É tempo de avançar. Devagar.

É tempo de avançar. Devagar.

Uma imagem com relva, mulher, jovem, saltar

Descrição gerada automaticamente

Veja o vídeo aqui: Mais. Devagar

Está na hora de nos abrirmos de novo ao mundo. De respirar o ar lá fora. De nos deixarmos ir um pouco mais longe, sem irmos longe demais. Devemos acelerar atrás do que deixámos em pausa? Ou será melhor respirar fundo? Aproveitar para recentrar… com vagar. O mundo foi obrigado a abrandar. E por um momento vimos a Humanidade mais próxima e a Natureza a rebentar de vida. É tempo de avançar. Leves. Fortes. Sem pressa. Porque devagar tem poder. Devagar é progresso. Agora que está na hora de voltar, voltemos devagar.

Numa altura em que começam a ser adoptadas algumas medidas de desconfinamento gradual, depois de um abrandamento obrigatório, o Esporão partilha a sua visão, mais uma vez com o contributo dos seus colaboradores.

Este momento de comunicação pretende transmitir renovação, energia e motivação acrescida: “A campanha Mais. Devagar, lançada há um ano atrás, lançou o desafio de abrandarmos. Na altura, estávamos longe de imaginar que neste ano seríamos obrigados a parar. O novo ciclo que agora começa, com tudo de incerto que acarreta, é uma rara oportunidade para reflectirmos e construirmos uma sociedade melhor. Começar de novo, mais devagar. Escrevemos uma Carta Mais. Devagar, reforçando o nosso manifesto inicial, sendo a carta materializada num pequeno vídeo com a ajuda dos nossos colaboradores”, refere Catarina Santos, Directora de Marketing do Esporão. 

Um ano depois do estudo realizado em parceria com a Universidade Católica Portuguesa, que concluiu que quem abranda tende a ser mais feliz, o Esporão sugere um recomeço devagar e novo.

Mais sobre a Campanha Mais. Devagar:

É urgente abrandar

Quem abranda tende a ser mais feliz

PMC ao Domicílio – Como desfrutar de uma garrafa de vinho que é entregue em sua casa

Existem alguns pequenos passos que pode seguir para garantir que aquela garrafa de vinho entregue à sua porta é apreciada da melhor maneira. Entre organizar uma videochamada com amigos e deixar o vinho respirar, a PMC Wine & Food traz-lhe algumas dicas do que fazer.

A verdade é que nos dias de hoje os serviços de entrega de produtos ao domicílio ganharam força – e o vinho não é exceção! De forma a que possa desfrutar na perfeição as garrafas que lhe são entregues em casa, a PMC Wine & Food, empresa dedicada à comercialização de vinhos de pequenos produtores nacionais e das suas marcas próprias Malandra e Jaburu, criou a PMC ao Domicílio, uma plataforma focada nos vinhos dos pequenos produtores nacionais! Os envios são feitos para Portugal Continental e ilhas e, para fazer a sua compra, basta aceder a http://www.pmc-wine.com/pmc-ao-domicilio/.


Para desfrutar ao máximo dos vinhos que lhe chegam à porta, basta seguir estes 6 simples passos.

Passo 1: Desinfetar a garrafa

Embora já não estejamos a viver o Estado de Emergência no país, o coronavírus continua activo e, por isso, temos de nos manter alertas e cuidadosos. O primeiro passo a tomar quando receber os vinhos em casa deve ser desinfectar as garrafas. Pode pegar num pano humedecido com um pouco de álcool e passá-lo pelas garrafas antes de as guardar, de forma a prevenir a sua segurança.

Passo 2: Partilhar com os amigos nas redes sociais e marcar uma videochamada

Os feeds das redes sociais estão repletos de comidas elaboradas e doces maravilhosos – porque não partilhar também com os seus seguidores os vinhos que recebeu? Quem sabe, pode estar a dar-lhes dicas para o futuro. Aproveite e marque uma video-chamada com os amigos mais próximos ou mesmo com familiares para a hora do jantar.

Passo 3: Deixe o vinho repousar

Embora a vontade de o abrir e beber logo possa ser grande, lute contra ela e deixe o vinho repousar. A verdade é que pode ter passado por uma viagem algo atribulada até chegar à sua casa, e por isso precisa de permanecer quieto de forma aos seus componentes normalizarem e oferecer-lhe a melhor experiência possível.

Passo 4: Assegurar a temperatura ideal do vinho

Armazene o seu vinho tendo em consideração a sua temperatura, uma vez que esta é crucial para assegurar que as suas melhores qualidades venham ao de cima. Um vinho branco deve ser servido entre os 6º e os 12º, e um tinto entre os 11º e os 18º.

Passo 5: Fazer o casamento perfeito entre a refeição e o vinho

Se o vinho é a estrela da noite, tenha em atenção o que vai jantar de forma a criar um equilíbrio perfeito entre os dois. Os vinhos tintos pedem uma combinação mais forte, como carnes de caça, peixes de carne escura, carne assada e mesmo hambúrgueres na churrasqueira. Já os brancos casam melhor com pratos mais leves, como frutos do mar salteados, sushi, saladas, risotos ou legumes.  Se tiver alguma dúvida, pode sempre consultar o rótulo do vinho – hoje em dia a maior parte dos vinhos trazem já essa informação.

Passo 6: Aproveitar o vinho em boa companhia

Quando todos estiverem prontos, sente-se à mesa e desfrute da sua refeição e do seu vinho em video-chamada com os seus amigos ou família. Um vinho é uma boa companhia, mas torna-se ainda mais prazeroso quanto usufruído junto de outros.

Website : PMC ao Domicílio

Quinta da Romaneira Reserva Tinto 2017

Vinho com uma cor límpida, brilhante, intensidade média (+), com uma tonalidade rubi, roxa, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade média (+), complexo, floral, mato, erva seca, flores silvestres, pinhal, balsâmico, eucalipto, mentol, frutas pretas e vermelhas maduras, amora e ameixa, especiaria, cacau, chocolate preto.

Na boca é um vinho seco, com acidez média (+), que se espalha na boca, álcool médio (+) (14,0º), corpo médio (+), estruturado, tanino alto, intensos, elegantes, textura mineral, frutado, frescura, balsâmico, com um final seco, longo e muito persistente.

Pré-visualizar(abre num novo separador)

É um vinho com um nível de muita boa qualidade, complexo, exótico e selvagem, fruta encantadora, mineral, balsâmico, cheio de elegância, madeira muito bem integrada, sem se fazer notar, que nos retorna grande prazer.


Castas: 75% Touriga Nacional; 25%Touriga Franca

A minha nota pessoal: FB 93

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website : Quinta da Romaneira Reserva Tinto

Ficha Técnica : Quinta da Romaneira Reserva Tinto 2017

Preços: Quinta da Romaneira Reserva Tinto 2017

Rosso di Montalcino Fattoria dei Barbi 2018

Vinho com uma cor límpida, brilhante, intensidade média, com uma tonalidade rubi, aberta, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade média (+), delicado, floral, flores silvestres, alecrim, sálvia, frutado, cerejas pretas, madeira velha exótica, especiarias, terroso, tabaco e ligeiro couro.

Na boca é um vinho seco, com acidez média, elegante, álcool médio (+) (13,5º), corpo médio, taninos médios, intensos, macios, textura aveludada, mineral, salino, ervas aromáticas, cereja acida, com um final longo de agradável secura e persistência.

É um vinho com boa qualidade, suavidade e elegância, equilibrado, delicado, com frescura que proporciona uma agradável sensação. Ideal para pratos de leves de carne menos condimentados, pizzas e massas.


Castas : Sangiovese 80-90% – Outras 10-20%.

A minha nota pessoal: FB 90

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Website : Fattoria dei Barbi
Website: Rosso di Montalcino Fattoria dei Barbi
Preços : Rosso di Montalcino Fattoria dei Barbi 2018

Giz Vinhas Velhas Branco 2018

Vinho com uma cor límpida, brilhante, intensidade média, com uma tonalidade amarela, nariz limpo sem defeitos, aroma com uma intensidade média (+), frescura, frutas de polpa branca, maça reineta, pêra, ameixa branca, floral, flores silvestres, calcário, pó de pedra.

Na boca é um vinho seco, com acidez alta, intensa, fina, álcool médio (12,0º), corpo médio (+), fruta polpa branca, pimenta branca, textura mineral, giz, calcário, salino, amplo, de intensidade pronunciada, com um final seco, longo e persistente.

É um vinho de com um nível de qualidade excelente, muito elegante, equilibrado, com estrutura, mineral, com uma agradável textura, muito mineral, salino, frescura, gastronómico, madeira muito bem integrada, viciante, um copo pede outro, que dá um grande prazer. Pode ser bebido desde já ou guardar mais tempo.


Castas : Maria Gomes (60%) e Bical (40%).

A minha nota pessoal: FB 92

Excelência: 96-100
Excepcional: 90-95
Bom/Muito Bom: 80-89
Mediano: 70-79
Pobre: 60-69
Não aceitável: 50-59


Preços : Giz Vinhas Velhas Branco 2018

%d bloggers like this: