. O mês de Agosto foi mais fresco que o normal, mas chuva dos dias 17 a 20 e a reposição de tempo muito quente provocou uma aceleração no amadurecimento das uvas que obrigou a acelerar a vindima em todo o vale.” E salienta: “A variabilidade de localizações na viticultura de montanha do Vale do Douro desempenha um papel fundamental em anos extremos como este, permitindo a produção de vinhos do Porto de excelência como é o caso deste Quinta de Vargellas 2020.”

Foram produzidas 2.500 caixas (de 9 litros, 12 garrafas).

NOTA DE PROVA

Intensa cor púrpura escura com um nariz muito expressivo de frutos silvestres, notas de cereja preta, framboesas e um toque de alcaçuz. As notas florais, que são a marca distintiva do Vintage Vargellas, estão proeminentes, assim como as delicadas fragrâncias de violetas que combinam maravilhosamente com os sabores de frutos silvestres que lhe dão a estrutura. Os taninos lineares conferem grande firmeza e uma atraente austeridade ao vinho. Este é um Vargellas Vintage harmonioso, equilibrado e fino.

NOTAS SOBRE O ANO VITÍCOLA DE 2020

O ano de 2020 pode ser caracterizado pelo rendimento extremamente baixo, resultante das condições climáticas do ano. As condições extremas de 2020 têm semelhanças com os anos de 2009 e 1820, quando os níveis de açúcar atingiram níveis extraordinariamente altos.

Após três anos consecutivos de precipitação abaixo da média, o período de dormência, Novembro e Dezembro de 2019, registou chuvas significativas, 310 mm no Pinhão, enchendo as reservas do solo. O restante do período de dormência foi quente e seco, com temperaturas mínimas elevadas resultando no abrolhamento mais precoce em 18 anos, tendo ocorrido no Pinhão no dia 3 de Março.

No início da época de crescimento, percebemos que a fertilidade muito baixa resultaria num ano de baixa produção. Com menos cachos por videira, manteve-se a esperança de uma época de crescimento equilibrado, proporcionando uma produção razoável. O quadrimestre de crescimento (QC – Março a Junho) continuou quente, e com chuvas regulares em Março e Abril garantindo reservas hídricas suficientes para enfrentar o remanescente da temporada. Esta chuva regular exigiu, no entanto, um controlo persistente do míldio (Abril e Maio) e do oídio (Maio e Junho).

Os primeiros sinais de floração nas vinhas letra A foram registados a 4 de Maio, confirmando o desenvolvimento avançado das vinhas. No dia 22 de Junho houve uma mudança brusca no clima, e no dia seguinte a temperatura máxima atingiu 40,75ºC e a humidade relativa caiu para 13%. Isso causou a queima de bagos e cachos mais expostos e contribuiu para uma quebra adicional nos já baixos rendimentos esperados.

O pintor ocorreu a 7 de Julho, no que seria o Julho mais quente desde 1931, altura em que os registos começaram. A temperatura média de Julho foi de 28,19º C em comparação com a média de 2005-2019 de 24,7º C

Agosto foi mais ameno (-0,5ºC do que a média), e em meados de Agosto as sebes das vinhas estavam significativamente bem conservadas. Os baixos rendimentos, juntamente com as boas reservas de água do Inverno e da Primavera, levaram a um rápido ritmo de amadurecimento. Entre os dias 17 e 20 de Agosto choveu 21 mm, o que contribuiu ainda mais para o amadurecimento; no final de Agosto houve uma mudança visível na conservação das uvas. Tendo sido particularmente evidente para a Touriga Francesa.

No dia 5 de Setembro iniciámos a vindima na Quinta de Vargellas.

TAYLOR’S

A Taylor’s foi fundada há mais de três séculos, em 1692, e é uma empresa familiar – detida e gerida – ao longo de toda a sua história. A Taylor’s é reconhecida como a referência para o vinho do Porto Vintage; os seus Vintages clássicos recebem as pontuações mais altas e os preços mais elevados nos leilões. Conhecidos pela sua elegância, longevidade e pelo distintivo carácter aromático, o lote é produzido a partir dos melhores vinhos das quintas da Casa. Estas três famosas propriedades – Vargellas, Terra Feita e Junco – encontram-se em distintas localizações geográficas e cada uma contribui com o seu carácter único e dimensão para a subtil harmonia do lote. Estas propriedades representam o melhor em termos de inovação e tradição, combinando as mais avançadas prácticas vitícolas com a tradicional pisa no lagar, que permanece ainda como o melhor método para a produção de vinho do Porto Vintage.

QUINTA DE VARGELLAS

Os vinhos da Quinta de Vargellas formam, tradicionalmente, a base dos Vintages da Taylor’s. Esta magnífica propriedade, reconhecida como um dos melhores vinhedos do mundo, foi adquirida pela Taylor’s Quinta de Vargellas Vintage 2020 em 1893, a sua reputação como produtora de vinhos do Porto de grande qualidade remonta a 1820. Localizada num remoto recanto do vale do Douro, Vargellas é reconhecida pelos seus elegantes e perfumados vinhos, muito frutados e com taninos vigorosos. É igualmente reconhecida como a fonte de um dos mais raros e coleccionáveis vinhos do Porto Vintage, o Vargellas Vinha Velha, produzido em pequeníssimas quantidades a partir das parcelas de vinha velha da quinta.

Website: Taylor’s

Schloss Johannisberger Grunlack Riesling Spatlese 2019

Vinho com uma cor límpida, brilhante, cor amarela, intensidade média (+), nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade pronunciada, complexo, frutado, maça, pêssego branco, ananas fresco, laranja e lichia, floral, flores brancas, mel, mineral, borracha.

Na boca é um vinho doce, com acidez média (+), intenso, elegante, álcool baixo (8,5º), corpo médio (+), guloso, sedoso, envolvente, frutado, maçã doce, ananas, lichia, mel, citrino, intenso, mineral, salino, final longo e muito boa persistência.

É um vinho de qualidade excelente, com aroma frutados e florais, exóticos, mineral, frescura intensa, equilibrado, suculento, muito elegante, que dá muito prazer beber. Com o seu doce e frescura harmonizou na perfeição com pratos de comida indiana, cheios de especiarias e picantes.


Castas: Riesling 100%
Região: Alemanha – Rheingau


A minha nota pessoal: FB 93

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website: Schloss Johannisberg
Preços: Schloss Johannisberger Grunlack Riesling Spatlese 2019

A QUINTA DO NOVAL DECLARA O PORTO VINTAGE 2020

Christian Seely, Diretor Geral da Quinta do Noval, comenta:

“É com a maior satisfação que venho anunciar a declaração de vintage para dois vinhos excecionais;

Quinta do Noval Vintage Nacional 2020 e Quinta do Noval Vintage 2020. 2020 foi um ano quente e seco, com um período longo de maturação que culminou numa vindima precoce com uvas maduras no início de setembro. Os vinhos resultantes são extremamente ricos e intensos, encorpados, sedosos e com uma grande densidade. A estrutura tânica é imensa, mas com uma notável elegância.

Desde a vindima que soubemos da excelência do Nacional, e o vinho evoluiu maravilhosamente desde então. Existem anos que sabemos logo após a pisa em lagar que iremos declarar um Porto Vintage Nacional e 2020 foi um desses anos. O vinho exibe complexidade e profundidade que são típicas de um grande Nacional.

O Quinta do Noval Vintage apresenta um estilo invulgarmente concentrado e intenso para este vinho, mas mantém a pureza e frescura do vale do Pinhão, típica dos vinhos da Noval. Como habitualmente, fizemos uma seleção rigorosa dos melhores lotes de diferentes parcelas da nossa vinha. Este ano o lote final é composto por 3 lotes diferentes do vale do Pinhão e um lote do vale do Roncão.

A vindima foi muito curta, desde o início até ao dia 22 de setembro, o que é invulgar para a Noval, onde normalmente a diversidade de castas, exposições e altitudes resultam em longos períodos de vindima. Em 2020 o tempo para escolher o momento certo para colher cada parcela foi muito curto e a capacidade dos nossos três centros de vinificação em lagares foi utilizada em pleno.

Os vinhos resultantes são puros, aromáticos e com uma densidade notável. Optámos este ano por permitir açúcares residuais ligeiramente mais elevados do que o habitual, e o resultado é uma harmonia e riqueza que é muito particular a este ano maravilhoso na Quinta do Noval.”

Website: Quinta do Noval

Quinta de São Sebastião DOC Arruda Tinto 2019

Quinta de São Sebastião DOC Arruda Tinto 2019

Vinho com uma cor límpida, cor rubi, brilhante, intensidade média (+). Nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade média, vinhoso, frutado, frutas de caroço, cerejas, ameixas, floral, violeta, ligeiro balsâmico, eucalipto, especiaria, pimenta, fumo.

Na boca é um vinho seco, com acidez média, taninos médios, aveludados, elegantes, álcool médio (13,5º), corpo médio, amplo, frutado, vinhoso, com um final médio (+), seco e muito boa persistência.

É um vinho com uma qualidade muito boa, muito delicado, com elegância e equilíbrio, suavidade e frescura, final com secura, está num ponto ótimo para ser bebido. Acompanhou umas favas guisadas com entrecosto, maravilhosamente.

Favas guisadas com entrecosto

Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz
Região: Lisboa DOC Arruda


A minha nota pessoal: FB 88

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website: Quinta de São Sebastião
Website: Quinta de São Sebastião DOC Arruda Tinto 2019

Kopke Porto Colheita 2000

Kopke Porto Colheita 2000

Vinho com uma cor límpida, brilhante, cor âmbar, com tons de tijolo, bordo esverdeado, intensidade média, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade pronunciada, aromas terciários, frutos secos, nozes, pinhões, passas de uva, gengibre, mel, especiaria, canela, terroso.

Na boca é um vinho doce, com acidez média (+), álcool alto (20,0º), corpo cheio, intenso, elegante, amplo, frutos secos, gengibre, picante, especiado, sedoso, com um final muito longo, ligeiramente seco e grande persistência.

É um vinho de qualidade excelente, complexo, delicado, elegante, equilibrado, aveludado, cheio de frescura, encantador, vibrante, permanecendo muito tempo na boca. Brilhante com uma tarte de amêndoa, foi engarrafado em 2010.

Tarte de amêndoa

Castas: Lote tradicional vinho do Porto
Região: Douro


A minha nota pessoal: FB 94

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Onde comprar: Portugal Vineyards

This image has an empty alt attribute; its file name is image001-1.png

Website: Kopke

Website: Kopke Porto Colheita 2000

Preços: Kopke Porto Colheita 2000

Dow’s Porto Colheita 1969

Dow’s Porto Colheita 1969

Vinho com uma cor límpida, brilhante, cor castanha, bordo esverdeado, intensidade média (+), nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade pronunciada, complexo, aromas terciários, frutos secos, nozes, amêndoas, figos, baunilha, café torrado, caramelo, toffee, ligeiro verniz e vinagrinho.

Na boca é um vinho doce, com acidez alta, álcool alto (20,0º), corpo cheio, sabor intenso, poderoso, amplo, frutos secos, café, caramelo, tostados, sedoso, com um final muito longo e grande persistência.

Pudim de requeijão, com caramelo torrado.

É um vinho de qualidade excelente, complexo, rico, elegante, equilíbrio perfeito entre acidez e doçura, concentrado, aveludado, frescura, viciante, que dá um enorme prazer, permanecendo muito tempo na boca. Acompanhou um pudim de requeijão, com caramelo torrado, na perfeição.


Castas: Lote tradicional vinho do Porto
Região: Douro


A minha nota pessoal: FB 93

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website: Dow’s

Quinta Dona Matilde Field Blend Tinto 2018

Quinta Dona Matilde Field Blend Tinto 2018

Vinho com uma cor límpida, cor rubi, brilhante, intensidade média. Nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade média (+), aromas primários, frutado, frutos pretos silvestres, ameixa e cereja preta, balsâmico, menta, esteva.

Na boca é um vinho seco, com acidez média, taninos médios (+), intensos, mas suaves, elegantes, álcool médio (+) (14,0º), corpo médio, amplo, intensidade média (+), frutado, apimentado, com um final médio (+) e boa persistência.

Quinta Dona Matilde Field Blend Tinto 2018

É um vinho com uma qualidade muito boa, elegante, equilibrado, muito frutado e balsâmico, fruta preta silvestre, envolvente, cheio de frescura e suavidade na boca. Está no num ponto ótimo para ser bebido, acompanhou uma carne de vaca grelhada maravilhosamente.


Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Francisca, Tinto Cão e Tinta Roriz,
Região: Douro


A minha nota pessoal: FB 89

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website: Quinta Dona Matilde

%d bloggers like this: