Sicario: viajar ao México sem sair de casa

A partir do dia 20 de maio, o restaurante mexicano em Matosinhos promete trazer mais “salero” ao período de confinamento, com novos menus de takeaway, pensados para partilha entre 2, 4 ou 6 pessoas. Portas abrem-se oficialmente a 3 de junho.

“Al mal tiempo, buena cara”. A expressão mexicana que convida a ver o lado bom da vida mesmo nos momentos mais desafiantes, serve de mote ao regresso do Sicario e dos sabores autênticos da comida do México, em regime takeaway e entrega ao domicílio, a partir de 20 de maio.

O restaurante preparou menus especiais, para viajar pelas tradições da gastronomia que é considerada Património da UNESCO, sem sair de casa. E o cartão de embarque tem um novo destino a cada semana, para dar a conhecer os sabores de cada região do país.

Além das opções à la carte do menu de takeaway e entrega ao domicílio, o Sicario criou packs especiais para 2, 4 ou 6 pessoas, que dão a provar o melhor do México à mesa, por 12€ por pessoa.

Num convite à partilha, os packs incluem as famosas Botanas, entradas compostas por Pico de gallo, Frijoles refritos e Totopos, bem como o tradicional Guacamole.

A comida da abuela, saída diretamente das casas das avós mexicanas, é o prato principal desta oferta. Há várias opções à escolha, cujo número varia consoante o pack, que vão desde o Pollo Morita, peito de frango com molho fumado de Amendoim Chile Morita, ao clássico Taco Pastor, com carne de porco cozinhada no espeto e cobertura de especiarias e ananás, passando pelo Prato Especial da Semana, que aponta as coordenadas para receitas das várias regiões mexicanas. Como acompanhamento, o pack inclui Calabaza a la mexicana, a receita de abóbora original da casa, Arroz a la mexicana, as indispensáveis Tortillas e as Papas al Horno (que é como quem diz, batata assada), exclusivas do menu para 6 pessoas.

A experiência não poderia estar completa sem uma das estrelas da casa: o Pastel de Tres Leches, um bolo com morango que promete adoçar os tempos de confinamento.

A partir de 3 de junho, o Sicario abre oficialmente as portas ao público com medidas de higiene e segurança reforçadas, de acordo com as recomendações da Direção Geral de Saúde, apenas aos jantares, das quartas aos sábados (entre as 19h30 e as 23h00), e aos almoços de domingo (das 12h00 às 18h00). Para essa data estão reservadas mais novidades e muita “buena onda”, ao bom estilo mexicano.

Até ao dia 3 de junho, o restaurante estará aberto para entregas ao domicílio e takeaway das quartas às sextas, das 18h00 às 22h00, sábados das 12h30 às 22h00 e domingos das 12h30 às 17h30.

Contactos para encomendas:

Rua Roberto Ivens 340

4450-247 Matosinhos

+ 351 22 766 8382

Email: reservations@sicario.pt

Website : Uber Eats

Website : Sicario

Restaurante Barão Fladgate reabre a 21 de maio: Porto sentido à mesa

Com vista panorâmica sobre o rio Douro e a paisagem ribeirinha do Porto, o Barão Fladgate elogia a cidade à mesa, convidando a um regresso tranquilo e seguro.    

Perto da vista, perto do coração. O Barão Fladgate, restaurante das caves Taylor’s, convida a um reencontro com a cidade do Porto, celebrando a sua gastronomia e, claro, o vinho. A partir de 21 de maio ao jantar, o espaço volta a abrir portas, cumprindo um rigoroso plano de higiene e segurança, em conformidade com todas as recomendações da Direção Geral de Saúde e do selo “Clean & Safe” do Turismo de Portugal.

Neste regresso ansiado, a experiência gastronómica celebra a cidade do Porto à mesa. Com vista panorâmica sobre a Ribeira do Porto e o Rio Douro, o restaurante combina os sabores nacionais com influências internacionais e uma seleção dos melhores vinhos, com o destaque para o ícone da casa – e da cidade, o vinho do Porto.

Para além das opções à carta disponíveis ao almoço e ao jantar, uma das sugestões é o Menu Taylor’s, composto por três pratos (entrada, prato e sobremesa) todos eles harmonizados com vinho do Porto (Porto Tónico Taylor’s Chip Dry, Taylor’s Late Bottled Vintage e Taylor’s Tawny 10 anos), por 54,00 € por pessoa. Ao almoço, o menu executivo, renovado a cada semana, convida a desfrutar do generoso terraço, uma verdadeira varanda sobre o Douro. O menu inclui três pratos e um copo de vinho, por 28, 00 € por pessoa.

Com um ambiente elegante e intimista, proporcionado pelo envolvimento nas caves de vinho do Porto, o restaurante Barão Fladgate promete uma refeição tranquila e segura, mantendo um espaçamento generoso entre as mesas e uma boa circulação de ar, reforçada pelas portas abertas para o terraço. A esplanada é também convidativa, sobretudo nos dias longos que se avizinham, para uma refeição ao ar livre, com total conforto e comodidade.

O restaurante pensou também nas famílias, criando espaços reservados para mesas familiares e pratos para os mais pequenos.

A reserva é, nesta fase, obrigatória através do telefone (223 772 951), e-mail bookings@baraofladgate.pt e sites de reservas habituais.


Horário de abertura:

Aberto Todos os dias

Almoço – 12:30 – 15:00

Jantar – 19:00 – 22:00

Contactos para reservas: 

Restaurante Barão Fladgate nas Caves Taylor’s 

Rua do Choupelo, 250

4400-088 Vila Nova de Gaia

Telf.: 223 772 951

E-mail: bookings@baraofladgate.pt 


Website : Barão Fladgate

Masterclass de vinhos do Porto Vintage


A produtora de vinhos de categoria premium vai realizar, em primeira mão, em direto no Instagram no dia 19 de maio (em inglês) e no dia 21 (em português), uma prova de uma amostra do Churchill’s Quinta da Gricha Vintage Port 2018, integrada numa Masterclass de vinhos do Porto Vintage.

Não será um lançamento mas sim a possibilidade de os fãs da Churchill’s e amantes de vinho do Porto, que comprarem online o E-Tasting kit, poderem provar uma ‘amostra de casco’ do Single quinta Vintage – Churchill’s Quinta da Gricha Vintage Port 2018. Um vinho que será engarrafado e ficará guardado nas caves da empresa para lançamento futuro.Este é um Vintage “bem estruturado e elegante com a frescura, pureza de fruta e tensão associadas aos vinhos desta Quinta”, afirma John Graham. O fundador e enólogo principal da casa adianta que “as condições climáticas difíceis de 2018 originaram comportamentos diferentes das vinhas na Região do Douro. No caso específico das vinhas da Gricha, a exposição virada a Norte e a localização bem arejada permitiram ultrapassar essas dificuldades e obter-se uma maturação equilibrada e completa, dando origem a vinhos que expressam ao máximo o potencial único desta propriedade”.

Os Vintages da Quinta da Gricha são vinhos artesanais com mínima intervenção, resultantes de vindima manual, fermentação natural mais prolongada, com engaço, e pisa 100% a pé em lagares de pedra. A Churchill’s tem lançado vinhos do Porto Vintage da Gricha todos os anos, desde 1999, com exceção apenas de 2002 e 2010. A produção deste single quinta Vintage é sempre reduzida, no caso do 2018 será de cerca de 450 caixas.

O ano de 2017-2018 foi um ano atípico, quando comparado com os anos anteriores. O inverno foi frio e seco, choveu muito na primavera e o verão começou frio e com chuva, mas terminou extremamente quente e seco. Esta instabilidade climática reduziu o rendimento em cerca de 30%. Apesar disso, “a equipa da enologia da Churchill’s considerou que as uvas da Quinta da Gricha expressavam na plenitude as características únicas do seu terroir, pelo que decidiu produzir o seu Single Quinta”, explica Ricardo Pinto Nunes, diretor de produção da empresa.

Assim, “este é um vinho de cor preta retinta até ao bordo violeta. No nariz, tem aromas intensos de mirtilos em conjunto com nuances de mentol e lavanda”, diz John Graham. “É focado, tenso e preciso em boca, mostrando um carácter mineral e vibrante, com uma veia de acidez natural juntamente com uma firme estrutura tânica, resultando num vinho elegante, puro e com excelente potencial de envelhecimento”, considera o fundador da Churchill’s.

As ‘Masterclasses virtuais de Vinho do Porto’ deste mês resultam do sucesso das ‘Conversas virtuais com Enólogos’, realizadas em abril pela Churchill’s, continuando assim a aproximar a sua comunidade num momento de distanciamento social.

A prova de Vinhos do Porto Vintages será transmitida em direto no Instagram da Churchill’s nos dias 19 (em inglês) e 21 de maio (em português), às 20h00, e terá a duração de uma hora, incluindo perguntas e respostas aos enólogos e convidados (https://www.instagram.com/churchills_port/). Os seguidores da Churchill’s poderão acompanhar a prova ao mesmo tempo que os enólogos, já que a empresa tem à venda na sua loja online o E-Tasting kit, com envio gratuito para Portugal. Tal como nas edições anteriores, as Masterclasses serão depois publicadas online no canal de YouTube da Churchill’s.

Nesta Masterclass, John e Ricardo, os dois enólogos da casa, vão apresentar uma prova vertical de Vinhos do Porto Vintage da Churchill’s, começando pelo LBV, passando pelo Churchill’s Vintage Port 1994 e pelo Churchill’s Vintage Port 2014 (com 20 anos de diferença entre eles), uma prova de edição limitada diretamente da nossa enoteca do Quinta da Gricha Vintage Port 2005, e terminando então com a oferta de uma ‘amostra de casco’, em primeira mão, do ainda não engarrafado single quinta vintage – Churchill’s Quinta da Gricha Vintage Port 2018.

Website : Churchill’s

Taylor’s Lança Single Harvest 1970 Um vinho sublime, ideal para celebrar 50 anos.

O Taylor’s Single Harvest 1970, o sétimo da série de edições limitadas de vinhos do Porto com meio século, é um vinho magnífico e um digno herdeiro da arte do envelhecimento em madeira que a Taylor’s afinou ao longo dos séculos.

Estes vinhos extraordinários envelhecem tranquilamente nas frescas e húmidas Caves em Vila Nova de Gaia onde as condições são ideais para que os vinhos possam gradualmente desenvolver os ricos e sublimes perfumes, característicos de um vinho do Porto muito velho. A suprema elegância, o requintado sabor e o interminável fim de boca torna-os indispensáveis numa celebração de 50 anos, que se pretende inesquecível.

Adrian Bridge, director geral da Taylor’s, refere: “Desde que lançámos o primeiro Single Harvest em 2014, registamos um crescente interesse por parte dos amantes de vinho do Porto e coleccionadores para estas colheitas raras. O vinho do Porto é um dos raros vinhos que após meio século de envelhecimento, apresenta enorme complexidade e delicadeza.”

O Taylor’s Single Harvest 1970 está pronto a ser consumido. A temperatura óptima de consumo é entre os 12 e os 16ºC. Apresentado na clássica garrafa fosca associada aos famosos Tawnies de idade da Taylor’s está acondicionado numa elegante caixa de carvalho. Vai estar disponível nas melhores garrafeiras do país a partir de Junho, com o PVP recomendado de €300.

Notas de Prova:

Núcleo mogno pálido cercado por um amplo bordo cor ouro pálido com subtis reflexos azeitona. Na primeira impressão, o vinho é etéreo, mas logo começa a mostrar camada após camada de aromas multidimensionais. Os primeiros a surgir são notas de madeira serrada e folha de charuto, num fundo de cedro, bálsamo e citrinos. Segue-se uma redolência suave e macia a maçapão, nozes e café, com notas de sultana e ameixa e notas picantes de pimenta preta e cardamomo. Finalmente, o nariz abre-se numa dimensão salgada discreta, com notas torradas e de ervas selvagens. Na boca, o vinho tem uma textura suave e aveludada. Rico, denso e sumptuoso, reveste a língua com opulento e maravilhoso sabor a café e a caramelo com notas de noz e casca de laranja cristalizada, mas com uma notável frescura vinda da corrente de viva acidez que percorre o paladar até o longuíssimo e extraordinário final. Um vinho do Porto maravilhosamente elegante, finamente constituído e admiravelmente amadurecido, que proporciona uma onda de riquíssimo sabor a cada gole.

Sugestões de Serviço:

Acompanha de forma sublime muitas sobremesas. Combina muito bem com sabores de figos, amêndoas e caramelo. É igualmente excelente para acompanhar um leite-creme ou uma taça de morangos. Também pode ser apreciado sozinho, no final da refeição, ou com nozes e outros frutos secos.

O ano vitícola de 1970, no Douro:

Os meses de Outubro e Março registaram uma pluviosidade acima da média. A Primavera foi muito seca tendo sido seguida de chuva em Maio e Junho. De Julho a Outubro não ocorreu quase nenhuma precipitação tendo a vindima decorrido em condições ideais. No início da vindima as uvas estavam em perfeitas condições e completamente livres de doenças. Dias ensolarados e noites frias resultaram em mostos com grande profundidade de cor que exigiram muito trabalho no lagar. Os rendimentos foram elevados e a expectativa da produção de vinhos de qualidade era grande.

As Caves Taylor’s:

As caves Taylor’s são autênticas ‘catedrais do vinho’, construídas há vários séculos fornecem as condições ideais para o longo e suave envelhecimento do vinho do Porto. Com grossas paredes de granito e tectos muito altos conservam uma temperatura baixa e constante ao longo do ano. Muito importante é também a proximidade das caves ao rio Douro e ao oceano Atlântico, que fornecem a humidade necessária a um bom envelhecimento, pois limitam a evaporação. Esta evaporação, essencial ao excelente envelhecimento dos Tawnies, permite o desenvolvimento de um fungo preto sobre as telhas das caves, responsável pela característica cor escura dos telhados das caves do vinho do Porto.

A Taylor’s:

A Taylor’s é uma das primeiras e históricas casas de vinho do Porto, tendo sido estabelecida em 1692. Empresa familiar desde a sua fundação dedica-se exclusivamente à produção de vinhos do Porto de grande qualidade, desde o plantio da vinha e cultivo das uvas à elaboração, envelhecimento e engarrafamento dos lotes de vinhos. O compromisso da família com o futuro do vinho do Porto é também demonstrado na sua determinação em preservar o ambiente único da região do Douro, através da promoção de uma viticultura sustentável, nas suas dimensões ambiental, social e económica.

A empresa é sobretudo conhecida pelos seus elegantes e longevos vinhos do Porto Vintages, que estão entre os mais reconhecidos, procurados e coleccionáveis, provenientes da emblemática Quinta de Vargellas e das Quintas da Terra Feita e Junco.

A casa foi a criadora do LBV (Late Bottled Vintage), um estilo no qual a empresa foi pioneira e do qual continua a ser o principal produtor, tendo ainda sido pioneira no lançamento do Chip Dry, o primeiro Porto Branco Seco e no lançamento do primeiro Vintage Single Quinta.

A Taylor’s é também reconhecida como o mais importante produtor de Tawnies de Idade e possui uma das mais extensas reservas de vinhos do Porto envelhecidos em casco.

Mais informações em taylor.pt

Rota da Bairrada lança Guia de Enoturismo 2020 e (re)abre portas com selo Clean & Safe

Cumprindo as recomendações da Direcção-Geral da Saúde, é tempo de recomeçarmos. As pessoas precisam e a economia também. A assinatura de comunicação da marca Bairrada é “Terras de bem-viver” e, mais do que nunca, a região está empenhada em que isso aconteça. E também tempo de voltar a “bem-receber”.

Como porta de entrada, por excelência, para levar à descoberta da região, a Rota da Bairrada vai reabrir já este mês os seus dois espaços, ambos com o selo ‘Clean & Safe’, atribuído pelo Turismo de Portugal: o da Curia no dia 19 e o de Oliveira do Bairro no dia 26. Numa primeira fase com horário reduzido – de terça-feira a Sábado, das 14h30 às 19h00 – e com algumas restrições em termos de atividades – não haverá lugar a provas de vinhos e aos jogos didáticos. A seu tempo, tudo voltará à normalidade. Para já, é possível comprar vinho e demais produtos, assim como consultar a equipa da Rota para criação de roteiros, marcação de visitas e estadias, bem como outros pedidos.

A antecipar esta reabertura, a Rota lançou ontem o ‘Guia de Enoturismo Bairrada 2020’, uma ferramenta de promoção do território, que reúne a oferta turística de forma sucinta e muito prática, facilitando aos visitantes – e até aos residentes – a consulta e o planeamento das suas descobertas: agora, e de futuro! O Guia acompanha as tendências e surge em formato digital, estando disponível para consulta e download no site da Rota da Bairrada, em https://loja.rotadabairrada.pt/media/PDF-Flip/index.html. Um acesso facilmente identificado ao navegar também nas páginas de Facebook e Instagram da Rota da Bairrada, da Comissão Vitivinícola da Bairrada e da Bairrada.

Sendo a Bairrada um território vínico por excelência, é o enoturismo que dá mote a este Guia, que destaca outros pontos de interesse, como a reconhecida gastronomia, a riqueza natural e cultural, e a vasta oferta de alojamento de qualidade, desde hotéis, apartamentos turísticos, unidades de agroturismo e alojamento local. De entre os associados da Rota da Bairrada, são 26 os produtores de vinho representados, 28 restaurantes e assadores, 17 unidades de alojamento, 4 empresas de animação e uma agência de viagens. Tudo isto dentro dos oito municípios que compõem a região – Águeda, Anadia, Aveiro, Cantanhede, Coimbra, Mealhada, Oliveira do Bairro e Vagos – e que também têm papel de destaque no Guia, com a identificação de “Seis coisas a não perder” em cada um deles. Há também propostas de empresas de animação e agências de viagens cujo foco é a Bairrada.

O convite é para que imerja em experiências e momentos inesquecíveis: visite espaços de grande esplendor, produtores, adegas e caves – das mais pequenas e pitorescas, às maiores e longevas –; deleite-se com a gastronomia tradicional, que varia entre os sabores do mar e da terra, onde o Leitão da Bairrada é Rei; percorra as matas seculares e aprecie um passeio na serra ou junto ao mar…

Para Jorge Sampaio, presidente da Rota da Bairrada, esta era já uma aposta anterior à pandemia de Covid-19, na medida em que “o Enoturismo é um dos vetores estratégicos de desenvolvimento para o sector do turismo em Portugal. Contribui para o desenvolvimento sustentado de uma região, abrangendo interesses públicos e privados, e reduz a sazonalidade, criando mais oportunidades de emprego e fixação da população.”. É uma iniciativa que conta com o apoio do Turismo de Portugal, no âmbito do programa Valorizar.

Website : Rota da Bairrada

Churchill’s apresenta Quinta da Gricha Vintage Port 2018

A produtora de vinhos de categoria premium vai realizar, em primeira mão, em direto no Instagram no dia 19 de maio (em inglês) e no dia 21 (em português), uma prova de uma amostra do Churchill’s Quinta da Gricha Vintage Port 2018, integrada numa Masterclass de vinhos do Porto Vintage.

Não será um lançamento mas sim a possibilidade de os fãs da Churchill’s e amantes de vinho do Porto, que comprarem online o E-Tasting kit, poderem provar uma ‘amostra de casco’ do Single quinta Vintage – Churchill’s Quinta da Gricha Vintage Port 2018. Um vinho que será engarrafado e ficará guardado nas caves da empresa para lançamento futuro.Este é um Vintage “bem estruturado e elegante com a frescura, pureza de fruta e tensão associadas aos vinhos desta Quinta”, afirma John Graham. O fundador e enólogo principal da casa adianta que “as condições climáticas difíceis de 2018 originaram comportamentos diferentes das vinhas na Região do Douro. No caso específico das vinhas da Gricha, a exposição virada a Norte e a localização bem arejada permitiram ultrapassar essas dificuldades e obter-se uma maturação equilibrada e completa, dando origem a vinhos que expressam ao máximo o potencial único desta propriedade”.

Os Vintages da Quinta da Gricha são vinhos artesanais com mínima intervenção, resultantes de vindima manual, fermentação natural mais prolongada, com engaço, e pisa 100% a pé em lagares de pedra. A Churchill’s tem lançado vinhos do Porto Vintage da Gricha todos os anos, desde 1999, com exceção apenas de 2002 e 2010. A produção deste single quinta Vintage é sempre reduzida, no caso do 2018 será de cerca de 450 caixas.

O ano de 2017-2018 foi um ano atípico, quando comparado com os anos anteriores. O inverno foi frio e seco, choveu muito na primavera e o verão começou frio e com chuva, mas terminou extremamente quente e seco. Esta instabilidade climática reduziu o rendimento em cerca de 30%. Apesar disso, “a equipa da enologia da Churchill’s considerou que as uvas da Quinta da Gricha expressavam na plenitude as características únicas do seu terroir, pelo que decidiu produzir o seu Single Quinta”, explica Ricardo Pinto Nunes, diretor de produção da empresa.

Assim, “este é um vinho de cor preta retinta até ao bordo violeta. No nariz, tem aromas intensos de mirtilos em conjunto com nuances de mentol e lavanda”, diz John Graham. “É focado, tenso e preciso em boca, mostrando um carácter mineral e vibrante, com uma veia de acidez natural juntamente com uma firme estrutura tânica, resultando num vinho elegante, puro e com excelente potencial de envelhecimento”, considera o fundador da Churchill’s.

As ‘Masterclasses virtuais de Vinho do Porto’ deste mês resultam do sucesso das ‘Conversas virtuais com Enólogos’, realizadas em abril pela Churchill’s, continuando assim a aproximar a sua comunidade num momento de distanciamento social.

A prova de Vinhos do Porto Vintages será transmitida em direto no Instagram da Churchill’s nos dias 19 (em inglês) e 21 de maio (em português), às 20h00, e terá a duração de uma hora, incluindo perguntas e respostas aos enólogos e convidados (https://www.instagram.com/churchills_port/). Os seguidores da Churchill’s poderão acompanhar a prova ao mesmo tempo que os enólogos, já que a empresa tem à venda na sua loja online o E-Tasting kit, com envio gratuito para Portugal. Tal como nas edições anteriores, as Masterclasses serão depois publicadas online no canal de YouTube da Churchill’s.

Nesta Masterclass, John e Ricardo, os dois enólogos da casa, vão apresentar uma prova vertical de Vinhos do Porto Vintage da Churchill’s, começando pelo LBV, passando pelo Churchill’s Vintage Port 1994 e pelo Churchill’s Vintage Port 2014 (com 20 anos de diferença entre eles), uma prova de edição limitada diretamente da nossa enoteca do Quinta da Gricha Vintage Port 2005, e terminando então com a oferta de uma ‘amostra de casco’, em primeira mão, do ainda não engarrafado single quinta vintage – Churchill’s Quinta da Gricha Vintage Port 2018.

Website : Churchill’s

Brinde ao Dia Nacional do Cocktail

Organizador do Lisbon Bar Show, Alberto Pires, celebra a data com Live no Instagram e convida todos a festejar em casa com o seu cocktail favorito

Dia 18 de Maio festeja-se em Portugal o Dia Nacional do Cocktail. A data, que foi instituída em 2016 por Alberto Pires, organizador do Lisbon Bar Show – o maior evento de bar e hospitalidade a nível nacional -, pretende promover o sector das bebidas espirituosas e o know-how dos profissionais de bar.

Esta iniciativa, cuja data costuma coincidir com o Lisbon Bar Show, será este ano marcada com uma emissão ao vivo no Instagram. Tal como outros eventos de grande dimensão, face à pandemia da Covid-19, a organização do evento não teve outra alternativa senão adiar a sua realização para 2021.

“O Lisbon Bar Show regressa no próximo ano, mas no próximo dia 18 de Maio, deixo o convite para que se juntem a um brinde, no Live do Instagram do evento, celebrando a indústria de bar em Portugal e a sua rápida recuperação desta “pausa” que atravessamos, refere Alberto Pires.

A emissão ao vivo está marcada para as 17h00 de dia 18 de Maio, no perfil de Instagram do Lisbon Bar Show (@lisbonbarshow).

Sobre o Lisbon Bar Show

O Lisbon Bar Show tornou-se numa plataforma de conhecimento e networking imperdível para quem trabalha e aprecia a boa hospitalidade. Para além das várias palestras e workshops, o evento propõe inúmeras demonstrações de mixologia e provas de cocktails para profissionais da indústria, mas também para os curiosos e apreciadores de bebidas espirituosas, tudo num ambiente muito interativo e animado.

Website : Lisbon Bar Show

%d bloggers like this: